quinta-feira , 19 julho 2018
Você está aqui: Capa | Saúde | Febre Amarela

Arquivo da categoria: Febre Amarela

Assinatura dos Feeds

Surto de dengue – Itabira tem maior índice de infestação dos últimos anos

A Prefeitura divulgou no final do mês passado que 10% é o índice de infestação predial em Itabira, segundo o assustador Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (Liraa), realizado entre os dias 9 e 13 de abril. No levantamento de 2017, referente ao mesmo período, o índice foi de 5,2%. Em janeiro de 2014, chegou a 7,8% e em março de 2015, a 8,1%.

Esta situação que estamos vivendo é a do índice mais alto na história do município desde 2008, e o que precisamos de fato, é a compreensão da população no sentido de monitorar a situação dentro de casa. O destino do lixo, dos inservíveis ou recicláveis é de responsabilidade da população, considerando que temos os dias e horários corretos para a coleta seletiva, orgânica e de apoio”, afirmou Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, superintendente de Vigilância em Saúde.

Até o dia 13/4 foram pesquisados cerca de 2.067 domicílios itabiranos, em 207 foram notificados focos de dengue. De acordo com o Liraa, nenhuma região do município registrou condição satisfatória, ou seja, com o índice inferior a 1%. A situação mais grave é a da Vila Técnica da Conceição, onde o índice de infestação é de 50%, seguida pelos bairros Eldorado (42,85%), Área Verde (39,39%) e Hamilton (25%). Também em péssima situação, os bairros Vila São Joaquim (21,42%) e Nossa Senhora das Oliveiras (20,68%), acompanhados do Juca Batista, Ribeira de Cima e Vila Piedade, ambos com 20%. Já o bairro Machado, registra 18,42% e com 16,66%, estão os bairros Água Fresca e Conceição.

Na casa dos 15%, estão os bairros Pedreira (15,87%), São Pedro (15,71%) e São Geraldo (15,55%). O Clóvis Alvim II (13,79%), Santa Ruth (13,69%) e, com 13,33%, os bairros Chapada, Barreiro e Major Lage, assim como Abóboras e Boa Esperança, ambos com 12,5%. O índice no bairro João XXIII é de 12,24% e 10% nos bairros Amazonas, Clóvis Alvim I e Praia.

Abaixo disso, mas ainda com risco de surto de dengue, estão Penha (9,3%), Bálsamos (9,09%), Distrito Industrial I (8,69%) e Novo Amazonas (8,57%). Estão com 8,33%, a região da rodoviária – Parque da Água Santa – e os bairros Pedras do Vale e Vila Salica. Juca Rosa (8,21%) e, com 8%, os bairros Bela Vista e Jardim Gabiroba I. Na mesma situação, os bairros Bethânia (7,69%), Pará (7,57%), Fênix (7,27%) e Campestre (7,14%).

Os bairros Madre Maria de Jesus (6,89%), Caminho Novo (6,75%), Jardim Gabiroba (6,42%), Gabiroba (6,35%), Santa Marta (6,25%), Centro (5,76%), Cônego Guilhermino (4,17%) e Santo Antônio (4%) também correm risco de surto. Já os bairros Colina da Praia (2,7%) e Jardim Belvedere (2,43%) estão em situação de alerta.

Criadouros do mosquito

Segundo informação da Secretaria Municipal de Saúde, o Liraa classificou também a situação de criadouros do Aedes aegypti no município e, a superintendente Thereza Andrade declarou que os focos residenciais ultrapassam 90% dos casos. “O maior número de focos foi encontrado nos domicílios, mais de 90%. Enquanto era achado um foco em terreno baldio, encontrávamos mais de 30 dentro de residências”.

De acordo com esta classificação, foram identificados mais criadouros do mosquito em recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas em locais abertos (quintal e pátio) e ferros velhos, além de entulhos de construção. O segundo lugar com mais registros são os depósitos móveis – vasos, frascos, pratos, recipientes de desgelo, bebedouros em geral, pingadouros e materiais em depósitos de construção civil. Já os materiais de depósitos domésticos – barris, tanques, tambores etc – foram classificados em terceiro na lista de berçários do Aedes aegypti.

