terça-feira , 19 fevereiro 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos do Autor: Natália Sant'Ana

Arquivos do Autor: Natália Sant'Ana

Parceria – Prefeitura recupera área verde com apoio da comunidade

Desde a semana passada, a Prefeitura está revitalizando um trecho da rua Bebé Magalhães, no bairro Pará. Serviços de limpeza, cercamento e plantação de mudas estão sendo executados com ajuda dos moradores.

A área, segundo Priscila Martins da Costa, secretária municipal de Meio Ambiente, estava ocupada por lixo e entulhos. “Esses materiais estavam obstruindo a vegetação do local, o que beneficiava a proliferação de insetos e doenças”, ressaltou.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) mobilizou os moradores da região e a preservação desta área será mantida em parceria com o poder público. “A próxima etapa desta ação será o plantio da cerca viva”, garantiu a secretária.

A89FA701-59F4-4CB7-8B49-492062D7D80C

Utilidade Pública – Acidente da Cemig provoca falta d’água no bairro Amazonas

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira informa que o fornecimento de água no bairro Amazonas foi interrompido devido a um acidente com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), ocorrido nesta segunda-feira (4).

Durante a instalação de um poste de energia, uma rede especial de água foi danificada. Por não dispor da peça, o conserto, conforme comunicado da Cemig ao Saae, será concluído na terça-feira (5), durante a manhã.

O Saae ressaltou ainda que o desabastecimento poderá afetar os bairros Abóboras, Água Fresca, Areão, Bálsamos I e II, Barreiro, Bethânia, CDI I e II, Clóvis Alvim I e II, Colina da Praia, Conceição de Cima e de Baixo, Cônego Guilhermino, Esplanada da Estação, Fênix, Gabiroba, Hamilton I e II, Jardim dos Ipês, João XXIII, Juca Batista, Juca Rosa, Machado, Madre Maria de Jesus, Major Lage de Baixo e de Cima, Monsenhor José Lopes, Novo Amazonas, Panorama, Posto Agropecuário, Praia, Ribeira de Baixo e de Cima, Santa Marta, Santa Ruth, Santa Tereza, São Bento, São Cristóvão, São Marcos, Valença, Vila Senhora do Carmo, Vila Piedade, Vila Prudêncio, Vila Salica, Vila Santa Rosa, Vila São Geraldo e Vista Alegre.

Equipe de Governo – Novo subsecretário de Comunicação Social

Ricardo Guerra assume a subsecretaria de Comunicação Social da Prefeitura de Itabira, de acordo com o Decreto nº 2.221, publicado neste sábado (2), no Diário Oficial.

Ricardo tem 34 anos, é formado em Marketing e pós-graduado em Comunicação Organizacional. Foi responsável pela Comunicação Social da Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo, de 2007 a 2013. Comandou o departamento de Marketing da Tia Eliana – indústria de doces e salgados de Santa Maria de Itabira – e, atuou ainda, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Atualmente é empresário em Itabira.

Utilidade Pública – Manutenção corretiva na ETA Pureza

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira comunica que a Estação de Tratamento de Água (ETA) Pureza passa por manutenção corretiva desde a manhã desta sexta-feira (1º/2), devido ao rompimento de uma adutora no bairro Gabiroba. Portanto, os bairros atendidos por esta estação ficarão sem água até a conclusão dos serviços, prevista para o final da tarde de hoje.

A interrupção vai abranger os bairros Abóboras, Água Fresca, Amazonas, Areão, Bálsamos I e II, Barreiro, Bethânia, CDI I e II, Clóvis Alvim I e II, Colina da Praia, Conceição de Cima e de Baixo, Cônego Guilhermino, Esplanada da Estação, Fênix, Gabiroba, Hamilton I e II, Jardim dos Ipês, João XXIII, Juca Batista, Juca Rosa, Machado, Madre Maria de Jesus, Major Lage de Baixo e de Cima, Monsenhor José Lopes, Novo Amazonas, Panorama, Posto Agropecuário, Praia, Ribeira de Baixo e de Cima, Santa Marta, Santa Ruth, Santa Tereza, São Bento, São Cristóvão, São Marcos, Valença, Vila Senhora do Carmo, Vila Piedade, Vila Prudêncio, Vila Salica, Vila Santa Rosa, Vila São Geraldo e Vista Alegre.

Tragédia em Brumadinho – Prefeito Ronaldo Magalhães tranquiliza população sobre barragens itabiranas

O rompimento de uma barragem da mineradora Vale, na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho – região metropolitana de Belo Horizonte – na última sexta-feira (25/1), reacendeu todos os holofotes para Itabira, que possui 11 barragens, também da Vale, instaladas em diversos pontos. Para explicar a situação delas, o prefeito Ronaldo Magalhães convocou uma coletiva de imprensa no final da tarde desta quinta-feira (31), no auditório do paço municipal.

