domingo , 22 setembro 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: Campanha de vacinação

Arquivos de Tag: Campanha de vacinação

Pólio e Sarampo – 40% das crianças ainda não se vacinaram

A oito dias do fim da Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo, 40% das crianças ainda não foram vacinadas. Balanço preliminar da Secretaria Municipal mostra que, até a manhã de hoje (22/08), haviam sido imunizadas 3.521 (61,05%) crianças contra a poliomielite e 3.519 (59,02%) contra o sarampo.

Conforme nota emitida pelo Ministério da Saúde, “o Brasil está livre da poliomielite desde 1990. Em 1994, o país recebeu, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem. Por isso é fundamental a manutenção das elevadas coberturas vacinais, acima de 95%, em todos os municípios para evitar a reintrodução da doença no território nacional”. Para alcançar esta meta, Itabira deve vacinar pouco mais de 5.500 crianças.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta alerta os pais que a vacina é a forma mais eficaz de inibir o reaparecimento dessas doenças, que já eram consideradas eliminadas no país. Para garantir a cobertura total contra o sarampo, mesmo as crianças de até cinco anos que já tomaram alguma dose das vacinas poderão ser imunizadas com a vacina tríplice viral. No caso da poliomielite, crianças que nunca tomaram nenhuma dose na vida receberão a Vacina Inativada Poliomielite (VIP). Já as crianças menores de cinco anos que já tomaram pelo menos uma dose da vacina, receberão apenas a gotinha (Vacina Oral Poliomielite).

Lamentavelmente, muitos pais ou responsáveis por crianças menores se descuidam da vacinação quando a doença é considerada erradicada. É como se o perigo não existisse mais. Porém, se não vacinar, inevitavelmente, a doença volta a se tornar um risco. Estamos vivenciando esta situação com o sarampo. Diversos estados brasileiros estão registrando casos de sarampo. Isso só está acontecendo porque existem pessoas que não estão imunizadas”, explica.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo começou no dia 6 e seguirá até o dia 31 de agosto em todas as unidades de PSF, além da Policlínica, mas as vacinas estão disponíveis nos PSFs o ano todo.

Campanha de vacinação – Itabira deverá imunizar 5.764 crianças contra a pólio e o sarampo

Começa no próximo dia 6 e segue até 31 de agosto a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo. Em Itabira, a imunização será feita em todas as unidades de saúde que possuem sala de vacina, das 8h às 16h. O Dia D, quando todas as unidades estarão abertas das 8h às 17h, ocorrerá em 18 de agosto. A meta é que sejam imunizadas 5.764 crianças.

A campanha terá como público-alvo crianças com idade a partir de 1 ano até menores de cinco, independente da situação vacinal. No caso da tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, somente serão imunizadas as pessoas que não completaram o esquema de vacinação.

Conhecida também como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença contagiosa causada por vírus. A vacinação e considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a única forma capaz de erradicação da doença.

O sarampo também é uma doença viral, infecciosa e transmissível. A propagação pode ocorrer de forma direta, por meio de tosse, espirro, falar ou respirar e pode ser evitada por meio da vacinação. A doença foi uma das principais causas de mortalidade infantil no país e pode deixar sequelas neurológicas. O vírus provoca manchas vermelhas no corpo, febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e pontos brancos na mucosa bucal.

Recentemente, o Ministério da Saúde divulgou que o Brasil diversos casos confirmados de sarampo e que o país enfrenta surto em dois estados: Roraima e Amazonas. Até meados de julho, já haviam sido confirmados 444 casos da doença no Amazonas e 216 em Roraima. Outros 2.689 estavam em investigação nos dois estados.

Para Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, superintendente de Vigilância em Saúde, é muito importante que pais e responsáveis fiquem atentos e vacinem suas crianças. “A volta do sarampo representa um retrocesso muito grande. A doença só voltou porque encontrou pessoas que não estavam vacinadas. É muito importante termos a consciência de que não existe doença do passado. Todas elas podem voltar a qualquer momento. Por isso, precisamos estar imunizados, tomar todas as vacinas, incentivar as pessoas a se protegerem, atualizar sempre o cartão de vacinas dos pequenos e manter longe de nós as doenças. E ainda reforço, parafraseando uma importante infectologista brasileira: vacinar-se não é questão de opinião, opção, nem um direito individual. É uma obrigação do cidadão e um dever de todos os pais”, finaliza Thereza Andrade.

