Você está aqui: Capa | Saúde | Febre Amarela

Arquivo da categoria: Febre Amarela

Assinatura dos Feeds

Prefeitura realiza mutirão de combate à dengue no bairro Nossa Senhora das Oliveiras

É a vez dos moradores do bairro Nossa Senhora das Oliveiras ajudarem a Prefeitura de Itabira a combater o mosquito Aedes aegypti. Neste sábado (8), das 8 às 12 horas, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a associação de moradores, realizam um mutirão de limpeza para eliminar focos de dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

O mutirão no bairro, segundo Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde, estava programado para antes do resultado do último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa) – realizado entre os dias 13 e 17 de março – onde o índice de infestação registrado foi de 15,09%. “Após o resultado do primeiro Liraa, em janeiro, foram identificados mais focos positivos do mosquito, surgindo então, a necessidade de um mutirão. Mas, parte do trabalho de eliminação desses focos já foi feito”, informou a superintendente. Ainda de acordo com ela, “os trabalhos de prevenção do mosquito devem ressaltar que a região leste de Minas Gerais está em situação de risco para surto de chikungunya. Foram registrados mais de dois mil casos só no início do ano”.

O mutirão de limpeza conta com os agentes comunitários de endemias (ACE), que identificam e tratam os focos com larvicida e, também, com a Itaurb, para recolher os resíduos e materiais que os moradores descartarem. Outra parte da equipe da SMS vai panfletar, orientar e tirar dúvidas da população.

No entanto, os trabalhos para conter o avanço do mosquito Aedes aegypti começam amanhã (06/04), às 19h30, na associação do bairro Nossa Senhora das Oliveiras, onde Thereza Andrade se reúne com a população para explicar a situação atual do Liraa, orientar sobre as doenças que o mosquito transmite e discutir estratégias de eliminação dos focos.

Outras reuniões

Na tarde de ontem (4), no auditório da Prefeitura, o Comitê Municipal de Combate à Dengue (CMCD) realizou a primeira reunião do ano para definir calendário de encontros, estratégias de combate e posse da presidente Sandra Piedade Machado Torres, representante da Secretaria Municipal de Assistência Social. As reuniões são quinzenais, sempre às 16 horas, no auditório da Prefeitura de Itabira.

Já na noite de ontem, a equipe da Secretaria de Saúde esteve na associação do bairro Clóvis Alvim II para orientar a população sobre a prevenção de focos do mosquito Aedes aegypti. Segundo Thereza Andrade, os moradores do bairro estão mobilizados para conter o avanço das doenças transmitidas pelo mosquito e realizam, por conta própria, mutirões de limpeza.

Macaco é encontrado agonizando no Panorama e fumacê contra a febre amarela começa hoje

Dando continuidade às ações de prevenção contra a febre amarela, seguindo orientações da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), a Prefeitura de Itabira realiza a partir de hoje (17), pulverização de inseticida – Ultra Baixo Volume (UBV) pesado – o tradicional fumacê contra os vetores (mosquitos) da febre amarela, em diversas regiões do município.

Por meio da Gerência Regional de Saúde (GRS), o Ministério da Saúde (MS) atendeu a solicitação da Prefeitura para aplicar o UBV pesado, já que, segundo Natália Franco Barbosa Andrade, diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), “só o Ministério da Saúde pode fazer essa pulverização e tem um protocolo para esta ação”, declarou.

De acordo com Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde da SMS, o UBV pesado é recomendado porque Itabira está na “Categoria 3” – municípios com casos e/ou óbitos humanos ou epizootias (macacos mortos) confirmadas para febre amarela – do protocolo da SES/MG. No entanto, segundo a diretora Natália Franco, o fumacê não é indicado para a zona rural.

Cronograma

A pulverização de inseticida contra os vetores da doença começa hoje (17), às 17 horas, no bairro Panorama, local onde um macaco foi encontrado agonizando na tarde de hoje. “Por esse fato, começamos o fumacê pelo Panorama, seguindo pelas adjacências, bairros Água Fresca e São Marcos para uma cobertura maior”, ressaltou Natália Franco. No sábado (18), a ação acontece nos bairros Hamilton, Valença e Abóboras. No domingo (19), nos bairros Conceição e Areão. Já na segunda-feira (20), o fumacê será feito no bairro Amazonas.

A superintendente Thereza Andrade ressaltou que o protocolo desta ação é do MS que, deve permanecer na cidade pelos próximos dez dias. “O ciclo do fumacê acontece normalmente a cada três dias, então, passa no bairro uma vez e retorna depois de três dias. Um agente de endemias da SMS acompanha os técnicos do Ministério por uma questão geográfica, já que não conhecem as ruas e localidades”.

