Você está aqui: Capa | Agricultura e Abastecimento

Arquivo da categoria: Agricultura e Abastecimento

Assinatura dos Feeds

Assuntos relacionados a Área de Agricultura e Abastecimento de Itabira MG

Feira itinerante da agricultura familiar começa em maio

A Prefeitura de Itabira inaugura no próximo dia 04/05, das 7 às 12 horas, no bairro Centro, na Rodoviária – próximo à entrada do Parque da Água Santa – a primeira edição da feira Terra Nossa.

De acordo com o decreto regulamentador nº 628 – assinado pelo prefeito Ronaldo Magalhães no dia 28/03 – a feira será realizada uma vez por semana, sempre às quintas-feiras, em um dos sete bairros selecionados da cidade – Bela Vista, na rua Anastácio de Brito; Caminho Novo, na rua Cristal; Praia, avenida Cristina Gazire, na área verde, em frente ao centro comercial do bairro; Gabiroba, na rua Almir Pessoa de Magalhães; João XXIII, avenida Jorge Ferraz, esquina com a rua Humberto Campos; Amazonas, na rua Amapá, entre os cruzamentos das avenidas Brasil e Ipiranga – além dos distritos Ipoema e Senhora do Carmo.

Feira

A feira itinerante é uma parceria entre a Prefeitura de Itabira com a Associação dos Produtores da Agricultura Familiar de Itabira (Apafi) e tem como objetivo escoar a produção da agricultura familiar do município, além de aproximar os produtores dos consumidores. São 15 barracas, com três produtores em cada, comercializando frutas, legumes, verduras, tubérculos, cereais, aves vivas e abatidas, carnes suína e bovina, quitandas, ovos, mel, derivados do leite e do milho, doces e artesanatos. Segundo informação da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA), os produtos de origem animal são inspecionados pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) com o devido selo que garante a qualidade da mercadoria.

Para participar da Terra Nossa, é necessário que o produtor seja, exclusivamente, da agricultura familiar e apresente a Declaração de Aptidão (DAP) ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), emitida pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG).

História

O programa Apoio à Geração e Incremento de Renda (Agir), da Fundação Vale, incentivou a criação da feira itinerante, capacitando os produtores por meio de cursos que ensinaram novas técnicas para aumentar e diversificar a produção.

O programa contribui para o fortalecimento de negócios sociais, respeitando as vocações e criando oportunidades de trabalho e aumento de renda nas comunidades onde atua. O participante recebe capacitações, assessorias, orientações, investimentos e acompanhamento dos projetos de empreendedorismo (incubação ou aceleração). Em Itabira, o Agir conta com a parceria da Prefeitura e da Incubadora Social do Instituto Kairós (Nova Lima/ MG) como entidade técnica executora.

Prefeitura e Apafi inauguram feira itinerante no município

Com o objetivo de escoar a produção da agricultura familiar do município e aproximar produtores de consumidores, a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA), em parceria com a Associação dos Produtores da Agricultura Familiar de Itabira (Apafi), realizam a partir da segunda quinzena deste mês, a feira itinerante Terra Nossa.

De acordo com o técnico agropecuário da SMAA, Antônio Adelson de Oliveira Santos, a Lei nº 4.928, publicada em dezembro do ano passado e, que dispõe sobre a criação da feira, aguarda regulamentação – decreto do prefeito Ronaldo Magalhães – para ser realmente efetivada. Ainda segundo Antônio Adelson, a feira, de caráter itinerante, acontecerá semanalmente – provavelmente às quintas-feiras – em sete bairros da cidade e nos distritos Ipoema e Senhora do Carmo. “São 15 barracas, com três produtores em cada, totalizando 45 produtores da agricultura familiar”, informou o técnico que, também explicou como os produtos serão dispostos na feira. “Vamos separar em grupos porque não queremos que uma barraca ofereça apenas um tipo de produto. Por exemplo, a barraca que estiver vendendo doces, também venderá frutas e legumes”, afirmou Antônio Adelson.

Pensando em não deslocar o produtor do campo, cada feirante deverá cadastrar duas pessoas para comercializar os seus produtos. “O produtor não é vendedor e não é nosso interesse tirá-lo do campo, já que ele precisa produzir. Por isso, pedimos que eles indiquem duas pessoas para atuarem como vendedores na feira”, salientou o técnico agropecuário da SMAA.

