terça-feira , 21 maio 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: doença

Arquivos de Tag: doença

Conscientização – Prefeitura promove atividades na luta contra a tuberculose

O dia 24 de março foi instituído como o Dia Mundial da Combate à Tuberculose. A data foi criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1982, em homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da doença pelo médico Robert Koch. A Prefeitura de Itabira, com o objetivo de conscientizar a população sobre os sintomas e prevenção da tuberculose, realiza, ao longo dos meses de fevereiro e março, uma série de atividades para a população.

Entre as ações, o público contará com informativos sobre a doença, cartazes e divulgação em rádios locais, além da atuação junto à Medicina do Trabalho de diversas empresas do município. Também está prevista, para o próximo dia 28, uma reunião no Programa de Educação Permanente (PEP) com médicos e enfermeiros a fim de conseguir apoio na busca ativa de sintomáticos respiratórios (pessoas com tosse por três semanas ou mais).

Outras ações já foram desenvolvidas como reuniões com a Superintendência de Atenção Básica e com o gabinete da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), com o objetivo de aprovar o plano de ação, formulado após o diagnóstico situacional do Programa de Tuberculose em Itabira”, disse a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

Segundo estimativas da OMS, um terço da população mundial está infectada pelo bacilo Mycobacterium tuberculosis e em risco de desenvolver a doença. Existe cerca de 8,8 milhões de pessoas doentes e 1,1 milhão de mortes por ano no mundo. Embora seja uma doença que possa ser prevenida, tratada e curada, a cada ano são notificados aproximadamente 70 mil novos casos e ocorrem cerca de 4,5 mil mortes no Brasil.

A transmissão da tuberculose ocorre a partir da inalação de aerossóis oriundos das vias aéreas, durante a fala, espirro ou tosse das pessoas com tuberculose ativa (pulmonar ou laríngea), que lançam no ar partículas em forma de aerossóis que contêm bacilos. Cada paciente com tuberculose pulmonar que não faz o tratamento adequado pode infectar, em média, 10 a 15 pessoas por ano. Alguns fatores contribuem para espalhar a doença como a pobreza, a aids, desnutrição, más condições sanitárias e alta densidade populacional.

O principal sintoma é a tosse seca ou produtiva. Por isso, é recomendado que todo sintomático respiratório seja investigado para tuberculose. Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como: febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento, cansaço/ fadiga.

Caso o indivíduo apresente sintomas de tuberculose, é fundamental que procure a unidade de saúde mais próxima de sua residência para a avaliação e realização dos exames. Se o resultado for positivo, deve-se iniciar o tratamento o mais rápido possível e segui-lo até o final.

Para outras informações sobre a doença, a Prefeitura disponibiliza o Programa de Tuberculose: (31) 3839-2870.

Imunização – Prefeitura inicia campanha de prevenção contra febre amarela

Começou na segunda-feira (7) a campanha da Prefeitura de prevenção contra a febre amarela. A doença, que no ano passado infectou 11 pessoas no município – das quais cinco resultaram em morte -, pode ser prevenida por meio da imunização.

A campanha conta com a distribuição de material explicativo e o levantamento da cobertura vacinal da população. Todas as ações são coordenadas e realizadas por equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Nesta semana, os servidores percorreram a região dos bairros Santa Ruth e Santa Marta para realizar o levantamento, que contemplará todo o município. Na próxima semana, a proposta acontece no distrito de Ipoema e região do bairro Praia.

Nossas equipes estão indo de casa em casa para verificar os cartões de vacinação. Caso este não esteja em dia, o usuário poderá tomar a vacina neste momento. Por isso, é muito importante que a população esteja atenta, com o cartão de vacina em mãos, para facilitar o trabalho das equipes itinerantes”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

A única forma de evitar a febre amarela é por meio da vacinação. A vacina é recomendada para todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira. Apenas uma dose garante imunidade por toda a vida. As crianças devem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a ovo. Gestantes e idosos devem passar por uma avaliação médica.