A diretora Natália Franco também explicou que o UBV não pode ser feito em dias chuvosos e com ventos fortes. “Além disso, só é feito no período da manhã, bem cedo, por volta das 5 horas ou no final da tarde, às 17 horas”. Ainda segundo ela, é necessário que a população mantenha as janelas abertas, proteja alimentos, aquários, gaiolas, bebedouros e comedouros de animais.

Em tempo

Segundo informação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), até o momento (17/03), foram notificados 1.094 casos de febre amarela, sendo que desses, 118 foram descartados e 339 são casos confirmados. Em relação aos óbitos, foram notificados 192, desses, 117 foram confirmados para febre amarela. Nenhum no município de Itabira.

Febre amarela – Prefeitura recebe 40 mil doses de vacina para imunizar população

As pessoas que precisam receber imunização contra o vírus da febre amarela devem ficar atentas. A Prefeitura de Itabira recebeu, na última sexta-feira (10), 40 mil doses da vacina e seus insumos (como seringas e agulhas), fornecidas pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG). A demanda da vacinação deve-se ao número de pessoas infectadas em todo o estado e, principalmente, por dois macacos encontrados mortos e infectados em Itabira.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade, o Município recebeu o número de doses necessárias para cobrir toda a população. Desde janeiro deste ano, 31.500 pessoas foram imunizadas na cidade. Além disso, a vacina faz parte do calendário de crianças (aos 9 meses e aos 4 anos), adolescentes, adultos e idosos.

Temos uma grande cobertura vacinal: foram feitas intensificações da vacina em 1999, 2004 e 2008, por exemplo. O que estamos fazendo é mais uma intensificação. Tratando-se de febre amarela, não trabalhamos em formato de campanha, que é quando zera-se todas as doses anteriores e novas doses são indiscriminadas. Na situação da febre amarela, as doses anteriores são sempre válidas, ou seja, todas as doses aplicadas em momentos anteriores, independente da época, são consideradas doses de cobertura. Isso significa que a pessoa não precisa ser vacinada novamente”, disse.

Thereza Andrade também revelou que 90% da região rural do município já foi imunizada. Segundo a superintendente, quando começaram os primeiros casos de febre amarela na cidade de Ipatinga, a Prefeitura de Itabira agiu rápido para cobrir toda a área do município. “Atualmente, estamos fazendo o que chamamos de pente-fino: estamos imunizando as crianças de 6 a 8 meses, bem como aqueles trabalhadores que, por um motivo ou outro, ainda não foram vacinados. Normalmente, crianças nessa faixa etária não recebem este tipo de vacina. No entanto, como Itabira foi reclassificada para a Categoria 3 no protocolo de prevenção contra a doença, foi necessário tomar essa medida”.

Além das 40 mil doses recebidas pelo Município, outra boa notícia é que a partir desta segunda-feira (13), algumas unidades de saúde terão seu horário de atendimento estendido até as 20 horas. São elas: Unidade Básica de Saúde (UBS) Amazonas/Areão, UBS Vila santa Rosa/Juca Rosa, UBS Eldorado, UBS Pará, UBS Água Fresca/Juca Batista, UBS João XXIII/Machado, UBS Senhora do Carmo e UBS Pedreira (este até as 19 horas).

Esta extensão de horário de atendimento deve-se a uma demanda muito grande de trabalhadores com turnos diferentes em diversas empresas. Assim, em 12 horas de atendimento, independente do horário de trabalho, o funcionário tem condições de se adequar para procurar a UBS mais próxima. É imprescindível levar o cartão de vacinação. Ressaltamos que duas doses da vacina é suficiente para imunizar a pessoa por toda a vida”, pontuou Thereza Andrade.

O horário especial de atendimento nas UBS´s segue até a próxima quinta-feira (16). Caso seja necessário, algumas unidades também funcionarão aos sábados e o horário de atendimento especial continuará nas próximas semanas.

Febre amarela

Segundo a SES/MG, a febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por mosquitos, tanto em áreas urbanas e silvestres. Em áreas florestais, os principais vetores são os mosquitos Haemagogus e Sabethes. Até o momento (10/03), foram notificados 1.089 casos de febre amarela, sendo que desses 57 foram descartados e 288 são casos confirmados. Em relação aos óbitos, foram notificados 188 óbitos. Desses, 109 foram confirmados para febre amarela. Nenhum no município de Itabira.

