terça-feira , 25 junho 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: Museu de Itabira

Arquivos de Tag: Museu de Itabira

Irmã de Elke, Francisca Grunupp acompanha exposição sobre a artista em Itabira

“Todas estas peças carregam e transmitem uma energia dela”, diz Francisca Grunupp, 67, ao caminhar pela exposição em memória da irmã, Elke Maravilha, em cartaz no Museu de Itabira. À reportagem, Francisca fala de vibrações e da crença de que peças usadas por alguém armazenam reflexos e marcas de uma individualidade. “Elke se mantém viva”, diz, convicta.

Até domingo (7), conforme divulgado pela Prefeitura de Itabira, visitantes podem ter a oportunidade de conversar com Francisca, que ficará hospedada na cidade até a data. Aliás, Francisca é nascida no Município, cidade que acolheu a família Grunupp quando recém-chegada da Rússia na década de 1950. Atualmente, ela mora na França.

Afilhada de Miriam Brandão, ex-secretária de Turismo, Francisca cita que trazer à cidade os adornos e roupas de Elke não foi por acaso. “Há um ciclo”, aponta, em referência ao tempo em que sua família morou em Ipoema, na Fazenda Cubango.

“Quando aconteceu a passagem de Elke, nos preocupamos das roupas, acessórios e todo seu legado ficarem ‘a Deus dará’. Nós, familiares, decidimos manter o legado dela. Elke tinha tamanha devoção ao Brasil, e, a visão que ela tinha precisa continuar”.

 DSCN4743

Em tempo

Elke Maravilha, nome de estrelato para Elke Georgievna Grunnupp, nasceu na Rússia em 1945. Logo após a Segunda Guerra, sua família mudou-se para o Brasil, onde viveu em Itabira na década de 1950. Dos irmãos de Elke, Gregório, Francisca e Waldemar nasceram na cidade. Cornelius Frederico nasceu em Atibaia, interior de São Paulo, e George, na capital paulista.

Elke atuou como modelo, apresentadora, atriz e jurada; deu entrevistas polêmicas e tinha histórias inusitadas. Morreu em 2016, aos 71 anos, no Rio de Janeiro.

No último sábado (29), na reabertura do Museu de Itabira, foi inaugurada a exposição “Uma Maravilha Itabirana: Elke”, com peças de roupas, acessórios e fotos da artista. A exposição permanecerá em cartaz até dezembro.

O público pode conferir a mostra de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h30 às 16h30. O Museu de Itabira está localizado na Praça do Centenário. Outras informações pelo telefone (31) 3839-2992.

DSCN4742

Memória recuperada – Ronaldo Magalhães oficializa reabertura do Museu de Itabira

E em andamento, construção de um museu no Centro de Tradições, em Senhora do Carmo e de um centro de apoio ao turista na Serra dos Alves

Com a praça do Centenário lotada em uma fresca noite de sábado (29), o prefeito Ronaldo Magalhães oficializou a reabertura do Museu de Itabira, que durante um ano recebeu uma reforma proporcional à sua importância histórica e cultural.

Após a palestra do romancista e ensaísta Rui Mourão, ex-diretor do gigante Museu da Inconfidência (Ouro Preto/MG), o prefeito e sua equipe deram início à solenidade de reinauguração, que também contou com a presença de Francisca Grunnupp, irmã de Elke Maravilha – titular da exposição em cartaz – e Maria do Carmo Bresser Fonseca, filha de Miguel Bresser – primeiro fotógrafo itabirano e homenageado com uma das salas do museu.

“Há mais de um ano estamos trabalhando para resgatar uma memória que estava deixada de lado e foi uma soma de esforços que possibilitou a entrega deste maravilhoso patrimônio à comunidade, que se sentia frustrada com um importante monumento fechado”, destacou José Don Carlos Alves Santos, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo (SMDECTIT). Além disso, o secretário avaliou que a reabertura do Museu de Itabira irá contribuir para a economia do município. “Acima de tudo é um espaço que vai atrair turistas e mostra o nosso potencial para gerar emprego e renda”.