A feira Terra Nossa oferecerá frutas, legumes, verduras, tubérculos, cereais, aves vivas e abatidas, carnes suína e bovina, quitandas, ovos, mel e seus derivados, derivados do leite e do milho, doces e artesanatos. Segundo Antônio Adelson, os produtos de origem animal serão inspecionados pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) com o devido selo que garante a qualidade da mercadoria.

Para participar da feira, é necessário que o produtor seja, exclusivamente, da agricultura familiar e apresente a Declaração de Aptidão (DAP) ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), emitida pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG). “Então, se o produtor não tiver esse documento que comprove sua atividade na agricultura familiar, ele tem que procurar a Emater ou a Apafi. Eles fiscalizarão a produção in loco”, esclareceu Antônio Adelson.

Locais

A inauguração da feira Terra Nossa deverá acontecer no bairro Centro, na Rodoviária – próximo à entrada do Parque da Água Santa, no dia 16/03, ainda sem horário determinado. Também estão pré-definidos os bairros Bela Vista, na rua Anastácio de Brito; Caminho Novo, na rua Cristal; Praia, na avenida Cristina Gazire – na área verde, em frente ao centro comercial do bairro; Gabiroba, na rua Almir Pessoa de Magalhães; João XXIII, na avenida Jorge Ferraz, esquina com a rua Humberto Campos; Amazonas, na rua Amapá, entre os cruzamentos das avenidas Brasil e Ipiranga e os distritos Senhora do Carmo e Ipoema. “Como estamos aguardando a regulamentação da Lei, ainda não definimos o horário de funcionamento da feira e nem o cronograma dos bairros”, ressaltou Antônio Adelson.

História

A ideia de criar uma feira itinerante surgiu no ano passado, por meio de pedidos de alguns produtores rurais. “Mas, devido aos trâmites burocráticos do período eleitoral, não foi possível efetivar o empreendimento”, afirmou Antônio Adelson. No entanto, na mesma época, a Fundação Vale, por meio do Programa Apoio à Geração e Incremento de Renda (Agir), buscava ideias empreendedoras no município e, segundo o técnico agropecuário, uma das indicações da SMAA foi a Apafi. “Então, o Agir incubou a feira. Mas, por trás dela tem todo um trabalho de capacitação com os produtores. O objetivo é que eles aprendam novas técnicas para aumentar e diversificar a produção”, explicou Antônio Adelson.

O Agir é uma iniciativa da Fundação Vale, realizada com o apoio da mineradora Vale. O programa busca contribuir para o fortalecimento de negócios sociais, respeitando as vocações e criando oportunidades de trabalho e aumento de renda nas comunidades onde atua, por meio da prospecção e do fomento de pequenos negócios individuais, familiares e coletivos. O participante recebe capacitações, assessorias, orientações, investimentos e acompanhamento dos projetos de empreendedorismo (incubação ou aceleração). Em Itabira, o Agir conta com a parceria da Prefeitura e da Incubadora Social do Instituto Kairós (Nova Lima/ MG) como entidade técnica executora.

Prefeitura firma parceria com banco de alimentos da Ceasa

A Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA), apresentou nesta tarde (21/02), no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), uma parceria com o Instituto Ceasaminas para a captação de alimentos.

Por meio do Prodal – banco de alimentos da Central de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa) – a Prefeitura pretende abastecer as escolas municipais, os Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), além das instituições carentes cadastradas na Secretaria Municipal de Ação Social (SMAS), com alimentos captados pelo instituto Ceasaminas.

De acordo com Ricardo Carnaval Furtado, presidente do Prodal, a proposta é aumentar a validade das frutas, hortaliças e dos legumes doados ao banco de alimentos. “Quando a gente recebe o alimento, ele já está em um estado de maturação elevado. Não quer dizer ruim, mas não vai durar mais que dois dias. Então, nós desidratamos esses alimentos e acabamos com o curto prazo de validade, já que essa técnica permite conservá-los até um ano, sem que as propriedades nutricionais sejam alteradas”, explicou Ricardo Furtado.

No entanto, segundo ele, apesar de o Prodal ser abastecido através de doações e da captação dos alimentos que seriam desperdiçados na Ceasa, “o nosso custo de operação e com a mão de obra para esse processo de desidratar os alimentos, é alto”, informou Ricardo. Além disso, o instituto também não consegue captar todos os alimentos descartados. “O que eu consigo pegar dentro da Ceasa não chega a ser 20% do que é desperdiçado lá dentro. Não temos estrutura para recolher o resto. Por isso, queremos desenvolver uma parceria com as prefeituras para ampliar o número de instituições que atendemos”, ressaltou o presidente do Prodal.