Para o enfrentamento da doença, de acordo com a SMS, o município oferece gratuitamente a vacina por meio do Calendário Nacional de Vacinação nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF), principalmente para as pessoas que moram ou vão viajar em área rural, silvestre ou de mata.

Saiba mais

A Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está intensificando as ações educativas de mobilização social para a eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, “visando evitar a reurbanização da febre amarela no país”, afirmou Thereza Andrade.

Ainda segundo ela, os profissionais de saúde do município receberam treinamento e informações sobre a doença. “É importante notificar e investigar oportunamente – em 24 horas – casos suspeitos”, finalizou a superintendente.

Cobertura vacinal – ERRATA

Por solicitação da médica infectologista Andréa Cabral, a Subsecretaria de Comunicação Social divulga a seguinte nota de esclarecimento:

Venho por meio desta oficializar que não foi afirmado por mim que houve uma falha na cobertura vacinal nas cidades em que aconteceram casos em humanos. E sim que uma falha na cobertura vacinal pode ter acontecido nessas cidades.

Também não foi falado por mim que não existe reação adversa com a segunda dose da vacina. O que foi falado por mim é que na literatura médica não existe relato de evento adverso grave com a segunda dose.

É imprescindível que seja publicada a errata.

Obrigada!

Andréa Cabral”

Prefeitura de Itabira reúne funcionários da Secretaria de Saúde para novas diretrizes contra a febre amarela

No final da tarde de hoje (10), no Centro Estadual de Atenção Especializada (Ceae) – antigo Viva Vida – a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) reuniu todos os gerentes, enfermeiros e alguns técnicos de enfermagem dos Programas de Saúde da Família (PSF) para discutir a portaria estadual que reclassificou Itabira para a “Categoria 3”, no protocolo de prevenção contra a doença.

Para esclarecer dúvidas e apresentar a estratégia traçada pela SMS, que tem como objetivo intensificar a vacinação para aumentar a cobertura vacinal no município, a médica infectologista Andréa Cabral detalhou as ações para enfrentamento da atual situação epidemiológica na região. De acordo com ela, nos locais que a doença foi confirmada em humanos, “houve uma falha na cobertura vacinal, que não é o caso de Itabira, já que as medidas preventivas começaram ainda no início de janeiro”, afirmou a médica.

Ainda segundo Andréa Cabral, “os macacos que apareceram infectados, servem de alerta para falar que o vírus está circulando na cidade e, neste caso, é racional a gente traçar uma estratégia para imunizar o máximo a população”. A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade, afirmou que até o momento, a cobertura vacinal da população que vive na zona rural do município é de 90%. “Como estamos agindo desde o primeiro caso suspeito em Ipatinga, já imunizamos quase toda a população rural”.

Outro ponto da reunião foi esclarecer sobre as reações que a vacina contra a febre amarela pode causar. A infectologista afirmou que, na literatura médica, não há registros de reações graves na segunda dose em crianças acima de 4 anos e em adultos com menos de 60 anos, sendo de extrema importância vacinar a população. “A vacina é a única forma de prevenir a doença e é inconstitucional impedir que essa imunização seja feita, pois a incidência de mortalidade da doença é acima de 50%”, explicou Andréa Cabral.

Febre amarela

Segundo informação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por mosquitos, tanto em áreas urbanas e silvestres. Em áreas florestais, os principais vetores são os mosquitos Haemagogus e Sabethes. Até o momento (10/03), foram notificados 1.089 casos de febre amarela, sendo que desses 57 foram descartados e 288 são casos confirmados. Em relação aos óbitos, foram notificados 188 óbitos. Desses, 109 foram confirmados para febre amarela. Nenhum no município de Itabira.

Em Minas Gerais, o último caso humano autóctone – quando a doença é contraída dentro do estado – de febre amarela silvestre havia ocorrido em 2009, no município de Ubá, e evoluiu para cura. Porém, no início de 2017, a SES-MG foi notificada sobre a ocorrência de casos suspeitos de febre hemorrágica em municípios das regiões de Teófilo Otoni, Coronel Fabriciano, Manhumirim e Governador Valadares, com a ocorrência de morte de primatas, conhecida como epizootia, também registradas em Itabira no mês passado e no mês de março.

Para o enfrentamento da doença, de acordo com a SMS, o município oferece gratuitamente a vacina por meio do Calendário Nacional de Vacinação nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF), principalmente para as pessoas que moram ou vão viajar em área rural, silvestre ou de mata.