Pneus, câmaras de ar e outros materiais rodantes e, depósitos fixos – borracharias, hortas, calhas, sanitários sem uso, piscinas não tratadas, fontes ornamentais, floreiras de cemitério, cacos de vidro em muros e toldos – estão, respectivamente, nos quarto e quinto lugares. Com menos incidência de criadouros, estão os depósitos naturais – bromélias e buracos em árvores e rochas – na sexta colocação e, caixas localizadas em lugares elevados – caixas d’águas destampadas – no sétimo lugar.

Apesar dos esforços da Prefeitura para impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, Thereza Andrade ressaltou a importância de a população também prevenir possíveis focos. “10 minutos por semana é o suficiente para as pessoas verificarem a casa e o entorno, para ter certeza que não tem nenhum material, resto de construção, brinquedos de criança ou inservíveis que possam acumular água e, consequentemente, ser um criadouro”.

Febre Amarela: Secretaria de Saúde intensifica vacinação casa a casa

Desde a semana passada, profissionais de saúde estão indo de casa em casa para apurar a situação vacinação da população e imunizar contra a febre amarela aqueles que ainda não foram imunizados.

A ação começou com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS), que fazem o levantamento nominal dos não vacinados e orientam para que procurem uma unidade de saúde. De acordo com a superintendente de Ações em Saúde, Heloísa Helena Martins, este trabalho já está surtindo efeito. O número de pessoas para se vacinarem aumentou em todas as unidades de saúde.

Levando em conta os endereços constados nas notificações da doença, profissionais dos PSFs também estão fazendo uma verdadeira varredura no município para bloqueio da doença. De casa em casa, esta equipe está imunizando os moradores. As primeiras ações de intensificação ocorreram no Barreiro – incluindo o entorno –, Santa Marta, Santa Ruth, Gabiroba, Centro e Vila Santa Rosa.

Escolhemos o Barreiro para começar porque já registramos três mortes naquela região: uma no próprio Barreiro, uma no Morro do Chapéu e outra na localidade de Cachoeiras. O Santa Marta é porque, além de termos um caso em investigação, é uma região com mata”, explicou Heloísa Martins. Durante esta semana o trabalho continua de casa em casa.

Também, para impedir o avanço da doença, duas ações são deflagradas quando é registrado um caso suspeito: a inspeção a Secretaria de Saúde, em parceria com a Polícia Militar Ambiental, está fazendo a inspeção das matas no entorno do bairro onde reside a pessoa com suspeita de febre amarela. Também no entorno da casa da pessoa com suspeita, a Secretaria de Saúde está aplicando UBV.

Vacinação – Para aumentar o bloqueio contra a febre amarela, durante o mês de fevereiro a Secretaria Municipal de Saúde montou esquema especial. Na semana que antecedeu o Carnaval, a Policlínica estendeu seu horário de funcionamento até as 20h para vacinar. No dia 24, sábado, a Policlínica também funcionou das 8h às 16h exclusivamente para vacinar contra a febre amarela. Foram imunizadas mais de 500 pessoas. Entre os dias 26 de fevereiro e 2 de março, oito unidades de saúde funcionaram em esquema especial – até às 20h – para vacinação. No dia 3 de março, nove unidades de saúde – inclusive os PSFs de Senhora do Carmo e Ipoema – fizeram plantão para imunização contra a febre amarela.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta alerta mais uma vez: “a vacinação é a forma mais eficaz e segura para evitar a doença. Conclamo, mais uma vez a todos aqueles que ainda não se vacinaram, a procurar uma unidade de saúde e se imunizar. Todos os óbitos registrados em Itabira foram de pessoas sem histórico vacinal”, informa.

A doença – Em Itabira, no período de 27 de janeiro a 21 de fevereiro, seis pessoas morreram vítimas da febre amarela – cinco homens com idades entre 38 e 54 anos e uma mulher de 50 anos – confirmadas por febre amarela. Uma pessoa foi diagnosticada com a doença e continua internada. Outras 14 pessoas que tiveram sintomas da doença aguardam resultado do exame.

As mortes ocorreram nos bairros Major Lage de Baixo, Barreiro, Campestre, Gabiroba de Cima e nas localidades rurais de Morro do Chapéu e Cachoeiras.