Influenza – Vacinação contra a gripe termina nesta sexta-feira

Termina nesta sexta-feira (15/06) a campanha de vacinação contra a gripe. Até o momento, a Secretaria Municipal de Saúde já registrou uma cobertura vacinal de 87,46% do público-alvo. A meta é imunizar cerca de 26 mil pessoas.

Devem tomar a vacina gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, crianças com idades entre 6 meses e menores de 5 anos, pessoas com mais de 60 anos, pacientes crônicos, além de profissionais de saúde e indígenas.

Precisamos que a população procure uma unidade de saúde para se vacinar, a fim de evitar o aumento das chances de transmissão, além das formas mais graves da doença entre os grupos suscetíveis. É importante que todo o público-alvo se vacine. A gripe não é uma doença grave, mas entre os grupos prioritários pode se agravar, sim, e a vacina é uma das melhores formas de evitar que isso aconteça”, afirma Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, superintendente de Vigilância em Saúde.

As doses aplicadas neste ano imunizam contra os três subtipos de gripe que mais circulam no inverno: A/H1N1, A/H3N2 e Influenza B. De janeiro a junho deste ano, em todo o estado foram confirmados 81 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados pelo vírus da gripe. Foram notificados 11 óbitos. Em Itabira, foram confirmados dois casos de H3N2.

Público-alvo – De acordo com o estabelecido pelo Ministério da Saúde, podem se imunizar pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, trabalhadores de saúde, povos indígenas, pessoas com doenças crônicas, professores da rede pública e particular, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. A campanha de vacinação começou no dia 23 de abril e será encerrada no dia 15 de junho.

Vacinômetro

Pessoas com 60 anos ou mais – 91,56%

Crianças de seis meses a menores de 5 anos – 78,57%

Gestantes – 55,22%

Mulheres até 45 dias após o parto – 76,04%

Trabalhadores de saúde – 106,73%

Professores da rede pública e particular – 93,35%

Utilidade pública – Novo horário de funcionamento da sala de vacinação da Policlínica Municipal

A Prefeitura de Itabira informa que a partir desta sexta-feira (2/02), a sala de vacinação da Policlínica Municipal – rua Luiz Ventura, nº 75, na Vila Piedade – funcionará em novo horário, das 8 às 20 horas, para a imunização contra a febre amarela. Devido ao recesso de carnaval próximo, o novo horário seguirá até quinta-feira (8/02) – exceto sábado e domingo. Para outras informações: 3839-2399.

Febre Amarela: Secretaria de Saúde alerta para a necessidade de vacinação

Preocupada com o avanço de casos e mortes por Febre Amarela no Estado de Minas Gerais, a superintendente de Vigilância em Saúde Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta conclama a todos que ainda não se vacinaram, que procurem uma unidade de saúde e se imunizem. “A vacina é a forma mais eficaz e segura para contermos o avanço da doença”, ressalta Thereza Andrade.

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou ontem (18/01) 22 casos e 15 mortes em decorrência da Febre Amarela. Dos 22 casos confirmados, 21 se referem a homens, com idade média de 45 anos. Ainda de acordo com a Secretaria de Estado, outros 46 casos seguem sob investigação.