Para Ronaldo Magalhães, é obrigação da administração pública resguardar o patrimônio histórico-cultural da cidade. “Buscamos alternativas para reformá-lo e restaurá-lo. Eu, como prefeito de uma cidade com 300 anos de história, não podia deixar que tudo o que foi construído no passado, se perdesse no tempo”. O prefeito se referiu ainda a situação que o patrimônio foi encontrado no começo de sua gestão. “Quando tomamos posse (2017) o museu estava sem condição de reabrir, fechado há seis anos e com muitos danos, tanto na parte estrutural quanto no acervo. No entanto, a exemplo do meu primeiro mandato, quando restauramos a Casa de Drummond, reconstruímos a Fazenda do Pontal e inauguramos o Museu do Tropeiro, entendo ser a nossa obrigação deixar um legado para os jovens que chegam dar continuidade à história da cidade”.

Assim que assumiu, em janeiro do ano passado, a gestão Ronaldo Magalhães iniciou os trabalhos no Museu de Itabira começando pela organização do acervo, amontoado na parte inferior de prédio. Além da reforma em vários pontos de madeira, como janelas, esquadrias, e piso, da pintura geral e descupinização do local, uma parte estrutural também precisou ser recuperada – três pilares tinham graves avarias. O maior impacto, no entanto, foi no primeiro problema identificado na época: a troca aleatória do forro original saia-e-camisa do salão principal, por um de madeira comum, ação que descaracterizou o imóvel histórico.

mus_02

Quase conterrânea

Com os problemas resolvidos, o museu foi reaberto com a exposição “Uma Maravilha Itabirana: Elke”, onde roupas, acessórios, objetos pessoais e fotos da artista estão expostos na parte superior do sobrado.

O acervo, cedido pela família de Elke Maravilha e com supervisão de sua irmã Francisca Grunnupp, chegou a Itabira por meio da ex-secretária de Turismo, Míriam Brandão (amiga da família e madrinha de Francisca) e inaugura a primeira exposição oficial da artista no Brasil. “A nossa família começou aqui e a nossa ligação com Itabira vai muito além deste plano. Depois de sua morte, resolvemos dar um sentido ao que ela fez e viveu”, justificou. Sobre as peças escolhidas, Francisca contou que os visitantes encontrarão a filosofia de Elke. “Ela nasceu na Rússia, poderia ter feito uma carreira internacional, mas escolheu o Brasil, ela se deu para este país e se interessava muito por história, principalmente a brasileira. Então, nesta exposição, as pessoas poderão apreciar e ver o que era o bom gosto da Elke, sua alegria e filosofia de vida. Tudo que ela quis transmitir, está lá (no museu)”.

A exposição ficará em Itabira até o início de janeiro, aberta ao público de terça a sexta-feira, das 9 às 18 horas; sábado, domingo e feriado, das 10h30 às 16h30. Durante a primeira semana, entre os dias 1’ e 7/10, Francisca Grunnupp guiará os visitantes para detalhar um pouco mais as histórias de cada peça.

mus_03

Não acabou

Dando continuidade às ações para o turismo da região, Don Carlos anunciou a criação de um museu no Centro de Tradições, em Senhora do Carmo. O projeto, segundo ele, já está em andamento e conta com museólogo e restaurador. “Este trabalho já começou, está na parte arquitetônica e o objetivo é que o Centro de Tradições tenha uma atuação igual a do Museu do Tropeiro”, explicou o secretário. Ainda sobre patrimônio, a Prefeitura também está trabalhando na criação de “um receptivo na Serra dos Alves”. De acordo com Don Carlos, a localidade tem um importante viés turístico e, “por isso, queremos solidificar adequadamente esse instrumento para atrair ainda mais visitantes”.