Surto em Itabira – Febre amarela deixa município em alerta: mais de mil pessoas procuram a Policlínica para imunização

No último sábado (24), Dia D de vacinação contra a febre amarela em Itabira, mais de mil pessoas procuraram a Policlínica Municipal para serem imunizadas contra o vírus. No entanto, foram vacinadas 543 pessoas. De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica do município, Natália Franco Barbosa de Andrade, o número significativo de atendimentos no Dia D demonstra a preocupação do itabirano com a doença.

Itabira está classificada na categoria 3, ou seja, estamos sofrendo com um surto de febre amarela. Por isso, pedimos para que todas as pessoas que ainda não foram vacinadas procurem uma unidade de saúde o mais depressa possível. No Dia D, muita gente foi até a Policlínica com dúvida se já tinha sido imunizada ou não. Assim, após verificação, constatamos que muitos já haviam sido vacinados e não precisariam tomar uma nova dose. Tivemos casos, inclusive, de pessoas que já haviam recebido duas doses da vacina”, disse.

Os dados atualizados da SMS advertem sobre a importância e necessidade de se imunizar toda a população. As informações levantadas dão conta de que houve um aumento significativo do número de notificações envolvendo a doença em Itabira. Ao todo, temos: 2 óbitos confirmados, 4 óbitos em investigação; 23 casos suspeitos em investigação, 5 descartados.

A campanha da Prefeitura de Itabira, que tem como meta vacinar todas as pessoas que ainda não receberam nenhuma dose da vacina, continua nesta semana. Para isso, a SMS montou uma escala de funcionamento especial para as unidades de saúde. Confira:

Data                         Unidade                             Horário

26/02    Policlínica e UBS Areão/ Amazonas        das 8h às 20h

27/02            Policlínica e UBS Pará                  das 8h às 20h

28/02         Policlínica e UBS Major Lage            das 8h às 20h

01/03    Policlínica e UBS João XXIII/ Machado   das 8h às 20h

02/03            Policlínica e UBS Centro                das 8h às 20h

No sábado (3), acontecerá um novo mutirão de vacinação. Desta vez, as seguintes unidades de saúde estarão abertas das 8h às 16h: Policlínica, UBS João XXIII/ Machado, UBS Água Fresca/ Juca Batista, UBS Ipoema, UBS Senhora do Carmo, UBS Vila Santa Rosa/ Centro, UBS Areão/ Amazonas, UBS Pará e UBS Eldorado.

Todos os usuários devem levar o cartão de vacina. As pessoas acima de 60 anos de idade precisam apresentar uma avaliação médica com autorização para se vacinar. A avaliação também poderá ser feita pelo enfermeiro da UBS a qual o usuário pertence.

Prevenção – Prefeitura promove Dia D da campanha contra febre amarela neste sábado

Toda a população que ainda não foi vacinada deve ir até a Policlínica Municipal para se imunizar.

Para prevenir o avanço da febre amarela no município, doença que tem assustado todo o país, a Prefeitura de Itabira promoverá o Dia D da campanha de vacinação, neste sábado (24), na Policlínica Municipal, das 8h às 16h. A campanha é direcionada às pessoas que ainda não foram vacinadas. Serão aplicadas doses padrão que têm validade para a vida toda.

Se a pessoa está em dúvida se tomou a vacina ou não, ela também deve ir até a Policlínica para tomar se vacinar”, alerta a superintendente de Vigilância em Saúde Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

A superintendente avisa ainda que todos os usuários devem levar o cartão de vacinação. As pessoas acima de 60 anos de idade precisam apresentar uma avaliação médica com autorização para se vacinar. “O enfermeiro do PSF que a pessoa pertence também poderá avaliar e autorizar a vacinação para os maiores de 60 anos”, disse Thereza Andrade.

A situação na cidade é assustadora. Os últimos dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alertam sobre a importância e necessidade de se vacinar toda a população. De acordo com as informações levantadas, houve um aumento significativo do número de notificações envolvendo a doença em Itabira. Ao todo, são 23 notificações; 1 óbito confirmado; 4 óbitos em investigação; e 19 casos suspeitos aguardando o resultado.

