segunda-feira , 21 janeiro 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos do Autor: Gisele Diniz Pacheco

Arquivos do Autor: Gisele Diniz Pacheco

Resultado positivo – Vigilância Sanitária fiscaliza hipermercado e não encontra irregularidades

Na noite desta quinta-feira (17), uma equipe da Vigilância Sanitária vistoriou um hipermercado no município, após uma denúncia feita por meio de um aplicativo de mensagens instantâneas. De acordo com o consumidor, a conservação das carnes no estabelecimento estaria em condições inadequadas, contando inclusive com a presença de mosca. De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade, não foram encontradas irregularidades.

Durante a vistoria foram observados a sala de manipulação, o balcão frigorífico, a sala de desossa e a câmara frigorífica. “O objeto da denúncia não foi constatado. Ao contrário, a aparência das carnes estavam com características organolépticas inalteradas. Todos os produtos são procedentes de frigoríficos que possuem registro no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). A refrigeração dos produtos atende às normas da higiene sanitária, a câmara fria é toda fechada com paletes de polietileno, e a área de desossa está toda organizada”, explicou o fiscal sanitário Ronaldo Antônio.

Ainda de acordo com Thereza Andrade, mesmo não encontrando irregularidades, foi sugerido ao estabelecimento a inclusão de uma porta com tela para evitar a entrada de insetos no local. Além disso, pequenas ressalvas foram feitas e serão acompanhadas em uma outra visita de vistoria que a equipe fará nesta sexta-feira (18) para a liberação do alvará sanitário.

Dentro do papel da vigilância sanitária, que é promover e proteger a saúde da população, viemos realizando um trabalho de inspeção nos produtos de origem de animal, com equipes do SIM (Serviço de Inspeção Municipal), para dar mais segurança e qualidade nos produtos adquiridos pela população, a exemplo da carne e queijo, com demanda grande em todo o país. A venda de queijos tem se intensificado, e, no Município, conseguimos reduzir em torno de 90% a venda dos queijos clandestinos que chegavam à cidade. Hoje, o número é bastante reduzido. Nosso foco é zerar o número de estabelecimentos com produtos de origem duvidosas, caso de queijos e carnes clandestinas. Um papel de relevância da Vigilância Sanitária é promover e proteger a saúde da população”, esclareceu Ronaldo Antônio.

Alerta – Prefeitura divulga resultado de novo Liraa

Aumentou o número de focos do mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e da febre amarela em Itabira. É o que mostra o primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (Liraa) deste ano, realizado entre os dias 7 e 11 deste mês. O índice médio de infestação é de 5,9% – as condições satisfatórias consideradas pelo Ministério da Saúde indicam índice inferior a 1%. No entanto, em janeiro do ano passado, o Liraa apresentou um índice médio de infestação muito maior: 6,7%. Já no levantamento feito em outubro, o índice foi de 2,8%.

A pesquisa aconteceu em 1.718 domicílios. As localidades com maior quantidade de focos são: Valério e São Francisco (100%), Juca Batista (33,33%), Abóboras (29,41%), São Geraldo (26,66%), Conceição (22,22%), Novo Amazonas (21,43%), Ribeira de Cima (21,42%), Juca Rosa (15,29%), Santa Ruth (14,06%), Santa Marta (12,90%), São Pedro (12,69%), Pedras do Vale (12%) e Boa Esperança (10%).

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), os índices inferiores a 1% são considerados satisfatórios; 1% a 3,9%, indicam situação de alerta; e índices superiores a 4% representam risco de surto. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em todas as 35 localidades pesquisadas o índice é superior a 1%.

O levantamento é feito por amostragem, por meio de um programa do Ministério da Saúde, que sorteia os bairros, quarteirões e imóveis que serão visitados. Quando temos um índice de 100% em um determinado bairro, por exemplo, significa que foram encontrados focos do Aedes aegypti em todas as amostras coletadas”, explicou a diretora de Vigilância Epidemiológica, Natália Franco Barbosa de Andrade.