Outro projeto da SMDECTIT é o Museu do Minério, mencionado na última quinta-feira (27), durante o bate-papo do prefeito Ronaldo Magalhães com representantes dos conselhos de Turismo, Cultura e Desenvolvimento Econômico, mas ainda em fase inicial. “Temos 26 projetos aprovados pelo Codecon (Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico do Município de Itabira), sendo 13 relacionados diretamente com o turismo. Para falar mais sobre este museu, que ainda está na fase descritiva, teremos uma reunião com a Vale em breve”, finalizou Don Carlos.

Museu de Itabira será reinaugurado neste sábado, com Rui Mourão e exposição sobre Elke Maravilha

Especialistas finalizam detalhes para uma ocasião ímpar ao Município: a reabertura do Museu de Itabira, ponto alto da Semana do Turismo e da Música da cidade. As portas do sobrado histórico da Praça do Centenário serão abertas ao público neste sábado (29), com cerimônia, debate com o romancista e ensaísta Rui Mourão e uma exposição com peças de roupas, acessórios e fotos da atriz Elke Maravilha.

A reinauguração do museu, sob gestão da Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo (SMDECTIT), ocorre a partir das 19 horas. O evento é aberto ao público, com visitação controlada respeitando a lotação máxima do espaço.

O primeiro evento, pontua o titular da SMDECTIT, José Don Carlos, será uma palestra com Rui Mourão, no auditório do prédio histórico. O escritor mineiro tem currículo notório, marcado pela direção do Museu da Inconfidência por mais de quatro décadas. O monumento ouro-pretano é um dos principais do país.

Mourão falará a um público-alvo formado por representantes de setores como os conselhos municipais de Política Cultural (CMPC), de Patrimônio Histórico e Artístico (Comphai); e Turismo (COMTUR). A palestra do escritor abordará o contexto e representação dos espaços históricos.

Rui Mourao - Foto Instituto Brasileiro de Museus

FOTO: IBRAM

Na sequência, às 20h30, são esperadas diversas autoridades à solenidade de descerramento da placa e abertura da visitação ao Museu de Itabira. Entre os convidados estão o secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo, figuras políticas da região e representantes da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais (ACHMG).

“A abertura do museu é um resgate da história da nossa cidade. Sobretudo num momento em que vivenciamos a tragédia do Museu Nacional, a reabertura do Museu de Itabira tem grande importância ao patrimônio histórico local e também ao nacional”, destaca José Don Carlos.

Minas ao Luar

Às 21 horas, Itabira recebe o Minas ao Luar, do Sesc, no ambiente externo ao museu. No palco se apresentam Mauro Silva e banda, com repertório marcado pela tradição seresteira. O público terá à disposição barracas com bebidas e pratos diversos.

Exposição

O piso superior do museu inaugura neste sábado a exposição “Uma Maravilha Itabirana; Elke”. A mostra traz à cidade vestimentas e adornos usados pela artista ao longo da carreira e fotografias que lembram sua trajetória.

FOTO: GUILLERMO GIANSANTI/DIVULGAÇÃO

FOTO: GUILLERMO GIANSANTI/DIVULGAÇÃO

Elke Grunnupp nasceu na Rússia, em 1945. Logo após a Segunda Guerra, a família de Elke mudou-se para o Brasil, onde desembarcou em Minas Gerais. Viveram em Itabira na década de 1950, na Fazenda Cubango, distrito de Ipoema. Inclusive, dos irmãos de Elke, Gregório, Francisca e Waldemar nasceram na cidade.

Ela foi uma artista multifacetada: atuou como modelo, apresentadora, atriz e jurada; deu entrevistas polêmicas e tinha histórias inusitadas. Morreu em 2016, aos 71 anos, no Rio de Janeiro. “O Museu de Itabira tem como objetivo prestar homenagem a uma das grandes personalidades itabiranas: a maravilhosa Elke. Ao longo da sua carreira Elke Maravilha sempre enfatizou seu carinho e pertencimento para com o Município de Itabira, além de fazer muitos amigos, fãs e admiradores”, destaca a historiadora Ana Alvarenga.