Utilidade Pública – Unidades de Saúde de Itabira possuem vacina contra febre amarela

A Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informa que a febre amarela está avançando no município. A situação é grave. “A única maneira de conter a doença é se imunizando. Portanto, todas as pessoas que ainda não foram vacinadas, devem procurar uma unidade de saúde”, alerta a superintendente de Vigilância Sanitária em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

Além da Policlínica Municipal, as seguintes UBS também possuem a vacina contra a febre amarela: Barreiro, Clóvis Alvim, Gabiroba de Cima e de Baixo, João XXIII e Machado, Centro e Vila Santa Rosa, Pedreira I e II, Eldorado, Praia I, Pará, Chapada, Santa Ruth, Amazonas, Major Lage, Senhora do Carmo e Ipoema.

Situação grave – Aumenta número de casos suspeitos de Febre Amarela em Itabira

De acordo com Secretaria Municipal de Saúde, a vacinação é a forma mais eficaz e segura para conter o avanço da doença

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alerta a população de Itabira para a necessidade da imunização contra o vírus da febre amarela. De acordo com os dados levantados pela secretaria, houve um aumento significativo do número de notificações. Ao todo, são 23 notificações; 1 óbito confirmado; 4 óbitos em investigação; e 19 casos suspeitos aguardando o resultado. A situação é assustadora.

A vacina é hoje a forma mais eficaz e segura para conter o avanço da doença no município. É importante que todas as pessoas que ainda não foram vacinadas contra a febre amarela procurem uma unidade de saúde e se imunizem”, adverte a superintendente de Vigilância em Saúde Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

Para a SMS, a situação em Itabira só não está mais grave porque em 2017 – quando foram registrados vários casos de febre amarela no país, inclusive com epidemias em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo – O Governo Municipal iniciou uma intensa campanha de prevenção e vacinação em massa. Na época, foram encontrados em diferentes áreas da cidade sete primatas mortos, o que deixou a SMS em alerta, uma vez que a presença de macacos mortos ou doentes é um indício de que o vírus pode estar circulando no local.

Diante disso, a vigilância foi intensificada. A SMS mobilizou empresas, instituições de ensino e sociedade civil, além de orientar a população. “Fizemos a vacinação em toda a região rural, de grupos específicos como presídio e hospitais e chegamos a estender o horário de funcionamento das unidades de saúde para viabilizar e facilitar o acesso daqueles que trabalham o dia inteiro e que não tinham tempo para ir à unidade em horário comercial. Infelizmente, mesmo com todos os esforços, ainda existem pessoas que não se vacinaram”, lembra Thereza Andrade.

Após a intensificação da campanha, cerca de 86% da população em Itabira já está imunizada. No entanto, o Governo Municipal pretende atingir uma cobertura de 100%. “Sabemos que é muito difícil alcançar esse índice, mas é o que pretendemos. É a única forma de resguardarmos a cidade e quem vive aqui. É imprescindível que todos se vacinem, principalmente os homens, que é o grupo mais resistente à imunização”, declarou.

Alerta de saúde pública

O que é: a febre amarela é uma doença infecciosa aguda, de curta duração (no máximo 10 dias), com gravidade variável (pode levar à morte), causada pelo vírus da febre amarela.

Quais sintomas: febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina).

Como se transmite: a febre amarela é transmitida pela picada dos mosquitos transmissores infectados a pessoas não vacinadas. A transmissão de pessoa para pessoa não existe. Assim como os primatas não transmitem o vírus para os seres humanos.

Como prevenir: a única forma de evitar a febre amarela silvestre é a vacinação contra a doença. A vacina é gratuita e está disponível nas unidades de saúde e é recomendada para todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira. Apenas uma dose garante imunidade por toda a vida. As crianças podem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo. Gestantes e idosos devem passar por avaliação médica.

Dengue: com índice de infestação em 6,7%, Itabira fica em alerta

É de 6,7% o índice de infestação predial em Itabira, conforme o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (Liraa) realizado no período de 8 a 12 de janeiro. No mesmo período do ano passado, o índice foi de 4,3%. Este é o terceiro maior índice registrado em Itabira, levando em conta os dados desde 2008, quando começou a série histórica. Em janeiro de 2014 o índice chegou a 7,8% e em março de 2015 a 8,1%.