Parceria

Esse modelo de parceria desenvolvido com a Prefeitura de Itabira é pioneiro. “Nós ajudamos algumas prefeituras, mas não tem uma contrapartida e nem incentivo de ambos os lados para funcionar melhor e que permita ampliar a nossa produção”, lamentou Ricardo Furtado. Ainda segundo ele, “Trabalhamos com 154 instituições, atendemos por volta de 120 mil pessoas por mês e a Prefeitura de Itabira será a primeira nesse modelo”, revelou o presidente do Prodal.

O evento de hoje foi o segundo contato da Prefeitura com a Ceasa e, o secretário de Agricultura e Abastecimento, ainda não definiu os termos da parceria após a compra das sopas. “Queremos captar os alimentos no Prodal, mas ainda não definimos como será o apoio da Prefeitura para que não tenhamos custo. Iniciamos uma conversa sobre ceder mão de obra para o instituto, mas ainda não é certo”, informou William Gazire.

A Prefeitura de Itabira pretende comprar do Prodal a Vita sopa – um concentrado desenvolvido pelos nutricionistas do instituto com os alimentos dispensados pelos produtores – se os possíveis clientes de Itabira aprovarem o sabor. A sopa é composta por batata, cenoura, beterraba, mandioca, macarrão e lecitina de soja. Hoje, como informou Ricardo Furtado, a capacidade de produção do Prodal é de 160 mil refeições – equivalente a um prato de sopa – por mês.

De acordo com William Gazire, secretário da SMAA, cada pacote de um quilo da sopa, rende 40 refeições e custa R$ 0,60. “O produto tem excelente valor nutricional e a Ceasa tem mecanismos de repassá-lo onde há necessidade de alimentos. Como também somos uma secretaria de abastecimento, aprovamos o projeto e o modelo de produção. Agora depende da aceitação do nosso público”, informou o secretário.

Para Thaís Linhares, gestora do projeto de parceria com a Ceasa, futuramente é possível inserir a técnica de desidratação de alimentos no banco de alimentos do município. “A sopa tem todas as propriedades nutricionais e serve para substituir o almoço uma vez por semana. Além disso, podemos pensar em usar essa técnica em nosso banco de alimentos para evitar desperdício e gerar economia”, concluiu Thaís.

Feira Livre muda para local mais espaçoso e com melhor infraestrutura

No próximo sábado (28/01), os comerciantes da Feira Livre – realizada todos os sábados, das 6 às 14 horas, na avenida Duque de Caxias, entre os números 1.240 e 1267, no bairro Esplanada da Estação – serão notificados pela Prefeitura de Itabira sobre a recolocação da feira para o mesmo endereço, porém, do lado oposto da avenida, precisamente atrás da Gerência Regional de Saúde – próximo às obras do novo espaço destinado a feira, iniciadas na gestão passada.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, William Sampaio Gazire, “a feira já estava insustentável para todos, inclusive para os feirantes”, revelou. Em reunião na semana passada com os barraqueiros cadastrados na Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA), o secretário tomou conhecimento dos problemas que, segundo os produtores, descaracterizaram a Feira Livre. “Eles nos relataram diversas situações, como a venda de drogas, um elevado índice de prostituição e bancas de verduras virando mesa de bar”, explicou William Gazire.

Entretanto, a principal reclamação dos feirantes é sobre o excesso de “toureiros” – termo usado por eles para identificar os comerciantes irregulares presentes no local, no dia da feira. “Os feirantes nos disseram que a quantidade de ambulantes é maior que o número de produtores cadastrados. Tem até caminhão de calçados de Nova Serrana fazendo ponto lá. Está uma bagunça generalizada”, afirmou William Gazire.

Além disso, o secretário também ressaltou os pedidos dos moradores próximo ao local para a retirada do evento. “A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano recebeu inúmeros pedidos. A pressão do entorno é imensa”, contou William. Segundo Manoel Geraldo Rocha, presidente da Associação dos Feirantes e Produtores Rurais de Itabira, “a situação chegou em um ponto que, barracas são armadas nas escadas do supermercado, nas calçadas dos edifícios, atrapalhando até o fluxo nas garagens”, explicou Manoel Rocha.