A população deve continuar atenta aos cuidados para evitar a proliferação do mosquito. Tampar tonéis e caixas d’água, manter as calhas sempre limpas, deixar garrafas sempre viradas com a boca para baixo, lixeiras bem tampadas, ralos limpos e com aplicação de tela, limpar semanalmente ou preencher pratos de vasos de plantas com areia, limpar com escova ou bucha os potes de água para animais e retirar a água acumulada atrás da máquina de levar e da geladeira, são algumas das atitudes que todos devem proceder.

A SMS solicita à população que denuncie sobre locais onde há focos do mosquito por meio do Disque Dengue: 3839-2600.

HMCC promove palestras e treinamentos sobre Influenza

Nesta quarta-feira (16), o Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) vai promover uma tarde de palestras e treinamentos sobre epidemiologia, diagnóstico, manejo e prevenção de influenza. O evento, que acontece a partir das 15h, no auditório do HMCC, é direcionado a médicos plantonistas, incluindo os do Pronto Socorro Municipal de Itabira; servidores da atenção básica de saúde e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Uma das presenças mais aguardadas pelos participantes é a do médico infectologista Aloisio Bemvindo. Atuando no Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, Aloisio Bemvindo é referência na área.

Confira a programação completa:

15h – Dr. Aloisio Bemvindo (Epidemiologia, diagnóstico, manifestações clínicas e tratamento no adulto).

16h – Dr. Marcus Vinícius (Epidemiologia, diagnóstico, manifestações clínicas e tratamento em neonatos e crianças).

16h40 – Dr. Luiz Henrique Costa (Manejo da síndrome respiratória aguda grave e indicações de UTI).

17h – Dra. Andrea Cabral (Estratégias de prevenção e indicações de vacinação).

WhatsApp Image 2019-01-15 at 09.45.37

Imunização – Prefeitura inicia campanha de prevenção contra febre amarela

Começou na segunda-feira (7) a campanha da Prefeitura de prevenção contra a febre amarela. A doença, que no ano passado infectou 11 pessoas no município – das quais cinco resultaram em morte -, pode ser prevenida por meio da imunização.

A campanha conta com a distribuição de material explicativo e o levantamento da cobertura vacinal da população. Todas as ações são coordenadas e realizadas por equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Nesta semana, os servidores percorreram a região dos bairros Santa Ruth e Santa Marta para realizar o levantamento, que contemplará todo o município. Na próxima semana, a proposta acontece no distrito de Ipoema e região do bairro Praia.

Nossas equipes estão indo de casa em casa para verificar os cartões de vacinação. Caso este não esteja em dia, o usuário poderá tomar a vacina neste momento. Por isso, é muito importante que a população esteja atenta, com o cartão de vacina em mãos, para facilitar o trabalho das equipes itinerantes”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

A única forma de evitar a febre amarela é por meio da vacinação. A vacina é recomendada para todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira. Apenas uma dose garante imunidade por toda a vida. As crianças devem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a ovo. Gestantes e idosos devem passar por uma avaliação médica.

Nos anos de 2017 e 2018, fizemos um levantamento e vacinação dos habitantes de Itabira. Mas constatamos, inclusive no estado de Minas Gerais, que ainda temos um público muito grande sem imunizar. Essa é uma situação preocupante. Portanto, precisamos passar para toda a população esse alerta: quem ainda não tomou a vacina deve procurar sua unidade de saúde o mais rápido possível porque existe o risco de se contrair a doença”, finalizou Thereza Andrade.

Utilidade pública – Prefeitura inicia levantamento da cobertura vacinal a partir da próxima semana

A partir desta segunda-feira (7), a Prefeitura de Itabira começará um levantamento da cobertura vacinal da população. O trabalho será realizado por equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), na região dos bairros Santa Ruth e Santa Marta.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, os servidores da SMS percorrerão todas as casas dos usuários da UBS Santa Ruth/ Santa Marta para verificar os cartões de vacinação. “É muito importante que a população esteja atenta, com o cartão de vacina em mãos, para facilitar o trabalho das nossas equipes itinerantes”, frisou.