A situação é bastante preocupante, inspira bastante cuidado e deixa todos em alerta, conforme explica a superintendente de Vigilância em Saúde Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. “De acordo com a classificação da Organização Mundial de Saúde, com um índice geral de 6,7% de infestação, Itabira corre risco de ter um surto. Teremos que redobrar nossa vigilância e contar, ainda mais, com a colaboração da população para eliminar todo foco do mosquito”, explica.

A situação mais alarmante é do imóvel do Valeriodoce, no bairro Campestre – ele entra na pesquisa por ser considerada uma área de grande proporção e aglomerações e com muitas repartições como piscina, igreja, campo, galpões e bares. Lá, o índice é de 50%. A situação também é grave nos bairros Conceição (40%), Bálsamos (28,57%), Amazonas (19,44%), Hamilton (18,18%) e Nossa Senhora das Oliveiras (16,66%). Outros 30 bairros também estão com índices altos, acima de 4%, que configura risco de surto. Os demais bairros pesquisados apresentaram índices superiores a 2%, o que configura situação de alerta.

O levantamento apontou, ainda, que é nas residências onde se concentra o maior número de focos. “90% dos focos estão dentro de casa. Isso quer dizer que a população deve ficar atenta e formar uma parceria forte com o Poder Público para eliminar estes focos. Ela tem que fazer a parte dela para conseguirmos vencer esta batalha contra o Aedes aegypti, que além da Dengue, também transmite a Chikungunya, a Zika e a Febre Amarela urbana”, ressalta Thereza Andrade.

Prefeitura realiza mutirão contra a dengue nos bairros São Francisco e São Pedro

Neste sábado (6), das 7h30 às 12h30, a Prefeitura de Itabira convoca os moradores dos bairros São Francisco e São Pedro para o mutirão de limpeza contra o mosquito Aedes aegypti.

Segundo informação de Natália Andrade, diretora de Vigilância Epidemiológica, os mutirões serão realizados de acordo com o último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa), onde o bairro São Francisco (13,33%) encontra-se em situação grave e o São Pedro (9,25%) notificado com risco de surto. “Estamos seguindo o Liraa de forma decrescente. No entanto, no bairro São Francisco o tratamento focal já foi concluído e, no São Pedro, vamos concluir amanhã”, explicou Natália.

O mutirão de limpeza acontecerá com 25 agentes comunitários de endemias (ACE) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que identificam e tratam os focos com larvicida; com a Empresa de Desenvolvimento de Itabira (Itaurb), que disponibiliza um caminhão para recolher os resíduos e materiais que os moradores descartarem e, também, com dois fiscais da vigilância sanitária que, segundo Natália Andrade, “acompanharão os casos problemáticos, como por exemplo, lotes muito sujos. Neste caso, os agentes fazem um trabalho educativo com os proprietários e explicam sobre a notificação, caso a limpeza não seja realizada”. Outra parte da equipe da SMS vai panfletar, orientar e tirar dúvidas da população, reforçando que o mosquito Aedes aegypti é vetor das doenças dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

Prefeitura realiza mutirão de combate à dengue no bairro Nossa Senhora das Oliveiras

É a vez dos moradores do bairro Nossa Senhora das Oliveiras ajudarem a Prefeitura de Itabira a combater o mosquito Aedes aegypti. Neste sábado (8), das 8 às 12 horas, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a associação de moradores, realizam um mutirão de limpeza para eliminar focos de dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

O mutirão no bairro, segundo Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde, estava programado para antes do resultado do último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa) – realizado entre os dias 13 e 17 de março – onde o índice de infestação registrado foi de 15,09%. “Após o resultado do primeiro Liraa, em janeiro, foram identificados mais focos positivos do mosquito, surgindo então, a necessidade de um mutirão. Mas, parte do trabalho de eliminação desses focos já foi feito”, informou a superintendente. Ainda de acordo com ela, “os trabalhos de prevenção do mosquito devem ressaltar que a região leste de Minas Gerais está em situação de risco para surto de chikungunya. Foram registrados mais de dois mil casos só no início do ano”.