Novo local

A partir do dia 4 de fevereiro, a Feira Livre já estará no novo endereço. Segundo o secretário da SMAA, a Prefeitura de Itabira atenderá todas as solicitações dos feirantes. “Colocaremos quatro contêineres para guardar as barracas, pois é inviável deslocá-las toda semana. Disponibilizaremos também, um ponto de energia elétrica, um tanque com água corrente para a higienização de produtos e para as pessoas lavarem as mãos, se quiserem. Banheiros femininos e masculinos para o público e exclusivos para os feirantes”, afirmou o secretário. Outro pedido dos feirantes que será atendido é a separação das barracas que comercializam comida e bebida das demais.

Após notificação formal da Prefeitura de Itabira a todos os feirantes sobre o novo local da feira, William Gazire ressaltou que “só serão aceitos no local, aqueles devidamente cadastrados. Quem não estiver em situação regular, será autuado”, disse.

O presidente da Associação dos Feirantes e Produtores Rurais de Itabira acredita que a mudança será para melhor. “Onde a feira está, traz transtornos para os feirantes e moradores. Está apertado, não tem boa infraestrutura para feira e, agora, vamos para um local mais espaçoso e, principalmente, organizado”, concluiu Manoel Rocha. Ainda segundo ele, os feirantes pediram mais fiscalização da Prefeitura. “Queremos que a vigilância sanitária, a postura e a polícia fiscalizem a feira. Assim, o feirante que não estiver correto terá que sair ou cumprir as normas”, finalizou.

Cadastro

Os produtores rurais e artesãos interessados em expor seus produtos na Feira Livre, devem procurar a Associação dos Feirantes e Produtores Rurais de Itabira para verificar a disponibilidade de barracas e a SMAA para se cadastrar. Tanto o produtor rural, o artesão ou uma microempresa agroindustrial devem apresentar alvará de funcionamento e sanitário.

A Feira Livre expõe barracas de hortaliças, produtos da roça, artesanato, animais vivos, alimentação e bebidas diversas.

Epamig – Parceria com a Prefeitura transforma unidade de Itabira em núcleo estadual do gado Gir Leiteiro

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) transformou o Campo Experimental de Itabira em seu núcleo estadual do gado Gir Leiteiro. A iniciativa ocorreu após a Prefeitura empregar recursos necessários para viabilizar este núcleo. Já foram investidos R$ 90 mil em toda a estrutura do Campo Experimental de Itabira. A verba possibilitou as condições necessárias para alavancar o Projeto de Reprodução Bovina por meio da Fecundação In Vitro (FIV) do gado e outros que trazem desenvolvimento e diversificação para a economia local.

De acordo com o gerente do Campo Experimental de Itabira, Ivys Marlon kelles Lage, após visitar e conhecer a estrutura da unidade, o presidente da entidade Rui da Silva Verneque, fez uma proposta de trabalho ao Governo Municipal, a fim de atender as demandas locais e fortalecer a unidade no município. Assim, em meados de setembro, chegaram em Itabira as 44 matrizes (vacas de alta genética), vindas das diversas unidades da Epamig em Minas Gerais. “O núcleo que está aqui é o melhor que temos na empresa. Foram selecionadas as melhores matrizes para este projeto. A diretoria da Epamig está investindo e acreditando na unidade, buscando fortalecer a imagem da empresa em nossa região. Temos agora 64 fêmeas disponíveis para este projeto de reprodução bovina”, declarou Ivys Lage.

A princípio, o Campo Experimental de Itabira produzirá, por meio da FIV, 70 embriões. Parte será para a produção de fêmeas F1 (½ sangue holandês X zebu) e o restante para ampliar o volume de Gir Leiteiro. “Vamos contratar um laboratório para retirar os oócitos das vacas doadoras, selecionar o sêmen sexado de fêmea e fecundar o material. Com os embriões concebidos em laboratório, vamos aplicá-los em vacas receptoras”, explicou o gerente. O objetivo é aumentar a genética de leite do rebanho de Itabira e região.

O produtor não tem acesso diretamente ao procedimento da FIV. Com este processo, selecionamos as melhores vacas, produzindo fêmeas altamente produtivas, obtendo em três anos o que as outras técnicas levariam até 15 anos para atingir. Podemos ter por exemplo, 30 filhas da melhor doadora e do melhor touro em apenas 1 ano”, esclareceu Ivys Lage.