Após a verificação dos dados, a SMS vai identificar a real situação vacinal de cada usuário. “As informações coletadas facilitarão à SMS traçar estratégias para alcançar a cobertura vacinal de 100%”, concluiu Thereza Andrade.

Solidariedade – Equipe da UBS Pará realiza nova edição do Natal das Crianças

Profissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Pará promovem, pelo segundo ano consecutivo, o Natal das Crianças. A ação acontece na unidade de saúde – rua Ipoema, 105 -, nesta sexta-feira (21), das 13h às 16h. Durante o evento, haverá a presença do Papai Noel, recreação e atividades educativas.

Todas as crianças atendidas pela UBS Pará são convidadas a participar. De acordo com a gerente da unidade de saúde, Nayara Ferreira, o Natal das Crianças é uma atração “que em 2017 trouxe alegria para as nossas crianças, principalmente para as menos favorecidas”.

Ponto Facultativo – Teste do pezinho será realizado no Carlos Chagas

Durante os dias 26, 27 e 28 deste mês, das 10h às 11h40, o Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) vai realizar o teste do pezinho em todos os recém-nascidos. O procedimento, que originalmente é feito na Policlínica Municipal de Itabira, mudará de local devido à Portaria Municipal nº 108. O documento declara ser ponto facultativo nos setores municipais nesta data.

Como a portaria resolve que cabe aos dirigentes dos órgãos e das entidades a preservação e o funcionamento dos serviços essenciais, transferimos o teste do pezinho para o Carlos Chagas. Ressaltamos que, a partir do dia 2 de janeiro, a realização do teste volta a acontecer na Policlínica”, explicou a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo.

Teste do pezinho

O exame laboratorial, conhecido popularmente como teste do pezinho (ou triagem neonatal), é um exame de prevenção fundamental para a saúde da criança, obrigatório e gratuito em todo o país desde 1992. É por meio deste procedimento que se detecta doenças metabólicas, genéticas e infecciosas – fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, deficiência de biotinidase, fibrose cística, anemia falciforme e hiperplasia adrenal congênita – que poderão causar alterações no desenvolvimento neuropsicomotor do bebê.

Quanto mais precocemente essas alterações forem identificadas, mais cedo o tratamento adequado poderá ser iniciado. Assim, o teste do pezinho deve ser realizado em um determinado período: a partir do terceiro dia de vida do bebê até, no máximo, o sétimo dia após o nascimento. A coleta do exame é simples – basta uma gota de sangue retirada do calcanhar do bebê. O resultado demora cerca de sete dias para ficar pronto.

É muito importante realizar o teste do pezinho em todos os recém-nascidos, tendo em vista que as doenças identificadas pelo exame não apresentam sintomas ao nascimento e, se não tratados em tempo hábil, podem levar à deficiência intelectual e causar sérios danos à qualidade de vida da criança”, disse Rosana Linhares.

Procedimentos gratuitos – Novo mutirão oftalmológico vai realizar 286 cirurgias em Itabira

Começou nesta segunda-feira (17), e segue até o sábado (22), um novo mutirão de cirurgias oftalmológicas. Realizados no Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC), por meio da Prefeitura de Itabira, os procedimentos contemplam, desta vez, 286 pacientes.

O mutirão de cirurgias é um plano de ação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para reduzir a fila de espera na rede pública. Durante seis dias, nove pacientes serão operados de estrabismo, 49 pacientes de calázio (nódulo inflamatório na glândula lacrimal da pálpebra), 91 pacientes de pterígio (lesão causada pelo crescimento de um tecido conjuntival na área de exposição ocular em direção à córnea), 31 pacientes passarão por uma trabeculectomia (processo cirúrgico para tratamento de glaucoma) e 106 pacientes de cirurgia de catarata.

