Você está aqui: Capa | Destaques | Administração Municipal consegue reduzir quase 50% do déficit mensal
Administração Municipal consegue reduzir quase 50% do déficit mensal

Administração Municipal consegue reduzir quase 50% do déficit mensal

A Prefeitura de Itabira apresentou ontem (9) o demonstrativo da evolução dos esforços econômicos/financeiros para reduzir o déficit mensal. Todas as informações estão publicadas no portal da transparência – www.itabira.mg.gov.br.

No mês de março a Prefeitura arrecadou R$ 29.526.404,62 milhões – R$ 633.076,56 a mais em relação aos meses janeiro e fevereiro – e para custear a administração pública, gastou R$ 33.745.936,51 milhões em março, sendo que no mês anterior foram necessários R$ 37.158.020,80. Houve uma redução de R$ 3.412.084,29 nas despesas. Hoje, o déficit mensal é de R$ 4.219.531,89, ou seja, quase 50% menor que o registro anterior.

De acordo com Marcos Alvarenga Duarte, secretário municipal de Fazenda, o déficit retraiu devido aos cortes em várias pastas do governo. “Conseguimos diminuir o custo por causa da redução de cargos comissionados e de contratos em muitas secretarias”. Mas, segundo ele, como as contas ainda não estão equilibradas, serão necessários mais cortes. “Agora vamos continuar com esse processo, que é cada vez mais difícil, mas precisa ser feito”, afirmou.

A nova análise das despesas em todas as secretarias será realizada por uma comissão composta pelos secretários Marcos Alvarenga (Fazenda), Geraldo Rubens Pereira (Planejamento e Gestão), Fernando Muniz (Auditoria Interna e Controladoria) e pelo assessor municipal de Gestão, Programas e Metas, Celso Matosinho da Silva. “Reuniremos com todos os secretários para verificar os gastos em todas as pastas, começando por aquelas com maior custo: Educação e Saúde”, anunciou Marcos Alvarenga que, também disse acreditar na existência de gastos ainda desnecessários na Prefeitura. “Ainda tem muito custo irrelevante. Então, nós vamos identificar e atuar nisso”.

Como afirmou o secretário, os maiores gastos estão nas secretarias de Saúde, Educação, e Assistência Social consecutivamente, “além da limpeza urbana que pesa bastante o orçamento”, disse. Segundo Marcos, o objetivo é cortar gastos, mas também atuar com os recursos vinculados. “Por exemplo, o Pronto Socorro Municipal recebe verbas federal, estadual e municipal. Naturalmente, se conseguirmos reduzir o custo neste serviço, a participação do município, que hoje é maior, pode diminuir um pouco, fazendo com que sobre dinheiro para ser aplicado em outro gasto e na Educação a mesma coisa. Então, o fato desse dinheiro ser vinculado, não quer dizer que o Município não tenha a liberdade para aplicá-lo em outro custo dentro daquela área”, concluiu.

Detalhamento

De acordo com o relatório publicado pela Prefeitura de Itabira, os cortes realizados desde o começo do ano contabilizam R$ 3.412.084,29 quando somadas as despesas das seguintes secretarias municipais, sendo R$ 804.091,59 na Saúde – redução de contratos e convênios; R$ 829.287,74 na Administração – extinção de cargos comissionados, locação de veículos, redução no contrato de controle da documentação e redução dos serviços de internet e telefonia; R$ 536.428,17 na Educação – redução de pessoal em contratos temporários e racionalização do uso de material de limpeza; R$ 246 mil na Fazenda – substituição do programa para emissão de nota fiscal eletrônica e redução do contrato da dívida ativa; R$ 100 mil no Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente – suspensão no contrato de geoprocessamento; R$ 38.852,19 na Esporte, Lazer e Juventude – redução de convênios e projetos; R$ 39.131 na Itaurb e R$ 37.923,78 na Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade, ambas na extinção de cargos comissionados e R$ 780.369,82 em redução de pessoal terceirizado.

Os comentários estão fechados.

Scroll To Top