A entidade estima que em breve terá disponível bezerras F1, além de fêmeas e machos puros Gir Leiteiro, disponíveis a preços subsidiados. Participam deste projeto um técnico agropecuário, um veterinário da Prefeitura de Itabira e dois pesquisadores Doutores em Reprodução Animal da Epamig. O Campo Experimental de Itabira já realizou a recuperação de 50 hectares de pastagem, refez vários metros de cercas e iniciou o plantio de milho e sorgo para silagem. Itens essenciais para o sucesso da reprodução e manutenção do rebanho. Neste mês, começam as etapas de tratamento do rebanho para a fertilização. O apoio da Prefeitura hoje nos garante a sobrevivência da unidade, até que a mesma se torne autossustentável. Se não for assim, a Epamig encerra suas atividades em Itabira, porque o Estado não custeia nada, apenas paga o salário dos funcionários. A visão do Governo Municipal possibilitou que o nosso campo se tornasse o núcleo estadual do gado gir leiteiro da Epamig. Tudo isso será revertido ao produtor rural da região, além de promover a diversificação da economia em Itabira. Queremos ser referência em breve.”, finalizou Ivys Lage.

Entenda

Com o objetivo de se ter a produção das raças europeias com a rusticidade e adaptação dos zebuínos, começou-se a fazer os cruzamentos entre os rebanhos. “Uma das maiores vantagens dos cruzamentos em gado de leite é aproveitar a produção leiteira do rebanho europeu e a capacidade de adaptação climática e fácil manejo dos zebuínos. A quantidade de bernes, carrapatos e parasitas diminuem com o aumento da raça zebuína nos cruzamentos. A vantagem dos cruzamentos em gado de leite é obter-se o melhor de duas ou mais raças”, explicou Ivys Lage.

No Brasil, o Gir Leiteiro é muito usado nesses cruzamentos por causa de suas características: contribui com leite, rusticidade, vigor e docilidade, o que determina uma produção de leite econômica. A raça não tem problemas com restrição alimentar, pois seu índice de metabolismo e de ingestão de alimentos é mais baixo se comparado às raças taurinas.

A Epamig

A Epamig foi instituída como empresa pública em maio de 1974 e tornou-se a principal instituição de execução de pesquisa agropecuária de Minas Gerais. A empresa tem a função de apresentar soluções para o complexo agrícola, gerando e adaptando alternativas tecnológicas, oferecendo serviços especializados, capacitação técnica, insumos qualificados compatíveis com as necessidades dos clientes e em benefício da qualidade de vida da sociedade.

Em Itabira, o Campo Experimental foi criado por meio de convênio entre a Epamig e a Prefeitura, em maio de 2008. O local possui uma área de 167 hectares: a área pertence ao Governo Federal e está cedida em regime de comodato ao Município. Por conter várias nascentes que abastecem parte da cidade, o Campo Experimental está inserido em um projeto de preservação permanente, por meio de recursos do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira.

As principais atividades no município são as pesquisas na bovinocultura, silvicultura (sistema integração lavoura-pecuária-floresta; eucalipto integrado com pastagens no sistema silvopastoril; recuperação de terrenos degradados em áreas de reserva e nascentes), grandes culturas (milho e cana-de-açúcar), estoque genético animal (bovinos da raça Gir Leiteiro criado em sistema extensivo) e estoque genético vegetal (viveiro de mudas de cana-de-açúcar). De janeiro a setembro deste ano, a empresa já atendeu 798 pessoas.

O Campo Experimental da Epamig em Itabira funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, na rua Columbita, s/nº – Distrito Industrial (próxima à Pedreira Itagracel). O contato também pode ser feito pelo telefone (31) 3831-1210 ou por e-mail (ceit@epamig.br). Os serviços são oferecidas a toda a população.

300 quilos – Prefeitura repassa ao Cras Gabiroba alimentos doados pela Relba

O prefeito Damon Lázaro de Sena entregou nessa quarta-feira (18) 300 quilos de alimentos ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do bairro Gabiroba. Os alimentos são provenientes do município de Caratinga, integrante da Rede Leste de Banco de Alimentos (Relba).