Em 1962, Elke Maravilha foi escolhida Glamour Girl em Belo Horizonte - Foto Reproducao-Album pessoal

FOTO: REPRODUÇÃO/ÁLBUM PESSOAL

As peças trazidas a Itabira foram cedidas pela família da artista. A exposição estará em cartaz até o mês de dezembro. O público pode conferir a mostra de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 10h30 às 16h30.

Museu

Fechado para o público há aproximadamente seis anos, o museu passou por complexas obras de restauro, conservação de peças e manutenção da infraestrutura, assumidas pela atual gestão da Prefeitura de Itabira. O espaço foi criado na década de 1970.

Serviço: Reinauguração do Museu de Itabira

Data: 29/09

Horário: a partir das 19 horas

Entrada franca

Outras informações: (31) 3839-2992

De 21 a 30 de setembro – Semana do Turismo e da Música de Itabira promete movimentar o município

Oficinas, palestras, roteiros, arte e muita música são as atividades programadas para a Semana do Turismo e 7ª edição da Semana de Música de Itabira. As atrações, que prometem movimentar o município entre os dias 21 e 30 de setembro, são promovidas pela Prefeitura de Itabira e Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA).

No primeiro dia de evento haverá uma reunião com representantes das cidades históricas de Minas Gerais, na Fazenda do Pontal. No sábado (22), a partir das 21 horas, o público poderá conferir uma edição especial da tradicional Roda de Viola.

Uma das atrações mais aguardadas pelo público é a palestra ministrada pelo coronel Leite, militar da Força Aérea Brasileira (FAB) e apresentador dos programas Desafio em Dose Dupla – Brasil e Desafio Celebridades, do canal de TV paga Discovery Channel. O evento acontecerá na quinta-feira (27), às 19 horas, no teatro da FCCDA.

No entanto, para o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo (SMDECTIT), José Don Carlos Alves dos Santos, o ponto alto de toda a programação é a reabertura do Museu de Itabira, no sábado (29), às 19 horas, na Praça do Centenário. Durante o evento, haverá palestra com Rui Mourão, escritor e diretor do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto. Logo após, a partir das 21 horas, o público apreciará o show Itabira ao Luar.

Todo o nosso esforço está também em buscar caminhos à diversificação econômica de Itabira e o turismo é um desses meios. Estamos fazendo parcerias com outros museus do estado, para que nosso museu receba exposições de relevância à cena histórica local”, declarou Don Carlos.

Programação da Semana do Turismo e 7ª edição da Semana da Música de Itabira

Dia 21/09 – Sexta-feira

14h – Reunião das Cidades Históricas de Minas/ Apresentação do Coral da FCCDA e Drummonzinhos

Local: Fazenda do Pontal

Dia 22/09 – Sábado

21h – Roda de Viola

Local: Ipoema

Dia 23/09 – Domingo

17h às 21h – Arena Hip Hop: shows com Manu Máfia NVS, Thiago SKP e Gigante Napalm

Local: Praça Acrísio de Alvarenga

Dia 24/09 – Segunda-feira

14h20 – Workshop A História da Música, com Marquinhos

Local: Casa do Brás

19h – Apresentação dos Drummonzinhos/ Roteiros turísticos para a rede de alimentação e bebidas, com Fernando Guimarães Ottoni (Veredas Consultoria)

Local: Auditório do CDL

Dia 25/09 – Terça-feira

10h e 15h – Roteiros turísticos para calouros

Local: Auditório da Unifei

18h – Drummonzinhos e recital de violão com o professor da Escola Livre de Música de Itabira, Everton/ Circuito do Ouro e palestra Empreendedorismo e Turismo, com Hernani de Castro

LocaL: Auditório da Acita

Dia 26/09 – Quarta-feira

9h e 14h – Oficina de Canto, com Deni Perotti

Local: Casa do Brás

Dia 27/09 – Quinta-feira

8h30 – Café com Turismo (Comtur/ CMPC, Comphai)