O mutirão de limpeza conta com os agentes comunitários de endemias (ACE), que identificam e tratam os focos com larvicida e, também, com a Itaurb, para recolher os resíduos e materiais que os moradores descartarem. Outra parte da equipe da SMS vai panfletar, orientar e tirar dúvidas da população.

No entanto, os trabalhos para conter o avanço do mosquito Aedes aegypti começam amanhã (06/04), às 19h30, na associação do bairro Nossa Senhora das Oliveiras, onde Thereza Andrade se reúne com a população para explicar a situação atual do Liraa, orientar sobre as doenças que o mosquito transmite e discutir estratégias de eliminação dos focos.

Outras reuniões

Na tarde de ontem (4), no auditório da Prefeitura, o Comitê Municipal de Combate à Dengue (CMCD) realizou a primeira reunião do ano para definir calendário de encontros, estratégias de combate e posse da presidente Sandra Piedade Machado Torres, representante da Secretaria Municipal de Assistência Social. As reuniões são quinzenais, sempre às 16 horas, no auditório da Prefeitura de Itabira.

Já na noite de ontem, a equipe da Secretaria de Saúde esteve na associação do bairro Clóvis Alvim II para orientar a população sobre a prevenção de focos do mosquito Aedes aegypti. Segundo Thereza Andrade, os moradores do bairro estão mobilizados para conter o avanço das doenças transmitidas pelo mosquito e realizam, por conta própria, mutirões de limpeza.

Macaco é encontrado agonizando no Panorama e fumacê contra a febre amarela começa hoje

Dando continuidade às ações de prevenção contra a febre amarela, seguindo orientações da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), a Prefeitura de Itabira realiza a partir de hoje (17), pulverização de inseticida – Ultra Baixo Volume (UBV) pesado – o tradicional fumacê contra os vetores (mosquitos) da febre amarela, em diversas regiões do município.

Por meio da Gerência Regional de Saúde (GRS), o Ministério da Saúde (MS) atendeu a solicitação da Prefeitura para aplicar o UBV pesado, já que, segundo Natália Franco Barbosa Andrade, diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), “só o Ministério da Saúde pode fazer essa pulverização e tem um protocolo para esta ação”, declarou.

De acordo com Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde da SMS, o UBV pesado é recomendado porque Itabira está na “Categoria 3” – municípios com casos e/ou óbitos humanos ou epizootias (macacos mortos) confirmadas para febre amarela – do protocolo da SES/MG. No entanto, segundo a diretora Natália Franco, o fumacê não é indicado para a zona rural.

Cronograma

A pulverização de inseticida contra os vetores da doença começa hoje (17), às 17 horas, no bairro Panorama, local onde um macaco foi encontrado agonizando na tarde de hoje. “Por esse fato, começamos o fumacê pelo Panorama, seguindo pelas adjacências, bairros Água Fresca e São Marcos para uma cobertura maior”, ressaltou Natália Franco. No sábado (18), a ação acontece nos bairros Hamilton, Valença e Abóboras. No domingo (19), nos bairros Conceição e Areão. Já na segunda-feira (20), o fumacê será feito no bairro Amazonas.

A superintendente Thereza Andrade ressaltou que o protocolo desta ação é do MS que, deve permanecer na cidade pelos próximos dez dias. “O ciclo do fumacê acontece normalmente a cada três dias, então, passa no bairro uma vez e retorna depois de três dias. Um agente de endemias da SMS acompanha os técnicos do Ministério por uma questão geográfica, já que não conhecem as ruas e localidades”.

A diretora Natália Franco também explicou que o UBV não pode ser feito em dias chuvosos e com ventos fortes. “Além disso, só é feito no período da manhã, bem cedo, por volta das 5 horas ou no final da tarde, às 17 horas”. Ainda segundo ela, é necessário que a população mantenha as janelas abertas, proteja alimentos, aquários, gaiolas, bebedouros e comedouros de animais.

Em tempo

Segundo informação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), até o momento (17/03), foram notificados 1.094 casos de febre amarela, sendo que desses, 118 foram descartados e 339 são casos confirmados. Em relação aos óbitos, foram notificados 192, desses, 117 foram confirmados para febre amarela. Nenhum no município de Itabira.

Scroll To Top