Mais um macaco é morto por febre amarela e município intensifica a vacinação

Nesta manhã (6), a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), e a Gerência Regional de Saúde (GRS) concederam entrevista coletiva para informar à população sobre a situação de febre amarela e quais os procedimentos de vacinação serão adotados, já que o município foi reclassificado para a “Categoria 3” no protocolo de saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG). Após a coletiva, no final da tarde, a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares, anunciou um novo resultado positivo de febre amarela em outro macaco encontrado morto na cidade, no bairro Hamilton, na região dos motéis.

Por causa do resultado positivo de febre amarela no macaco morto no início de fevereiro, o município está, agora, na “Categoria 3” – municípios com casos e/ou óbitos humanos ou epizootias confirmadas para febre amarela – que orienta aumentar a cobertura vacinal. No entanto, segundo Rosana Linhares, secretária municipal de Saúde, a intensificação de vacinas não significa vacinação em massa. “Esse movimento faz com que tenhamos uma nova técnica de trabalho, que envolve novamente o cuidado com aquela região onde foi encontrado o macaco positivo. Mas, esse processo de cuidado não é vacinação em massa, não existe isso na febre amarela”, explicou a secretária. Ainda de acordo com ela, no caso da febre amarela, é necessário intensificar a cobertura vacinal respeitando os critérios determinados pelo Ministério da Saúde. “Porque existem reações pós-vacina, algumas, inclusive, muito importantes e nós não podemos submeter indiscriminadamente, a população a este processo de convivência com a vacina, sendo que, nem sempre é necessário tomá-la”, ressaltou Rosana Linhares.

Para Alexandre de Faria Martins da Costa, diretor da GRS, não há necessidade de pânico. “É uma doença que preocupa, mas não podemos gerar pânico, pois a vacinação de febre amarela é rotina, não é campanha. Já tivemos um surto de febre amarela silvestre em 1999. Essa vacina segue todos os critérios e vamos ampliar a cobertura. Então, a probabilidade de febre amarela em seres humanos é cada vez minimizada”, salientou Alexandre Martins da Costa.

Na “Categoria 3”, segundo Rosana Linhares, a orientação é vacinar a população nos postos fixos, volantes e casa a casa e, também, “administrar uma dose em bebês de seis até oito meses, mas repetindo outra aos nove meses, conforme o calendário de rotina”, explicou.

Macacos

A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade, revelou que, até ontem (5), além do macaco encontrado morto pela febre amarela, no dia 9 de fevereiro, em Ipoema, foram registradas as mortes de outros seis primatas que, segundo ela, já foram enviados para análise na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Hoje (6), a SMS anunciou mais um resultado positivo da doença, no primata encontrado morto no dia 11 de fevereiro. “Ele foi recolhido na saída de Itabira, depois do bairro Hamilton, aparentemente por atropelamento. Mas, o resultado da análise da Fiocruz chegou agora e ele estava infectado com o vírus da febre amarela”, frisou Thereza.

No domingo de Carnaval (26/02), outro macaco foi encontrado morto no Parque Estadual Mata do Limoeiro, região de Ipoema, que registrou, na mesma semana – quinta-feira (02/03) – a morte de mais dois macacos. “O de domingo já foi encontrado em estado de decomposição. O responsável pelo parque nos ligou e fomos lá recolher no mesmo dia”, informou a superintendente. Ela disse, ainda, que os dois encontrados na quinta-feira também foram recolhidos e enviados para a Fiocruz. Também no dia 2 de março, um macaco morreu eletrocutado próximo à Policlínica, no bairro Esplanada da Estação e Thereza Andrade reforçou a tese de comportamento alterado. “Não sabemos porque ele estava no local e precisamos saber a causa da morte”.

O sétimo primata, de acordo com Thereza Andrade, foi achado ontem (5), na rodovia próxima à Funcesi – saída da cidade. “Esse foi encontrado depois da faculdade, no pontilhão, na primeira curva à esquerda. Nos mandaram fotos pelo celular e fomos lá recolher. Já mandamos para análise”, explicou.

Cobertura

De acordo com a superintendente Thereza Andrade, mais de 80% da população da zona rural de Itabira está vacinada. Entretanto, o Ministério da Saúde preconiza uma cobertura vacinal acima de 93%. “Ainda estamos atualizando os dados. Não que a gente não tenha atingido esse percentual. Anteriormente, nos tínhamos registrado uma cobertura maior, tanto que não tivemos grande demanda na zona rural, pois já tinha cobertura de rotina. Mas, com certeza, a nossa cobertura na zona rural é de mais de 80% e já deve estar próxima desse índice”, afirmou Thereza.