Em meados de 2017, quando foram registrados vários casos de Febre Amarela no país – inclusive com epidemias em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo –, Itabira deflagrou intensa campanha de prevenção e vacinação em massa. “Em áreas diferentes da cidade, foram encontrados sete primatas mortos e isso nos deixou em alerta, já que a presença de macacos mortos ou doentes é indicativa de que o vírus da Febre Amarela pode estar circulando no local. Em razão disso, intensificamos a vigilância, mobilizamos empresas, instituições de ensino e sociedade civil, orientamos a população e iniciamos a vacinação. Fizemos vacinação de casa a casa em toda a zona rural, de grupos específicos como presídio e hospitais e chegamos a estender o horário de funcionamento dos PSFs para viabilizar e facilitar o acesso daqueles que trabalham o dia inteiro e que não tinham tempo para ir à unidade em horário comercial. Mesmo com todos os esforços ainda tem pessoas que não se vacinaram”, lembra a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

De acordo com ela, o Município pretende atingir uma cobertura de 100%. “Sabemos que é muito difícil alcançar esse índice, mas é o que pretendemos. É a única forma de resguardamos a cidade e quem aqui vive. Nosso apelo hoje é, principalmente aos homens, que é o grupo mais resistente à imunização. É imprescindível que todos se vacinem”, argumenta Thereza Andrade.

Na semana passada, o Ministério da Saúde anunciou uma campanha emergencial para conter o avanço da Febre Amarela em São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro. No fim de semana, até a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgou um informe onde destaca o crescimento da febre amarela no Brasil, alerta para o risco de um surto no país se expandir e recomenda uso racional da vacina, já que admite que há limitação de doses para proteger toda a população. Em razão da baixa oferta de vacinas e com o intuito de imunizar o maior número de pessoas, o Ministério da Saúde já autorizou o fracionamento de doses. Em São Paulo, vacinação da dose fracionada será realizada em 52 municípios. A dose fracionada tem 0,1 ml, enquanto que uma dose convencional tem 0,5 ml. Ela permite a imunização por oito anos.

Em Itabira, conforme ressalta Thereza Andrade, a população tomou as doses convencionais e aqueles que ainda não foram imunizados tomarão 0,5 ml, o que garante proteção por toda a vida. As doses estão disponíveis na Policlínica e em 11 unidades de PSF. “É muito importante que a população procure a unidade de saúde e se vacine contra a Febre Amarela, pois ela é uma doença grave e pode levar à morte. O país está passando por um surto e frequentemente estão surgindo novos casos da doença, inclusive, em cidades próximas de Itabira. A única forma de se prevenir é a vacinação”, alerta Thereza Andrade.

Prefeitura vacina adolescentes contra HPV e meningite

Até o dia 31 de agosto, a Prefeitura de Itabira irá vacinar crianças e adolescentes, entre 9 e 14 anos, contra a meningite (Meningo C) e, ainda, quatro tipos de HPV.

As vacinas estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), inclusive nas unidades que atendem a zona rural, para as todas as crianças e adolescentes. No entanto, segundo Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde, uma intensificação vacinal começou no último dia 14, por meio do Programa Saúde na Escola (PSE), desenvolvido pelas escolas municipais Américo Giannetti, Alice Martins Fontes, Antonina Moreira, José Gomes Vieira, Pedreira do Instituto, Professora Didi Andrade, Água Fresca, Marina Bragança de Mendonça e Antônio Camilo Alvim, em meninas de nove a 14 anos e, meninos, de 11 a 14 anos.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a proposta desta ação é prevenir o câncer do colo do útero – quarta maior causa de morte de mulheres por câncer no país – e a meningite que, segundo o Ministério da Saúde, é considerada uma doença endêmica, com possíveis ocorrências de surtos e epidemias ocasionais.

Intensificação

O público-alvo do PSE, de acordo com Natália Franco Barbosa Andrade, diretora de Vigilância Epidemiológica, é de 1.250 adolescentes. “Desse total, apenas 299 estudantes foram autorizados pelos pais a tomarem as vacinas”, ressaltou a diretora.

Para serem vacinados, é necessário que os alunos apresentem uma autorização dos pais ou responsável por escrito. “Podem receber as doses somente quem apresenta este documento”, explicou Natália Andrade, que ressaltou a resistência dos pais com as vacinas. “Queremos que os pais saibam que essas vacinas são seguras e eficazes, além de terem um custo elevado na rede particular. Portanto, vacinar agora é pensar na proteção futura dos nossos filhos”. Além da prevenção, o objetivo, segundo Thereza Andrade, é facilitar o acesso às vacinas, “já que tradicionalmente, é muito baixo o número de meninas e meninos que são imunizados”.