Nos anos de 2017 e 2018, fizemos um levantamento e vacinação dos habitantes de Itabira. Mas constatamos, inclusive no estado de Minas Gerais, que ainda temos um público muito grande sem imunizar. Essa é uma situação preocupante. Portanto, precisamos passar para toda a população esse alerta: quem ainda não tomou a vacina deve procurar sua unidade de saúde o mais rápido possível porque existe o risco de se contrair a doença”, finalizou Thereza Andrade.

Conscientização – Prefeitura promove mobilização na luta contra a Aids

A fim de conscientizar a população sobre o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV)/ Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids), a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promoverá uma blitz educativa neste sábado (1º). A ação pelo Dia Mundial de Luta contra a Aids acontecerá das 8h às 12h, na avenida João Pinheiro, Centro (em frente ao Mercado Municipal Caio Martins da Costa).

Toda a atividade será coordenada e desempenhada por servidores do Programa Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)/HIV/Aids e Hepatites Virais, da Policlínica Municipal de Itabira. A blitz abordará pedestres e comércios locais para orientar sobre a importância da prevenção da Aids e doenças sexualmente transmissíveis. Durante o evento serão distribuídos preservativos e material educativo.

De acordo com a psicóloga do programa, Janaína Ávila, estima-se que em todo o mundo cerca de 36,9 milhões de pessoas vivam com HIV. No entanto, muitas pessoas ainda não conseguem entender a diferença entre o HIV e a Aids.

Infelizmente, muitas pessoas ainda têm ideias erradas sobre a Aids. Muitas pessoas acreditam que a Aids e o HIV são a mesma coisa, quando na verdade não são. O HIV é o vírus da Imunodeficiência Humana e a Aids é a síndrome provocada por esse vírus. Ou seja, a pessoa pode ter HIV e não ter Aids. Quando alguém tem a síndrome, o HIV destrói as células do corpo, o organismo enfraquece e as doenças oportunistas podem se manifestar. Por isso, as campanhas educativas são tão importantes. É essencial que o indivíduo saiba se prevenir e como se tratar caso seja infectado pelo HIV”, explicou a superintendente.

Adriana Cruz ressaltou ainda a importância de orientar a população que uma pessoa portadora de HIV, mesmo não tendo Aids, pode transmitir o vírus. “Por isso, a importância do uso da camisinha em todas as relações sexuais e de seringas e agulhas descartáveis”, disse. Segundo o Ministério da Saúde, de 1980 a junho deste ano, foram identificados 926.742 casos de Aids no Brasil. O país tem registrado, anualmente, uma média de 40 mil novos casos de Aids nos últimos cinco anos.

Conscientização – Prefeitura promove palestra no Dia Mundial do Diabetes

Nesta quarta-feira (14), a Prefeitura de Itabira/ Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vai promover uma palestra sobre o diabetes para usuários da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Centro. A ação acontece no Dia Mundial do Diabetes, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção e sobre a doença.

Participam da atividade o grupo operativo com pacientes diabéticos da UBS Centro. Além das informações sobre a doença, os participantes poderão aprender mais sobre os cuidados e descarte correto dos materiais perfurocortantes.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, existem atualmente, no Brasil, mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença, o que representa 6,9% da população. Em Itabira, a Prefeitura fornece os medicamentos gratuitamente na Farmácia Municipal (Centro). A melhor forma de prevenção da diabetes é a prática de atividades físicas regulares, manter uma dieta saudável e evitar o consumo de álcool, tabaco e outras drogas.

Vai lá: A palestra acontece nesta quarta-feira, às 8h30, no auditório do Centro Estadual de Atenção Especializada (Ceae), antigo Centro de Referência Integrado Viva Vida Hiperdia, avenida João Pinheiro, 791, Centro.

Saiba mais

O Ministério da Saúde explica que o diabetes é uma doença crônica, não transmissível, que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o corpo não consegue mais utilizar de maneira eficaz a insulina que produz. A insulina é o hormônio que regula a glicose no sangue e é fundamental para a manutenção do bem-estar do organismo, que precisa da energia dela para funcionar. No entanto, as altas taxas de glicose podem levar à complicações no coração, artérias, olhos, rins e nervos. Em casos graves, o diabetes pode levar à morte.

O diabetes tipo 1 é mais comum em crianças, adolescentes e adultos jovens. Neste caso, ocorre produção insuficiente de insulina pelo pâncreas: os pacientes devem tomar injeções diárias de insulina para que a taxa de glicose no sangue seja mantida em níveis normais.