Segundo o prefeito, as barragens construídas em Itabira não são iguais às de Mariana – barragem de Fundão, rompida em 2015 – e de Brumadinho. “São barragens diferentes na sua construção. Tanto a de Mariana quanto a de Brumadinho, são construções tecnicamente a montante e o alteamento delas é feito com o próprio rejeito. Essas eram de minas que a Vale já adquiriu em funcionamento”, ressaltou.

Já as estruturas itabiranas para armazenar o rejeito de minério foram erguidas no modelo a jusante. “São obras diferenciadas. Como leigo, falar que está garantido, eu até queria. Mas, que está muito melhor construída e melhor trabalhada, tenho certeza”, salientou Ronaldo Magalhães. De acordo com informações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), o modelo a jusante cresce para a direção da corrente dos resíduos, formando uma espécie de pirâmide. Alteamentos não são erguidos sobre resíduos, mas a partir da barreira inicial. Método mais caro e que ocupa mais espaço.

O prefeito informou ainda que se reuniu com a gerência executiva da Vale na última terça-feira (29/1), onde ficou ciente das ações que estão sendo desenvolvidas pela mineradora. “Estive com o comando da Vale discutindo essa situação, anteontem. No fim de semana, logo que aconteceu o desastre, a Vale Itabira revisou e acompanhou todas as nossas barragens. Inclusive, a Defesa Civil Municipal esteve junto”.

Ronaldo Magalhães afirmou ainda que um plano de contingência – Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) – começou a ser implantado pela Vale há oito meses. “Estão sendo colocadas sirenes em locais estratégicos e a etapa seguinte é a conscientização da comunidade, principalmente nos trechos que tenham o possível problema. A Vale tem feito isso rotineiramente”, garantiu o prefeito.

Plano de fuga

Em maio de 2018, a Vale apresentou à Prefeitura de Itabira o Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração. O material descreve detalhadamente a rota dos rejeitos em caso de rompimento e o plano de fuga para cada bairro afetado. Entretanto, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), a empresa ainda não realizou simulações desses procedimentos.

Sobre isso, eu cobrei e o Rodrigo Chaves (gerente-executivo da Vale) me disse que será o mais rápido possível. Ainda faltam equipamentos para instalar, mas a Vale irá trabalhar paralelamente com a comunidade para conscientizar, informar e treinar as pessoas. Porque é esse treinamento que poderá salvar vidas”, avaliou Ronaldo Magalhães.

Barragens

Correspondem à mina Cauê, o Sistema Pontal, que abriga 220 milhões m³ de rejeito – este é o volume que consta no site da Vale –. No entanto, no PAEBM, sua capacidade é de 137 milhões m³. Termina com o Complexo Santana – barragens Piabas, Cemig I e II e Santana – totalizando 15,7 milhões m³. Esse número também diverge do PAEBM, que apresenta 26,95 milhões m³.

Referentes à mina de Conceição, barragens Itabiruçu, com o volume de 220 milhões m³ no site da Vale, diferentes dos 130 milhões m³ no plano emergencial; Conceição, 36 milhões m³ (site da Vale) contra 25,9 milhões m³ apresentados no PAEBM e Rio de Peixe, com 12,2 milhões m³ confirmados no site da mineradora, diferentes dos 15,5 milhões m³ no plano emergencial.

Para as minas do Meio, barragens Cambucal I (119 mil m³), Cambucal II (110 mil m³) e Quinzinho (432 mil m³).

Legislação – Saae enviará débitos para a dívida ativa

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira reiniciou neste mês a negociação de débitos vencidos. Após o recebimento da notificação, o cliente – pessoa física ou jurídica – tem até 90 dias para fechar o acordo. Expirado o prazo, o devedor será incluído na dívida ativa.

A inclusão nesse cadastro, segundo Leonardo Ferreira Lopes, diretor-presidente do Saae, abrange, além do débito original, atualização monetária, juros, multas e demais encargos previstos em lei, bem como a cobrança judicial. “Se não houver negociação, o cliente será inscrito na dívida ativa como determina a legislação e, com isso, infelizmente, ficará com restrições no crédito”, alertou o gestor.

Os consumidores são notificados somente a partir da quarta conta de água vencida. De acordo com Leonardo Lopes, esse procedimento tem que ser feito anualmente. “O administrador público não pode renunciar receita, ou seja, a cobrança não realizada infringe a lei”. Ainda segundo ele, desde 2012 a autarquia não controlava a inadimplência e o processo de negociação retornou no ano passado, quando as dívidas de 1.453 clientes, somando R$ 638.475,68, correspondente ao período de 2012 a 2016, foram cobradas. “E desse montante, ficaram ainda R$ 508.723,05 referentes a 884 clientes, que estão no cadastro da dívida ativa e consequentemente em cobrança judicial”. Já neste ano, o Saae pretende negociar com 1.175 consumidores com débitos vencidos em 2017, o que totaliza R$ 324.670,77.