A Relba tem o objetivo de integrar as atividades dos Bancos de Alimentos, tornando-os mais eficientes, tanto na condução de programas federais, quanto nas captações de doações de alimentos de empresas e produtores rurais. É um programa do Ministério de Desenvolvimento de Combate à Fome. Itabira integra a Rede desde outubro de 2014, composta ainda pelos municípios de Caratinga, Santana do Paraíso, Santa Bárbara do Leste, Santa Rita de Minas, Piedade de Caratinga, Entre Folhas, Vargem Alegre, Ubaporanga, Engenheiro Caldas, Tarumirim e Alvarenga.

O Município tem recebido alimentos quinzenalmente e estes estão sendo repassados pela Prefeitura de Itabira a entidades assistenciais e centros de referência. Na última remessa chegaram 6,2 toneladas ao Banco de Alimentos. Destes, 1,5 toneladas foram distribuídos para os o Cras do bairro Gabiroba, Jardim das Oliveiras, Pedreira, Santa Ruth e para o Centro de Referência de Assistência Social (Creas).

Foram entregues no Cras Gabiroba: abacate, alface, banana, berinjela, couve, laranja, mandioca, pimenta e tangerina. Os alimentos serão utilizados no lanche para os usuários do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos e também repassados a algumas famílias de maior vulnerabilidade, que são acompanhadas pelo serviço de proteção e atendimento integral às famílias.

A Secretaria Municipal de Ação Social Valquíria Pascoal de Souza Duarte explicou como são recebidos os alimentos doados as famílias e ressaltou que isso só é possível porque a Administração Municipal realmente é comprometida com a população. “Queremos que estes alimentos ajudem a reforçar a mesa de vocês. Lembro também que o Banco de Alimentos tem uma importante participação na construção e instalação do Restaurante Popular. Eles fornecerão grande parte dos alimentos utilizados. Teremos alimentação saudável, equilibrada e acessível a todos”.

O prefeito Damon Lázaro de Sena lembrou que Itabira já recebeu cerca de 20 toneladas de alimentos em aproximadamente de 40 dias. “O trabalho do Banco de Alimentos é muito importante para fornecer alimentos para entidades, creches, escolas e centros de referência. É uma forma de fixar e valorizar o produtor rural. A Prefeitura trabalhar para a população, trazendo mais dignidade e melhores condições de vida”.

Ao final, uma nutricionista explicou as famílias como utilizar da melhor maneira os alimentos e os benefícios nutricionais de cada um.

Doação a entidades – Itabira recebe 4 mil quilos de alimentos da Relba

A Prefeitura de Itabira repassou a entidades assistenciais e escolas municipais 4.000 quilos de alimentos, provenientes de doação do município de Carantinga, integrante da Rede Leste de Banco de Alimentos (Relba). A solenidade de entrega aconteceu nesta terça-feira (13), na Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA).

Foram beneficiadas: Creche Nosso Lar, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Conselho Municipal do Bem Estar do Menor (Combem), Fazenda Esperança, Assistência Social (Cras), Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), Secretaria Municipal de Educação (SME), Hospital Carlos Chagas (HCC), Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), Associação de Proteção à Maternidade e a Infância de Itabira (APMII), Cáritas Diocesana, Creche Bom Pastor, Associação Municipal Assistencial Itabirana (Amai) e Serviço de Obras Sociais (SOS) de Itabira.

A Relba tem o objetivo de integrar as atividades dos Bancos de Alimentos, tornando-os mais eficientes, tanto na condução de programas federais, quanto nas captações de doações de alimentos de empresas e produtores rurais. É um programa do Ministério de Desenvolvimento de Combate à Fome. Itabira integra a Rede desde outubro de 2014, composta ainda pelos municípios de Caratinga, Santana do Paraíso, Santa Bárbara do Leste, Santa Rita de Minas, Piedade de Caratinga, Entre Folhas, Vargem Alegre, Ubaporanga, Engenheiro Caldas, Tarumirim e Alvarenga.

A secretária Municipal de Ação Social, Valquíria Pascoal de Souza Duarte, ressaltou a importância do trabalho do Banco de Alimentos, principalmente, para famílias com pouco acesso ao que é básico para a sobrevivência. “Fico satisfeita em ver que a dedicação deste Governo Municipal trouxe mais este resultado”.

O prefeito Damon Lázaro de Sena disse que este benefício é o resultado de uma verdadeira governança, com a união do poder público, sociedade privada e sociedade civil organizada. “O dinheiro público precisa ser bem investido. Faço uma análise da nossa administração e afirmo que atendemos a todo o município. Essas quatro toneladas de alimentos demonstram um bom trabalho. Que as entidades beneficiadas façam um excelente uso destes alimentos que serão recebidos quinzenalmente ao nosso Banco de Alimentos. Essa é mais uma conquista de um bom trabalho da nossa gestão”.