Já o diabetes tipo 2, que corresponde a 90% dos casos, ocorre geralmente em pessoas obesas com mais de 40 anos de idade, embora atualmente é verificada com maior frequência em jovens – devido aos maus hábitos alimentares, sedentarismo e estresse. Neste tipo de diabetes, há a presença de insulina: porém, sua ação é dificultada pela obesidade, o que é conhecido como resistência insulínica.

Mutirão para procedimentos gratuitos – Em dois dias, Prefeitura de Itabira realiza 33 cirurgias de pterígio

Mais 33 cirurgias foram realizadas no último fim de semana, por meio da Prefeitura de Itabira/ Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Desta vez, os procedimentos foram para a retirada de pterígio – uma alteração da conjuntiva límbica que cresce sobre a superfície da córnea em direção à pupila. As intervenções aconteceram no sábado (3) e domingo (4), no Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC).

O mutirão de cirurgias é um plano de ação para reduzir a fila de espera na rede pública. Ao todo, 60 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) aguardavam pelo procedimento. “Alguns pacientes estavam na fila de espera desde 2011. Também tínhamos muitos pacientes aguardando a cirurgia desde os anos de 2015 e 2016. A oportunidade foi oferecida a todos os 60 pacientes que estavam na fila. No entanto, oito deles não quiseram participar, seja por já ter feito a cirurgia ou tratamento adequado”, explicou a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo. Além disso, dos 42 que fariam a cirurgia, sete não puderam ser operados por diversas razões. Outros dois pacientes não compareceram.

Segundo especialistas, a cirurgia – que consiste na remoção do pterígio – somente deve ocorrer quando os tratamentos convencionais falham; há comprometimento da acuidade visual (capacidade para identificar o contorno e a forma dos objetos) do paciente; ou quando há incômodo com a aparência estética. Normalmente, o pterígio não é uma doença grave. Entretanto, pode provocar sintomas e sinais muito desagradáveis.

Trata-se de uma doença que geralmente afeta as pessoas que passam muito tempo ao ar livre, expostas ao vento e ao sol, podendo afetar um ou ambos os olhos. O pós-operatório não é doloroso e o tempo de recuperação e repouso é curto. É frequente os pacientes retomarem as atividades normais em poucos dias após o procedimento”, disse Rosana Linhares.

pterigio-660x330

Prevenção – Campanha de vacinação contra gripe começa na próxima segunda-feira

Na próxima segunda-feira (23), o Ministério da Saúde iniciará a Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza em todo o país. Em Itabira, ela é realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). As doses serão aplicadas até o dia 1º de junho em todas as unidades de saúde do município que possuem sala de vacinação. Esta é uma das estratégias para diminuir o impacto da gripe na população.

Não há nenhuma alteração em relação ao público que deve ser imunizado, em comparação ao ano passado. A escolha dos grupos prioritários a serem vacinados deve-se ao fato de serem indivíduos mais vulneráveis aos efeitos da doença.

Devem ser vacinados os seguintes grupos: pessoas com 60 anos de idade ou mais; crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores das escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; e funcionários do sistema prisional. Nossa expectativa é imunizar 90% das pessoas incluídas nos grupos prioritários”, disse a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade.

De acordo com informações fornecidas pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), todos os anos os subtipos dos vírus da gripe que serão incluídos na vacina mudam. Este ano, a vacina utilizada na campanha de vacinação será a trivalente. “As vacinas garantem proteção por, aproximadamente, um ano, e a pessoa fica protegida a partir da segunda semana após a administração”, ressaltou Thereza Andrade. Ela acrescentou ainda que a atualização da vacina contra a gripe faz parte das recomendações feitas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para garantir maior eficácia do produto.

Outras medidas preventivas

O vírus Influenza é transmitido por meio do contato com secreções das vias respiratórias que são eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O período de maior circulação do vírus da gripe ocorre, principalmente, de junho a agosto.

Por isso, o Ministério da Saúde orienta que a população em geral adote algumas medidas para evitar a doença, como lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evitar tocar o rosto, não compartilhar objetos de uso pessoal e manter os ambientes arejados.