Local: Fazenda do Pontal

9h e 15h – Recital de violino e violoncelo, com Rafael Ribeiro e Henrique Toledo

Local: Casa do Brás

13h – Apresentação La Trupe na Feira de Artes

Local: Largo do Batistinha

19h – Palestra com Cel. Leite (Discovery Channel)

Local: Teatro da FCCDA

Dia 28/09 – Sexta-feira

8h – Oficina Arranjos Didáticos – técnicas e Estratégias para Alunos Iniciantes, com Gilmar Iria

Local: Fazenda da Bethânia

14h – Oficinas Projeto Izza: O Corpo Canta e A Voz e a Presença Cênica, com Izza

Local: Casa do Brás

Dia 29/09 – Sábado

12h às 20h – Festival de Arte Tropeira

Local: Largo do Batistinha

19h – Reabertura do Museu de Itabira

20h30 – Palestra com Rui Mourão

21h – Apresentação dos Drummonzinhos e show Itabira ao Luar, com Mauro Silva

Local: Museu de Itabira (Praça do Centenário)

Dia 30/09 – Domingo

20h – Gilmar Iria convida Izza, Orquestras Brasileiras e Orquestra de Câmara da Escola Livre de Música de Itabira

Local: Teatro da FCCDA

Em tempo – As inscrições para as oficinas devem ser feitas na Casa do Brás – Rua Guarda-Mor Custódio, 156, Centro. Outras informações podem ser obtidas no site da FCCDA (www.fccda.com.br) ou pelo telefone (31) 3835-2152.

Museu de Itabira será reaberto em 29 de setembro

As obras de restauração do Museu de Itabira, na Praça do Centenário, estão em fase conclusiva. Fechado para o público há quase seis anos, o importante patrimônio histórico e cultural da cidade passou por complexas obras de restauro, conservação de peças e manutenção da infraestrutura. A reabertura do imóvel está agendada para o dia 29 de setembro, durante a Semana do Turismo e da Música.

O museu está hoje sob gestão da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo (SMDECTIT), que também administra outros imóveis históricos do município, a exemplo do Museu do Tropeiro, no distrito de Ipoema.

Outrora chamado Museu do Ferro, o Museu de Itabira foi criado na década de 1970. Seu último expediente ao público ocorreu em dezembro de 2012, mesmo ano em que o espaço foi reaberto após restaurações. A partir de então o sobrado sofreu deterioração, infiltrações e parte das peças e infraestrutura ficou à mercê dos cupins.

No fim do ano passado, a Prefeitura de Itabira anunciou a reforma do sobrado. À época, a Secretaria Municipal de Obras deu início a um preciso trabalho de troca do forro do salão principal, substituição de pilares, pintura, reforma de esquadrias e outros pontos da estrutura.

Data reagendada

Havia uma estimativa de que a reabertura do museu seria feita em maio deste ano. Titular da SMDECTIT, José Don Carlos esclareceu que após operar o espaço, a seção, que incorporou o museu no primeiro trimestre, observou melhorias complementares a serem feitas, inclusive para garantir a segurança dos visitantes. Um cronograma de obras incluiu, então, reparo da rede elétrica, descupinização de estruturas diversas, raspagem do piso – para retirar camadas de cera antigas e sujeira acumulada – e posterior aplicação de sinteco no assoalho, além de vistoria peça a peça do acervo.

29762828838_b858b3c642_z

Recentemente foi feita a raspagem do piso e aplicação de sinteco no assoalho

“O trabalho tem ocorrido de forma ininterrupta para essa importante preservação do Museu de Itabira. Paralelamente é formada a equipe de especialistas que irá atuar no local, a exemplo de uma historiadora, museóloga e restaurador”, destacou José Don Carlos.

Recuperação do acervo

A SMDECTIT consultou o conservador-restaurador Rangel Vieira, graduado pela Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop), sobre a situação dos exemplares existentes no museu. Segundo o especialista, houve a necessidade de higienizar e estabilizar o processo de degradação de dezenas de peças para que o acervo estivesse adequado à exposição.