Meningite

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a meningite é um processo inflamatório das meninges – membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou também, por processos não infecciosos. As meningites bacterianas e virais são as mais importantes do ponto de vista da saúde pública, devido sua magnitude, capacidade de ocasionar surtos, e no caso da meningite bacteriana, a gravidade dos casos.

Prefeitura intensificará vacinação contra hepatites virais para público-alvo

Até sexta-feira (21), a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), irá cadastrar o público-alvo para a campanha de intensificação contra as hepatites virais, que acontecerá na próxima segunda-feira (24/7), das 9 às 16 horas, no Centro Estadual de Atenção Especializada (Ceae) – antigo Viva Vida – localizado na avenida João Pinheiro, nº 791.

De acordo com Thereza Cristina Oliveira Andrade, superintendente de Vigilância em Saúde, fazem parte do grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde, tatuadores, manicures, pedicures e podólogos. “Esses profissionais devem se cadastrar na secretaria, pelo telefone 3839-2600, das 9 às 17 horas e, no dia 24, poderão se vacinar no Ceae. É importante levar o cartão de vacinação, caso tenha”, explicou Thereza. A superintendente esclareceu ainda que, além da via sexual, a transmissão das hepatites ocorre pela transfusão sanguínea, agulhas contaminadas, gestação e alicates de remoção de cutículas contaminados, “por isso que esses profissionais são prioritários na campanha de vacinação”.

Campanha

A imunização do dia 24 faz parte das atividades que antecedem o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais (28/7). Segundo informações da SMS, as hepatites virais são doenças que provocam inflamação do fígado e, dependendo da intensidade e tempo de duração, pode levar a cirrose e câncer de fígado.Na maioria das vezes, os sintomas não aparecem e as hepatites passam despercebidas. Em alguns casos, ocorrem cansaço, falta de apetite, enjoo, vômito, urina escura, pele e olhos amarelados (icterícia), além de fezes esbranquiçadas”, explicou a superintendente Thereza Andrade. A vacina contra a Hepatite B, segundo ela, é oferecida gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e, para assegurar a imunização, devem ser ministradas três doses.

Imunização infantil – Campanha de vacinação contra a pólio começa neste sábado

Começa no próximo sábado (15) e vai até o dia 31 de agosto a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, para crianças com idade a partir de seis meses a menores de cinco anos. Além da vacina contra a poliomielite, os pais poderão atualizar a caderneta de vacinação dos filhos, uma vez que a campanha também inclui a multivacinação, com outras doses previstas no calendário vacinal básico para crianças de até cinco anos.

Em Itabira, a campanha do Ministério da Saúde (MS) acontece por meio da Prefeitura de Itabira/ Secretaria Municipal de Saúde (SMS). No sábado, dia de divulgação e mobilização nacional (Dia D), as unidades do Programa Saúde da Família (PSF) e Policlínica Municipal funcionarão das 8h às 17h. Nos outros dias, a campanha continua, em horário habitual, nas unidades que possuem sala de vacinação. A apresentação da caderneta de vacina é imprescindível.

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença provocada por vírus que afeta o sistema nervoso e pode levar à paralisia irreversível dos membros. De acordo com o MS, o Brasil está livre da doença desde 1990; por isso, a vacinação é essencial para manter o vírus fora do país. A meta mínima exigida pelo MS para os municípios é imunizar 95% do público-alvo com vacina oral contra poliomielite (VOP), independente da criança ter sido vacinada em outra situação.

Com relação à campanha de multivacinação, as crianças que forem imunizadas contra a pólio também poderão receber outras vacinas para atualizar suas cadernetas de vacinação, entre elas a tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Nestes casos, os agentes da saúde deverão avaliar a situação vacinal de cada criança. O objetivo da ação é diminuir o risco de transmissão de enfermidades e as taxas de abandono do esquema vacinal.

CAMPANHA VACINACAO

27 de junho – Vacinação antirrábica acontece no próximo sábado em Itabira

No próximo sábado (27), a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realiza a campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos. A imunização acontecerá das 8h às 17h em 25 postos espalhados pelos bairros da cidade.