Unidades de Saúde que possuem sala de vacinação:

UBS Água Fresca, UBS Amazonas/ Areão, UBS Barreiro, UBS Clóvis Alvim/ Bethânia, UBS Centro/ Vila Santa Rosa, UBS Campestre, UBS Chapada, UBS Eldorado, UBS Fênix, UBS Gabiroba de Cima, UBS Gabiroba de Baixo, UBS João XXIII/ Machado, UBS Major Lage, UBS Praia I, UBS Praia II/ Juca Rosa, UBS Pará, UBS Pedreira, UBS Santa Ruth/ Santa Marta, UBS Jardim das Oliveiras, Policlínica, Ipoema e Senhora do Carmo.

A vacinação pode ser feita de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h. O Dia D – data da mobilização nacional da campanha – será no sábado, 12 de maio, das 8h às 17h, em todas as unidades básicas de saúde.

Itabira tem surto de conjuntivite com 152 casos notificados

A Secretaria Municipal de Saúde alerta para o surto de conjuntivite em Itabira. Desde o início do mês, já foram notificados 152 casos. “Um surto é quando há o aumento repentino do número de casos de uma doença em uma região específica, relacionados entre si, em um curto espaço de tempo”, explica a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

Segundo Thereza Andrade, os municípios não são obrigados a notificar número de casos de conjuntivite, exceto se houver surtos. Ou seja, não é possível contabilizar o número certo de pessoas que foram infectadas pela doença. As notificações só foram obrigatórias após o Governo do Estado reconhecer a existência de surto em Minas Gerais. Acreditamos que o número de infectados em Itabira é muito maior, em razão das notícias que tivemos de pessoas que tiveram o problema e relatos de clínicas de olhos, onde aumentou significativamente o número de atendimentos em razão da doença”, explica Thereza Andrade.

Surtos de conjuntivite podem ocorrer em qualquer época do ano, porém, a incidência é mais comum no verão e primavera. Os sintomas da doença são olhos avermelhados e lacrimejantes, pálpebras inchadas e avermelhadas, secreção esbranquiçada e sensação de areia nos olhos. Normalmente, a doença tem duração de 15 dias até a evolução para a cura.

Vírus e bactérias podem ser causadores da conjuntivite, além de reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes como fumaça, cloro de piscinas, produtos de limpeza ou maquiagem. Em relação à transmissão da doença, caso tenha sido causada por vírus e bactérias, ela ocorre de pessoa para pessoa, principalmente por meio de objetos contaminados, maquiagens, toalhas, travesseiros, lenços e copos. Normalmente, a disseminação é rápida em ambientes fechados. Por isso, é recomendado que o paciente se afaste temporariamente de ambientes coletivos.

Na rede pública – Em razão do surto de conjuntivite no Estado de Minas Gerais, já está disponível em todas as farmácias municipais o colírio Sulfato de Gentamicina. O medicamento é padronizado pela Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (Remume) e está indicado no tratamento das infecções externas do globo ocular e seus anexos, tratamento da conjuntivite, inflamações da córnea, dos olhos, da pálpebra e do saco lacrimal. Para atendimento nas farmácias, as receitas devem ser feitas em duas vias e em talonário SUS.

Como se prevenir – Não compartilhar itens pessoais como maquiagem, travesseiros, óculos e toalhas de mão e rosto; cobrir o nariz e a boca quando tossir ou espirrar e evitar esfregar ou tocar os olhos; lavar as mãos frequentemente, especialmente quando passar tempo na escola ou em outros lugares públicos; usar com frequência um desinfetante manual como o álcool gel; limpar sempre as superfícies com um antisséptico apropriado; usar óculos de natação para se proteger de bactérias e outros microrganismos presentes na água; usar lenços de papel para secar ou limpar os olhos e jogá-los fora após o uso; não usar lentes de contato ou maquiagem na região dos olhos enquanto eles ainda estiverem vermelhos ou irritados; separar a toalha de rosto e travesseiro, de preferência trocar a fronha e a toalha todos os dias; usar apenas o medicamento indicado pelo seu médico e lavar os olhos com água filtrada ou tratada; fazer compressas frias várias vezes por dia e lavar o rosto e os olhos com água gelada sempre que possível.