Mata do Limoeiro

Diante do número de macacos encontrados mortos no Parque Estadual Mata do Limoeiro, em Ipoema, a secretária Rosana Linhares informou que, a Prefeitura de Itabira, por meio da SMS, solicitou hoje (6), ao Governo do Estado, o encerramento temporário das atividades no parque. “Em consenso hoje pela manhã, depois da informação de mais dois macacos mortos no parque, nós já entramos em contato, por meio da GRS, com o Instituto Estadual de Florestas (IEF), solicitando com urgência a interrupção de utilização da área”. Ainda de acordo com ela, “o Estado já está ciente da situação. Tomamos essa decisão e temos essa autoridade aqui na região de Itabira. Imediatamente isso será comunicado aos guardas florestais e o encerramento de trânsito na região (parque) será iniciado”, finalizou Rosana Linhares.

Febre amarela é a causa da morte do macaco encontrado na zona rural e Itabira passa para a “Categoria 3” no protocolo de saúde

A Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), confirmou nesta tarde (3), que o macaco encontrado morto no dia 9 de fevereiro, na zona rural de Itabira – localidade do distrito Ipoema – estava infectado com o vírus da febre amarela. O resultado da análise da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) chegou ontem (2), por e-mail, no final do dia. Apesar dessa confirmação, a SMS afirmou que ainda não registrou casos da doença em seres humanos.

De acordo com Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde, até segunda-feira (6), a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) deve publicar a reclassificação do município no protocolo de intensificação e orientações sobre a vacinação de febre amarela, agora “Categoria 3” – municípios com casos/óbitos humanos ou epizootias confirmadas para febre amarela.

Assim que o macaco foi encontrado, a SMS o encaminhou para Belo Horizonte “e de lá ele foi para análise na Fiocruz, no Rio de Janeiro”, explicou Thereza Andrade. A partir de hoje (3), a estratégia da SMS é prosseguir com a vacinação, “porque ela já está intensificada desde que encontramos o macaco. É importante reforçar também, que ainda não notificamos, em pessoas, casos de febre amarela”, afirmou a superintendente. Além disso, Thereza explicou que no dia da notificação do animal morto, a polícia ambiental também foi acionada. “Os policiais traçaram um raio por onde o macaco teria transitado e nenhum outro animal foi encontrado morto”.

Histórico

Após identificar macacos mortos na zona rural, o município passou, no início do mês passado, para a “Categoria 2” do protocolo – municípios com rumor ou epizootias em investigação e municípios que são limítrofes a regiões com casos humanos e epizootias confirmadas –. Segundo Thereza Andrade, “desde o início do surto na região leste do estado, quando ainda estávamos na ‘Categoria 1′, nós tomamos todas as medidas que seriam necessárias na ‘Categoria 2′, considerando que a transmissão da febre amarela silvestre acontece porque o homem adentra a mata e se contamina acidentalmente”, explicou a superintendente. Dessa maneira, segundo ela, a Prefeitura já havia intensificado a vacinação na zona rural de Itabira. “Como temos Programa de Saúde da Família (PSF) em toda a região, nós já procedemos a vacinação, inclusive na região que o macaco foi encontrado”, ressaltou.

Categoria 3

De acordo com o protocolo da SES/MG, nesta categoria, o município tem que intensificar a vacinação. Neste caso, é necessário considerar as particularidades e vacinar nos postos fixos, volantes e casa a casa. “Sabemos que a região é grande e extensa e nós já começamos a trabalhar de casa em casa com os nossos agentes comunitários e equipes da Saúde da Família antes do resultado do exame chegar”, salientou Thereza Andrade. Antes disso, no dia 20 de janeiro, a superintendente relatou, que foram realizadas reuniões com a infectologista Andréa Cabral, para os funcionários da área de saúde que atuam em diversos locais e empresas do município. “Nós tivemos o cuidado de chamar todo mundo que representa, tanto a rede hospitalar, quanto a população de trabalhadores que atua em zonas de mata e que poderiam estar expostos ao vírus. Inclusive, a partir de então, decidimos vacinar os trabalhadores dessas empresas”, finalizou.

Coletiva de imprensa

Na próxima segunda-feira (6), às 10 horas, na Gerência Regional de Saúde (GRS) – avenida Vila Lobos, nº 121, no bairro Esplanada da Estação – a equipe da Secretaria Municipal de Saúde e a diretoria da GRS irão se reunir para esclarecer à população a situação de febre amarela e os procedimentos de vacinação. Em seguida, concederão entrevista coletiva sobre a reclassificação do município de Itabira no protocolo de saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

Scroll To Top