Encontro apresenta trabalhos desenvolvidos nas áreas rural e ambiental em Itabira

Para apresentar os trabalhos desenvolvidos em Itabira, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) promoveu o 1º Encontro da Fazenda Experimental para o Desenvolvimento Rural e Ambiental Sustentável. A atividade aconteceu na manhã desta quinta-feira (29) e reuniu representantes de entidades civis, órgãos públicos, empresas e instituições de ensino do município.

O evento contou com a parceria da Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Agricultura e Abastecimento e Meio Ambiente. O prefeito Damon Lázaro de Sena, o vereador Sueliton Cordeiro de Sousa e secretários municipais participaram do encontro.

“A Fazenda Experimental oferece treinamentos, cursos, palestras, desenvolve projetos e pesquisas para levar uma solução tecnológica ao produtor rural. Há 30 fazendas em todo o estado e cada uma trabalha a vocação da região. Esta Epamig foi criada com a intenção de ser o núcleo do leste de Minas Gerais”, explicou o gerente da Fazenda Experimental da Epamig/Itabira, Ivys Marlon Kelles Lage. Criação de gado, cultivo do feijão e de mudas de cana-de-açúcar são algumas atividades desenvolvidas no local.

O secretário de Agricultura e Abastecimento/ Meio Ambiente, Nivaldo Ferreira dos Santos, acrescentou que “um dos objetivos do encontro é trazer os representantes das instituições aqui, para que as pessoas saibam que essa estrutura existe e que podemos desenvolver muitos trabalhos juntos. Parceria e integração são duas palavras essenciais: por isso, é necessário intensificá-las, envolvendo órgãos do município, do Estado e da iniciativa privada para que o trabalho seja expandido”.

Posteriormente, o prefeito Damon Lázaro de Sena enumerou algumas ações desenvolvidas pelo governo municipal, como investimento em captação de água, criação do programa Preservar para não Secar, conservação das estradas rurais, instalação de mata-burros, construção de pontes, implantação do Sistema de Inspeção Municipal (SIM), compra de alimentos fornecidos pelos produtores rurais da cidade, entre outras. “Temos uma população na área rural em torno de 15% e somos uma cidade com histórico essencialmente operário. Por isso, nas discussões sobre diversificação econômica, temos que ampliar as discussões quanto ao setor rural, porque temos uma potencialidade muito grande”, afirmou.

Epamig realiza Dia de Campo sobre cultivo do feijão-carioca

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) realizou, na última semana, o Dia de Campo sobre cultivo do feijão-carioca, na comunidade do Engenho. O trabalho foi orientado pelo doutor em Fitotecnia, João Roberto Melo, e contou com a parceria da Prefeitura de Itabira. Durante a atividade, foi utilizada uma variedade do feijão-carioca conhecida como madrepérola.

O evento foi destinado aos produtores que possuem a Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que visa estimular a geração de renda e melhorar o uso da mão de obra familiar, por meio do financiamento de atividades e serviços rurais agropecuários e não agropecuários desenvolvidos em estabelecimento rural ou em áreas comunitárias próximas.

De acordo com o gerente da Fazenda Experimental da Epamig em Itabira, Ivys Marlon Lage, o Dia de Campo buscou demonstrar a viabilidade da lavoura que começa com a escolha da variedade certa para cada região, as técnicas variáveis para o cultivo e as condições climáticas específicas.

A atividade contou ainda com a presença dos servidores municipais e técnicos em agropecuária Antônio José Pessoa Nogueira, Gilmar Bretas Martins Cruz, Fábio Lúcio de Oliveira Saez. Segundo Antônio Pessoa, que é membro do Conselho de Segurança Alimentar (Consea), um alimento deve nascer saudável para que se mantenha saudável até a nossa mesa.

“Isso é o que se justifica o Dia de Campo. O evento nada mais é do que um multiplicador de informações agronômicas, sendo uma ferramenta de extrema importância para uma melhor alimentação e um melhor aproveitamento das terras agronomicamente viáveis”, disse Antônio Nogueira.