Nessa negociação, Leonardo Lopes garantiu que a postura do departamento financeiro é flexível e os débitos serão analisados individualmente. “O que não podemos fazer é dar desconto, porque também configuraria a renúncia de receita. O que podemos fazer é parcelar de acordo com a necessidade de cada consumidor”. O diretor-presidente ressaltou ainda que a exclusão no cadastro da dívida ativa acontecerá a partir da primeira parcela quitada. “Mas, caso o acordo seja descumprido, a renegociação não será parcelada”.

Como fazer

O acordo das tarifas pendentes será realizado no posto de atendimento do Saae – travessa Gonzaguinha, no bairro Esplanada da Estação – que funciona de segunda a quinta-feira, das 7 às 17 horas e sexta-feira, de 7 às 16 horas. “Os servidores estão lá, capacitados e treinados para negociar com os clientes que tiverem dívidas com o Saae. É muito importante buscar essa solução antes da cobrança judicial, que acarretará mais custos ao débito original”, finalizou Leonardo Lopes.

Melhoria – Saae inicia troca de hidrômetros na área urbana

Neste mês, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira deu início ao inédito programa de modernização dos hidrômetros ativos na área urbana do município. O objetivo é garantir o registro correto do consumo de água para os clientes e para a autarquia. Ao longo do ano serão trocados cerca de 12 mil equipamentos.

O processo começou com o envio de notificações – entregues pelos servidores do Saae –, divididas em 11 regiões. Em seguida, decorridos 30 dias, profissionais treinados, capacitados e uniformizados instalarão um hidrômetro mais moderno. “Esse serviço não gera obra e nenhum impacto. O proprietário não terá custo e será convidado a acompanhar a troca”, explicou Leonardo Ferreira Lopes, diretor-presidente do Saae. A primeira região contemplará os bairros Centro, Pará, Penha, Vila Paciência, Moinho Velho, Vila das Nações Unidas e Vila Cisne, que totaliza 1.426 aparelhos.

Nesta mesma ação, o Saae também mudará o local de instalação do hidrômetro para que a fiscalização dos técnicos não dependa da presença do proprietário. “Hoje, nós temos mapeados 600 imóveis com hidrômetros internos. Vamos retirar o equipamento do lado de dentro dessas residências para a parte externa, de forma que o leiturista do Saae tenha acesso tranquilo e ininterrupto”, informou Leonardo Lopes.

Ainda de acordo com o presidente, o hidrômetro deve ser trocado a cada cinco anos. “Esse é o tempo recomendado pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) porque é a vida útil do equipamento. Depois deste período, a medição do hidrômetro é inferior à realidade. “Inclusive, identificamos alguns com mais de 30 anos de uso”, disse. Além disso, segundo ele, esta é a primeira vez que o Saae avalia o parque de hidrômetros itabiranos para investir em um modelo melhor.

A empresa que executará o serviço foi contratada em dezembro do ano passado. “Parte do recurso deste contrato vem da parcela do Fundo de Perdas, destacado em nossas tarifas e homologado pela Arsae (Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais)”, explicou Leonardo Lopes. Além da mão de obra e instalação do hidrômetro, este contrato contempla também a execução de novas ligações de água e esgoto. “Esse tipo de contratação é mantido desde 2017, pois quando assumimos o Governo Municipal tínhamos em torno de mil ligações pendentes. Hoje é zero”, ressaltou.

Saiba mais

O hidrômetro é um equipamento de precisão utilizado para medir e registrar o consumo de água em um imóvel. Itabira conta com aproximadamente 33 mil aparelhos instalados pelo Saae e aferidos de acordo com as normas do Inmetro, o que garante eficiência na medição dos volumes consumidos.

O modelo atual desses hidrômetros instalados é o velocimétrico, que, segundo Leonardo Lopes, “conta com uma tecnologia desatualizada e que tem sido substituída pelas melhores concessionárias de água do país”. A troca será para o modelo volumétrico, “que dará mais precisão aos registros, pois mede o volume preenchido na câmara interna, diferente do antigo, que mede por meio da velocidade do fluido que passa pela turbina”, explicou o responsável pela autarquia.