Rangel Vieira faz a restauração de exemplares mantidos no espaço

Rangel Vieira faz a restauração de exemplares mantidos no espaço

No entanto, uma parcela significativa das peças foi comprometida por ação do tempo e infestação de insetos. A SMDECTIT realiza ainda uma catalogação do material degradado e recuperável, e, um processo de busca de novas peças às famílias tradicionais da cidade e também às empresas parceiras. Ademais, é adquirido mobiliário para suporte à visitação e exposição de peças no Museu de Itabira.

“Uma cidade sem memória é uma cidade sem história. Sem essa memória, as pessoas não se identificam e não se sentem itabiranas. A função do museu é essa. Minha expectativa após a abertura é que o itabirano venha ao museu, valorize-o, traga conhecidos, tenha esse carinho e também possa ajudar a compor o acervo”, citou, por sua vez, Ana Alvarenga de Souza, historiadora do município.

Semana do Turismo

Iniciativa da SMDECTIT para fomentar o segmento na cidade, a Semana do Turismo e da Música de Itabira terá palestras, apresentações culturais e outras atividades, com personagens da cena artística brasileira. Neste ano, a Semana ocorrerá de 21 a 30 de setembro e a programação será anunciada nos próximos dias, haja vista que os últimos detalhes são acertados.

“Todo o nosso esforço está também em buscar caminhos à diversificação econômica de Itabira e o turismo é um desses meios. Estamos fazendo parcerias com outros museus do estado, para que nosso museu receba exposições de relevância à cena histórica local”, concluiu José Don Carlos.

Prefeitura anuncia reforma do Museu de Itabira

Fechado há quase cinco anos, o Museu de Itabira – praça do Centenário – finalmente irá receber uma reforma proporcional à sua importância histórica e cultural. Os trabalhos, com início previsto para este mês, foram confirmados pela Prefeitura de Itabira.

Vamos iniciar a reforma em setembro, com previsão de concluí-la em até 90 dias. A expectativa é que fique pronto no final do ano”, afirmou o secretário municipal de Obras, Ronaldo Pires Lott que, ressaltou ainda, o tamanho da obra, “além da reforma de vários pontos de madeira, como janelas, esquadrias, e piso, da pintura geral e descupinização do local, também teremos que recuperar uma parte estrutural do museu, pois dois pilares que ficam no fundo do prédio estão bastante danificados, além de outro pilar com alguns barrotes dentro do prédio que também precisará de conserto”. Nesta etapa, o Município irá investir R$ 131,3 mil. No entanto, além desses serviços, de acordo com Ronaldo Lott, a Prefeitura também trocará o atual forro do salão principal, “por um novo, mas igual ao original”, frisou.

Forro

Em janeiro deste ano, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (SMDUMA) apresentou como a atual gestão recebeu o Museu de Itabira. Na época, a secretária-adjunta de Desenvolvimento Urbano, Patrícia de Castro Ferreira, relatou que o primeiro problema identificado foi a troca do forro original saia-e-camisa do salão principal, por um de madeira comum. Segundo ela, como informou em janeiro, “a troca foi feita de forma aleatória e descaracterizou o patrimônio”.

De acordo com Ronaldo Lott, apesar da execução fora dos padrões, a madeira do atual forro será reutilizada. “É uma madeira boa e por isso o forro será desmanchado e reaproveitado em outros locais, como por exemplo, na Casa de Drummond, que tem dois ou três lugares sem forro e, o restante da madeira, iremos guardar.” Ainda segundo o secretário, para instalar o novo forro “não será possível reaproveitar nem os barrotes que foram colocados, pois o ponto está mais baixo e como é um forro de sobrepor, tem que ser mais alto”. Ronaldo Lott destacou ainda, que o custo do forro – 160 m² – será de R$ 18.240.

Scroll To Top