Para o prefeito Damon Lázaro de Sena “os resultados das pesquisas realizadas pela Epamig podem ser percebidos por meio de vários benefícios, entre eles, a melhoria na qualidade do produto, menores preços, preservação ambiental, racionalidade no uso dos recursos naturais e energéticos, geração de emprego e renda, sustentabilidade e mais conhecimento técnico para os produtores rurais”.

Cultivo de feijao (3) Cultivo de feijao (1)

Damon empossa primeira composição do Conselho de Segurança Alimentar

O prefeito Damon Lázaro de Sena empossou, na manhã de sexta-feira (18), os membros do Conselho Municipal de Segurança Alimentar. Criado em julho, essa é a primeira composição do conselho que tem 56 membros.

O evento fez parte do encontro de gestores dos municípios que integram a Rede Leste de Banco de Alimentos (Relba). Eles estiveram em Itabira para discutirem “A importância da integração dos Bancos de Alimentos”. O presidente da Relba, João Paulo de Paiva Ramos, fez questão de parabenizar o município. “Itabira está tendo uma evolução muito rápida com as questões agrícolas e, principalmente com a agricultura familiar. A criação e posse do conselho em tempo recorde é uma prova disso. Muitos municípios ainda não conseguiram implantar”, disse. Conforme lembrou João Paulo, a criação do conselho é critério primordial para a liberação de recursos estadual e federal para projetos de segurança alimentar nos municípios.

A conselheira Maria Aparecida de Oliveira fez um discurso emocionado. “Há muitos anos a gente está tentando implantar este conselho, mas não tivemos apoio. Agradeço à Prefeitura que está criando este conselho”, disse a conselheira. Ela lembrou outra ação que irá favorecer a segurança alimentar na cidade: a construção do restaurante popular. “A gente que trabalha na área da saúde sabe da importância, da necessidade deste restaurante. Agradeço à gestão do Damon que está realizando isso também”, disse, fazendo referência à publicação do edital de licitação para contratação da empresa que irá construir o restaurante popular. Maria Aparecida reconheceu a participação do vereador Sebastião Ferreira Leite “Tãozinho” – também presente no evento –, autor do projeto de lei aprovado na Câmara Municipal em 2011, para consolidar o restaurante.

O prefeito Damon Lázaro de Sena lembrou que o foco de seu governo é preparar a cidade para a diversificação econômica e, por isso, tem investido em vários setores que possam facilitar a sua concretização. Conforme ressaltou, nos últimos anos o município renovou a frota de veículos e máquinas que atendem o produtor rural; investiu no desenvolvimento dos programas Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e de Aquisição de Alimentos (PAA) e criou o programa Preservar pra não secar, que remunera o produtor que conserva áreas importantes para a biodiversidade e preservação dos recursos naturais.

Damon Lázaro de Sena também lembrou que em breve a agricultura poderá ter um grande aporte, com a construção do restaurante popular. “Eu gostaria de lembrar que as discussões para construção do restaurante popular em Itabira começaram em Betim, quando eu e Alexandre Banana estivemos com Patrus Ananias, em 2008. Na época ele era ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Naquele encontro começamos a discutir o restaurante popular. O vereador Tãozinho Leite foi importante nesse processo porque, em 2011, apresentou um projeto de lei. Quando assumimos a Prefeitura descobrimos que os recursos para a obra já estavam depositados em conta desde 2011, mas não houve vontade para levar o projeto adiante. Tivemos um grande trabalho para destravar alguns empecilhos, o Tãozinho sempre nos cobrando e agora, já estamos licitando a obra”, contou o prefeito. Em seu entendimento, a agricultura familiar pode ser uma das grandes beneficiadas com a construção do restaurante, fornecendo produtos para ele. “E o Conselho de Segurança Alimentar terá um papel preponderante, pois uma das atribuições dele é ajudar a definir as diretrizes da política e do plano municipal de segurança alimentar e nutricional a serem implementadas”, finalizou.

Mais atividades Após a posse do Conselho Municipal de Segurança Alimentar, os membros da Relba continuaram o encontro. A delegada federal de Desenvolvimento Agrário em Minas Gerais Adriana Veiga Aranha apresentou a palestra “O programa Banco de Alimentos no Brasil e seu papel no combate à fome. Em seguida houve o debate sobre a importância da integração dos Bancos de Alimentos.

À tarde foi realizado o encontro de gestores municipais do Médio Piracicaba “Elaboração de propostas para a agricultura familiar: as alternativas para enfrentamento da crise econômica que aflige as regiões mineradoras”.

Scroll To Top