Em caso de baixa de visão, é necessário procurar novamente o oftalmologista.

Febre Amarela: Secretaria de Saúde intensifica vacinação casa a casa

Desde a semana passada, profissionais de saúde estão indo de casa em casa para apurar a situação vacinação da população e imunizar contra a febre amarela aqueles que ainda não foram imunizados.

A ação começou com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS), que fazem o levantamento nominal dos não vacinados e orientam para que procurem uma unidade de saúde. De acordo com a superintendente de Ações em Saúde, Heloísa Helena Martins, este trabalho já está surtindo efeito. O número de pessoas para se vacinarem aumentou em todas as unidades de saúde.

Levando em conta os endereços constados nas notificações da doença, profissionais dos PSFs também estão fazendo uma verdadeira varredura no município para bloqueio da doença. De casa em casa, esta equipe está imunizando os moradores. As primeiras ações de intensificação ocorreram no Barreiro – incluindo o entorno –, Santa Marta, Santa Ruth, Gabiroba, Centro e Vila Santa Rosa.

Escolhemos o Barreiro para começar porque já registramos três mortes naquela região: uma no próprio Barreiro, uma no Morro do Chapéu e outra na localidade de Cachoeiras. O Santa Marta é porque, além de termos um caso em investigação, é uma região com mata”, explicou Heloísa Martins. Durante esta semana o trabalho continua de casa em casa.

Também, para impedir o avanço da doença, duas ações são deflagradas quando é registrado um caso suspeito: a inspeção a Secretaria de Saúde, em parceria com a Polícia Militar Ambiental, está fazendo a inspeção das matas no entorno do bairro onde reside a pessoa com suspeita de febre amarela. Também no entorno da casa da pessoa com suspeita, a Secretaria de Saúde está aplicando UBV.

Vacinação – Para aumentar o bloqueio contra a febre amarela, durante o mês de fevereiro a Secretaria Municipal de Saúde montou esquema especial. Na semana que antecedeu o Carnaval, a Policlínica estendeu seu horário de funcionamento até as 20h para vacinar. No dia 24, sábado, a Policlínica também funcionou das 8h às 16h exclusivamente para vacinar contra a febre amarela. Foram imunizadas mais de 500 pessoas. Entre os dias 26 de fevereiro e 2 de março, oito unidades de saúde funcionaram em esquema especial – até às 20h – para vacinação. No dia 3 de março, nove unidades de saúde – inclusive os PSFs de Senhora do Carmo e Ipoema – fizeram plantão para imunização contra a febre amarela.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta alerta mais uma vez: “a vacinação é a forma mais eficaz e segura para evitar a doença. Conclamo, mais uma vez a todos aqueles que ainda não se vacinaram, a procurar uma unidade de saúde e se imunizar. Todos os óbitos registrados em Itabira foram de pessoas sem histórico vacinal”, informa.

A doença – Em Itabira, no período de 27 de janeiro a 21 de fevereiro, seis pessoas morreram vítimas da febre amarela – cinco homens com idades entre 38 e 54 anos e uma mulher de 50 anos – confirmadas por febre amarela. Uma pessoa foi diagnosticada com a doença e continua internada. Outras 14 pessoas que tiveram sintomas da doença aguardam resultado do exame.

As mortes ocorreram nos bairros Major Lage de Baixo, Barreiro, Campestre, Gabiroba de Cima e nas localidades rurais de Morro do Chapéu e Cachoeiras.

Situação grave – Sobe para cinco o número de mortes por febre amarela em Itabira

Sobe para cinco o número de mortes por febre amarela em Itabira neste ano. O número foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. Segunda ela, nenhuma das vítimas havia sido vacinada. O sexto óbito com sintomas da doença ainda está sendo investigado pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte.

Há ainda um paciente internado com a doença e outras 13 internações com sintomas de febre amarela que ainda não tiveram o diagnóstico confirmado. No entanto, 22 casos já foram descartados. Apenas em 2018, 42 casos suspeitos foram notificados em Itabira.