O objetivo da campanha é manter o controle da raiva animal no município. Segundo o coordenador de vetores da SMS, César Augusto Nunes, a meta é imunizar 13 mil cães e 1.400 gatos. Devem receber a vacina cães com idade a partir de 3 meses. Na área rural, a campanha já foi realizada.

César Nunes orienta que os proprietários levem seus gatos dentro de um saco de linhagem ou em caixa de transporte para facilitar a imunização. Cães de grande porte devem utilizar focinheira e estar acompanhados de um adulto. “Não será permitido levar a vacina para casa. A imunização deve acontecer nos postos e é muito importante que os donos dos animais os levem. Cães e gatos devem ser vacinados anualmente. A raiva animal em Itabira está erradicada, mas para que isso continue é fundamental manter este controle. A vacina é a única defesa contra a doença”.

Raiva animal

Cães, gatos e morcegos são os principais transmissores da raiva, que compromete o sistema nervoso do homem, quando contaminado. A raiva é uma doença infecciosa que afeta especialmente os animais mamíferos. Propaga-se principalmente em contato com saliva, mordedura, lambida de feridas abertas, mucosas e arranhões de animais infectados. Esta doença, se não tratada, pode levar à morte.

Confira os postos de vacinação:

  • Associação de Amigos do Bairro Amazonas

  • Cesec (de 8h às 12h) – Vila São Joaquim

  • Combem – bairro Bethânia

  • Praça ao lado da Escola Estadual Madre Maria de Jesus

  • Igreja Vila Amélia (de 13h às 17h)

  • Pracinha do Pará – Rua Ipoema, em frente ao Voley Burger

  • Praça Fábio Pires – Vila Paciência

  • Escola Estadual Trajano Procópio Alvarenga Silva Monteiro (Premem)

  • PSF Água Fresca

  • PSF Amazonas

  • PSF Juca Batista

  • Praça Acrísio Alvarenga

  • PSF Eldorado

  • Associação de Amigos do Bairro Fênix

  • PSF Gabiroba de Baixo

  • PSF Gabiroba de Cima

  • PSF João XXIII

  • PSF Machado

  • PSF Major Lage

  • PSF Pedreira

  • PSF Praia

  • Secretaria Municipal de Saúde – bairro Campestre

  • Venda do Ouro – bairro Pedreira

 

Prorrogado – Campanha de vacinação contra a gripe é estendida até dia 5 de junho

A campanha de vacinação contra a gripe continuará até o dia 5 de junho. Quem faz parte do público-alvo e ainda não foi imunizado, deve procurar uma das 20 unidades de saúde do município, que possuem sala de vacinação. Como no país, em Itabira a meta de vacinar 80% do grupo prioritário não foi alcançada. Até a manhã desta sexta-feira (22), no Município haviam sido imunizadas 50,52% das pessoas consideradas com maior risco de desenvolver complicações causadas pela gripe.

Devem receber a vacina: crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias), pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (com apresentação do atestado médico), povos indígenas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional e da área da saúde. É necessário apresentar o cartão de vacina.

A diretora de Vigilância Epidemiológica, Lumênia de Souza Duarte, pede que aqueles que precisam receber a vacina compareçam. “O organismo leva cerca de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe. Portanto, é fundamental realizar a vacinação no período da campanha para garantir a proteção antes do início do inverno. Depois que a vacina foi implementada reduziram muito as complicações, internações e mortalidade decorrentes de problemas respiratórios”, destaca.

Lumênia Duarte ainda explica que as pessoas não precisam ter receio de receber a vacina, devido a possíveis efeitos colaterais. “A vacina é contraindicada a pessoas que tiveram reação anafilática em doses anteriores, que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados ou estejam febril no dia da imunização”.

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe: A/H1N1; A/H3N2 e Influenza B. Crianças que vão receber a vacina contra a gripe pela primeira vez devem ser imunizadas em duas etapas, com intervalo de 30 dias entre as doses.

Scroll To Top