Desde o começo do ano já realizamos mais de 600 cirurgias oftalmológicas. Atendemos os pacientes já cadastrados no Programa Saúde da Família (PSF), por meio de vários mutirões realizados ao longo de 2018. Com essas ações, conseguimos beneficiar muitos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e, consequentemente, melhorar a qualidade da saúde em Itabira, além de interferir positivamente na fila de espera por esses procedimentos”, explicou a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo.

Para a realização dos mutirões de cirurgias oftalmológicas, foram destinados aproximadamente R$ 200 mil.

Mais acesso à população – Secretaria de Saúde lança Ouvidoria Itinerante nesta terça-feira

Com o objetivo de facilitar a participação popular nas questões da saúde no município, a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), lança nesta terça-feira (4) a Ouvidoria Itinerante. A primeira edição do projeto, que segue até abril de 2019, será no Centro de Atenção Especializada (Ceae).

Segundo a ouvidora Municipal de Saúde, Carla Alvarenga Pessoa, a Ouvidoria Itinerante percorrerá as unidades da rede municipal para escutar os usuários e trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS). Toda semana, uma equipe da Ouvidoria Municipal de Saúde se descolocará a uma determinada unidade para atender à população. O cidadão poderá se manifestar: apresentar sugestões, reclamações, elogios ou reivindicações sobre o serviço de saúde oferecido pelo SUS.

Dessa forma, além de divulgar o trabalho prestado pela Ouvidoria, conseguiremos aproximar o serviço da população, proporcionando ao usuário a oportunidade de se manifestar e ser ouvido em sua unidade de saúde, fortalecendo assim o controle social”, declarou Carla Pessoa.

Ao final do trabalho, será produzido um relatório gerencial para auxiliar na tomada de decisões da SMS. “Desejamos melhorar continuamente nossos serviços, a partir da visão dos usuários e dos trabalhadores. Por isso, a participação de todos é muito importante”, finalizou a ouvidora de Saúde.

Conscientização – Prefeitura promove mobilização na luta contra a Aids

A fim de conscientizar a população sobre o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV)/ Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids), a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promoverá uma blitz educativa neste sábado (1º). A ação pelo Dia Mundial de Luta contra a Aids acontecerá das 8h às 12h, na avenida João Pinheiro, Centro (em frente ao Mercado Municipal Caio Martins da Costa).

Toda a atividade será coordenada e desempenhada por servidores do Programa Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)/HIV/Aids e Hepatites Virais, da Policlínica Municipal de Itabira. A blitz abordará pedestres e comércios locais para orientar sobre a importância da prevenção da Aids e doenças sexualmente transmissíveis. Durante o evento serão distribuídos preservativos e material educativo.

De acordo com a psicóloga do programa, Janaína Ávila, estima-se que em todo o mundo cerca de 36,9 milhões de pessoas vivam com HIV. No entanto, muitas pessoas ainda não conseguem entender a diferença entre o HIV e a Aids.

Infelizmente, muitas pessoas ainda têm ideias erradas sobre a Aids. Muitas pessoas acreditam que a Aids e o HIV são a mesma coisa, quando na verdade não são. O HIV é o vírus da Imunodeficiência Humana e a Aids é a síndrome provocada por esse vírus. Ou seja, a pessoa pode ter HIV e não ter Aids. Quando alguém tem a síndrome, o HIV destrói as células do corpo, o organismo enfraquece e as doenças oportunistas podem se manifestar. Por isso, as campanhas educativas são tão importantes. É essencial que o indivíduo saiba se prevenir e como se tratar caso seja infectado pelo HIV”, explicou a superintendente.

Adriana Cruz ressaltou ainda a importância de orientar a população que uma pessoa portadora de HIV, mesmo não tendo Aids, pode transmitir o vírus. “Por isso, a importância do uso da camisinha em todas as relações sexuais e de seringas e agulhas descartáveis”, disse. Segundo o Ministério da Saúde, de 1980 a junho deste ano, foram identificados 926.742 casos de Aids no Brasil. O país tem registrado, anualmente, uma média de 40 mil novos casos de Aids nos últimos cinco anos.

Scroll To Top