A SMS alerta para a importância da vacinação neste momento. De acordo com Thereza Andrade, a meta do Governo Municipal é imunizar 100% da população que não possui contraindicação para a vacina. Para isso, a SMS intensificou a campanha de vacinação nos últimos dias. Uma nota oficial da Sociedade Mineira de Infectologia (SMI), divulgada na última sexta-feira (2), esclarece que a vacina é eficaz e oferece uma proteção em torno de 98%. “Apesar de ocorrerem raros casos de doença em indivíduos imunizados, formas graves entre as pessoas vacinadas sã bastante incomuns”, diz o boletim.

A vacina é hoje a forma mais eficaz e segura para conter o avanço da doença no município. É importante que todas as pessoas que ainda não foram vacinadas contra a febre amarela procurem uma unidade de saúde e se imunizem. Quanto maior a cobertura vacinal, menor o risco das pessoas adoecerem e do vírus se disseminar”, declarou Thereza Andrade.

Entenda

A febre amarela é transmitida pela picada dos mosquitos transmissores infectados a pessoas não vacinadas. A transmissão de pessoa para pessoa não existe. Assim como os primatas não transmitem o vírus para os seres humanos. A única forma de evitar a febre amarela é a vacinação contra a doença. A vacina é gratuita e está disponível nas unidades de saúde do município. Ela é recomendada a todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira, que está classificada na categoria 3, ou seja, passa por um surto de febre amarela.

As crianças podem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, a vacina é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo. Gestantes e idosos devem passar por avaliação médica. Em Itabira, a avaliação também poderá ser feita pelo enfermeiro da UBS a qual o usuário pertence.

Surto em Itabira – Febre amarela deixa município em alerta: mais de mil pessoas procuram a Policlínica para imunização

No último sábado (24), Dia D de vacinação contra a febre amarela em Itabira, mais de mil pessoas procuraram a Policlínica Municipal para serem imunizadas contra o vírus. No entanto, foram vacinadas 543 pessoas. De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica do município, Natália Franco Barbosa de Andrade, o número significativo de atendimentos no Dia D demonstra a preocupação do itabirano com a doença.

Itabira está classificada na categoria 3, ou seja, estamos sofrendo com um surto de febre amarela. Por isso, pedimos para que todas as pessoas que ainda não foram vacinadas procurem uma unidade de saúde o mais depressa possível. No Dia D, muita gente foi até a Policlínica com dúvida se já tinha sido imunizada ou não. Assim, após verificação, constatamos que muitos já haviam sido vacinados e não precisariam tomar uma nova dose. Tivemos casos, inclusive, de pessoas que já haviam recebido duas doses da vacina”, disse.

Os dados atualizados da SMS advertem sobre a importância e necessidade de se imunizar toda a população. As informações levantadas dão conta de que houve um aumento significativo do número de notificações envolvendo a doença em Itabira. Ao todo, temos: 2 óbitos confirmados, 4 óbitos em investigação; 23 casos suspeitos em investigação, 5 descartados.

A campanha da Prefeitura de Itabira, que tem como meta vacinar todas as pessoas que ainda não receberam nenhuma dose da vacina, continua nesta semana. Para isso, a SMS montou uma escala de funcionamento especial para as unidades de saúde. Confira:

Data                         Unidade                             Horário

26/02    Policlínica e UBS Areão/ Amazonas        das 8h às 20h

27/02            Policlínica e UBS Pará                  das 8h às 20h

28/02         Policlínica e UBS Major Lage            das 8h às 20h

01/03    Policlínica e UBS João XXIII/ Machado   das 8h às 20h

02/03            Policlínica e UBS Centro                das 8h às 20h

No sábado (3), acontecerá um novo mutirão de vacinação. Desta vez, as seguintes unidades de saúde estarão abertas das 8h às 16h: Policlínica, UBS João XXIII/ Machado, UBS Água Fresca/ Juca Batista, UBS Ipoema, UBS Senhora do Carmo, UBS Vila Santa Rosa/ Centro, UBS Areão/ Amazonas, UBS Pará e UBS Eldorado.

Todos os usuários devem levar o cartão de vacina. As pessoas acima de 60 anos de idade precisam apresentar uma avaliação médica com autorização para se vacinar. A avaliação também poderá ser feita pelo enfermeiro da UBS a qual o usuário pertence.

Scroll To Top