No ano passado, para garantir o andamento do programa de modernização dos hidrômetros, foi publicado no diário oficial do município o novo padrão de equipamento adotado pelo Saae a partir deste ano. O documento foi enviado também para todos os depósitos de construção situados em Itabira. “Ou seja, qualquer ligação de água a partir de fevereiro deverá ser com o novo modelo de hidrômetro”, salientou Leonardo Lopes. A autarquia adquiriu ainda um software para definir o melhor momento e qual equipamento deve ser substituído. Com isso, o Município adotará, anualmente, a política de troca dos hidrômetros.

*Imagem ilustrativa

Utilidade Pública – ETA Três Fontes para de funcionar por falta de luz

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira comunica que a Estação de Tratamento de Água (ETA) Três Fontes, no bairro Pará, está sem energia elétrica desde às 18 horas desta sexta-feira (18). Uma equipe da Companhia Enérgica de Minas Gerais (Cemig) já está no local, mas ainda não informou quando o problema será solucionado.

Para evitar mais transtornos, é necessário que os moradores desta região façam uso consciente da água.

Contato

O Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC), bem como todo o sistema online da autarquia, opera de forma parcial. Em caso de urgência, ligar para: 115 ou 9 9765-4732.

Campo de Gordura – Abastecimento de água é regulamentado na zona rural

Dando continuidade ao programa de remodelação do abastecimento de água, implantado a partir da revisão tarifária de 2017, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Itabira está corrigindo as redes de água, reservatórios e instalando hidrômetros nas residências da localidade rural Campo de Gordura, no distrito Senhora do Carmo. Com isso, a comunidade entra, oficialmente, para o banco de dados e serviços da autarquia, pois, os moradores passam a custear o consumo de água.

O objetivo, segundo Leonardo Ferreira Lopes, diretor-presidente do Saae, é regulamentar o fornecimento da água para que a comunidade seja atendida como determina o protocolo da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgoto (Arsae) de Minas Gerais. “Sem essas correções e a hidrometração, não é possível tratar a água e nem fazer o seu controle social. Por exemplo, residências situadas em vias mais altas ficam sem água quando o morador da rua de baixo tem uma piscina ou represa de peixe no quintal. Então, a hidrometração favorece o uso consciente da água e deixa o Saae responsável por todos os serviços citados”, avaliou.

Além disso, segundo Leonardo Lopes, é necessário corrigir o processo de uso dos terrenos onde estão instalados os poços artesianos, “geralmente em propriedade privada. Sendo assim, é preciso fazer uma cessão de uso ou desapropriação do local para construir as redes e adequar os reservatórios”. O presidente garantiu ainda a conclusão dos serviços em até 60 dias.

Planejamento

Desde o final do ano passado, quando uma empresa foi licitada, exclusivamente, para remodelar o abastecimento de água da zona rural itabirana – os serviços anteriores foram executados pelo Saae e Itaurb –, incluindo a construção das novas Estações de Tratamento de Água (ETA) do bairro Chapada e da Serra dos Alves, o Saae concluiu os serviços nas localidades Estiva, Turvo, Candidópolis e Ribeirão São José de Baixo. Depois de finalizar Campo de Gordura, seguirá para Cutucum, Tiririca e Parí. “O nosso planejamento foi feito de acordo com a revisão tarifária, que é bienal. Portanto, até novembro deste ano atenderemos essas comunidades”, declarou Leonardo Lopes.

Mais segurança – Prefeitura instala ponto de ônibus na MG-129

Atendendo pedido dos moradores da região do Barro Branco, a Prefeitura de Itabira, em parceria com o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG), concluiu no final da tarde desta quinta-feira (17/1) uma parada de embarque e desembarque em um importante trecho da MG-129.

De acordo com Marcelo dos Santos Rodrigues, engenheiro do DEER, a Associação dos Moradores do Barro Branco protocolou um abaixo-assinado solicitando a obra. “O serviço foi autorizado pelo DEER, que elaborou um projeto para a inserção dessa nova parada de ônibus e contou com a mão de obra da Prefeitura para ser executado”.

No local, onde o fluxo de veículos e pedestres é intenso, a Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Trânsito (SMOTT) removeu a defensa metálica – barras de ferro instaladas nas laterais da estrada – limpou a via com motoniveladora, prolongou o asfalto e construiu a calçada.

Em seguida, a SMOTT instalou o ponto de ônibus – composto com assentos e cobertura – adquirido pelo DEER. Para Ronaldo Lott Pires, secretário de Obras, esse serviço dará mais conforto para os usuários do transporte público daquela região, além de segurança para os motoristas e transeuntes”, garantiu.

WhatsApp Image 2019-01-18 at 11.35.25

Em tempo

A linha de ônibus 90 – Chapada atende a região, incluindo o Barro Branco, de segunda a sexta-feira, das 4h30 às 23h35; no sábado, de 4h55 até 23h35 e, aos domingos, das 5h05 às 23h30.

Scroll To Top