segunda-feira , 27 maio 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite

Arquivos de Tag: Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite

Pólio e Sarampo – 40% das crianças ainda não se vacinaram

A oito dias do fim da Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo, 40% das crianças ainda não foram vacinadas. Balanço preliminar da Secretaria Municipal mostra que, até a manhã de hoje (22/08), haviam sido imunizadas 3.521 (61,05%) crianças contra a poliomielite e 3.519 (59,02%) contra o sarampo.

Conforme nota emitida pelo Ministério da Saúde, “o Brasil está livre da poliomielite desde 1990. Em 1994, o país recebeu, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem. Por isso é fundamental a manutenção das elevadas coberturas vacinais, acima de 95%, em todos os municípios para evitar a reintrodução da doença no território nacional”. Para alcançar esta meta, Itabira deve vacinar pouco mais de 5.500 crianças.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta alerta os pais que a vacina é a forma mais eficaz de inibir o reaparecimento dessas doenças, que já eram consideradas eliminadas no país. Para garantir a cobertura total contra o sarampo, mesmo as crianças de até cinco anos que já tomaram alguma dose das vacinas poderão ser imunizadas com a vacina tríplice viral. No caso da poliomielite, crianças que nunca tomaram nenhuma dose na vida receberão a Vacina Inativada Poliomielite (VIP). Já as crianças menores de cinco anos que já tomaram pelo menos uma dose da vacina, receberão apenas a gotinha (Vacina Oral Poliomielite).

Lamentavelmente, muitos pais ou responsáveis por crianças menores se descuidam da vacinação quando a doença é considerada erradicada. É como se o perigo não existisse mais. Porém, se não vacinar, inevitavelmente, a doença volta a se tornar um risco. Estamos vivenciando esta situação com o sarampo. Diversos estados brasileiros estão registrando casos de sarampo. Isso só está acontecendo porque existem pessoas que não estão imunizadas”, explica.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo começou no dia 6 e seguirá até o dia 31 de agosto em todas as unidades de PSF, além da Policlínica, mas as vacinas estão disponíveis nos PSFs o ano todo.

Mobilização – Dia D contra pólio e sarampo será neste sábado

A Secretaria Municipal de Saúde realiza, neste sábado (18), o Dia D de vacinação contra a poliomielite e o sarampo. A imunização será feita das 8 às 17 horas em todas as unidades de PSF, além da Policlínica. Às 8 horas, o prefeito Ronaldo Magalhães fará a abertura do evento na Unidade Básica de Saúde do Praia II, ao lado do prédio da Justiça do Trabalho.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo começou no dia 6 e se estenderá até 31 de agosto. A meta é que até o final da campanha sejam imunizadas 5.764 crianças.

A campanha tem como público-alvo crianças com idade a partir de um ano até menores de cinco, independentemente da situação vacinal. No caso da tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, somente serão imunizadas as pessoas que não completaram o esquema de vacinação. É fundamental que os pais apresentem o cartão de vacina para que o histórico de vacinação da criança seja verificado. Caso esse documento tenha sido perdido, a criança deve ser levada para ser imunizada com a certidão de nascimento.

A diretora de Vigilância Epidemiológica Natália Franco Barbosa de Andrade ressalta que o sarampo pode acometer pessoas de qualquer faixa etária. Por isso, é muito importante a imunização. “Os surtos que temos visto no Norte do Brasil têm acometido principalmente crianças menores de cinco anos, que é o público em que a doença pode ser mais grave, pois compromete o sistema imunológico. Além das complicações, como infecções respiratórias (pneumonia), o sarampo também pode provocar otites, doenças diarreicas, neurológicas e levar à morte”, alerta.

Natália Andrade também destaca que, além do sarampo, a vacina tríplice viral também protege contra a caxumba e a rubéola. “É importante dizer que o Brasil já registrou casos de sarampo em seis estados. Para manter a doença afastada, é fundamental manter alta e homogênea a cobertura vacinal, para evitar a reintrodução do vírus”, destacou.

Conhecida também como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença contagiosa causada por vírus. A vacinação é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a única forma capaz de erradicação da doença. “Não existe argumento justificável para que os pais ou responsáveis deixem de imunizar suas crianças. É a vacinação que pode garantir que essas doenças transmissíveis continuem distantes”, pontua Natália Andrade.

Prioridade

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais determinou que os municípios suspendam, durante o mês de agosto, a aplicação de rotina da vacina tríplice viral. Conforme justificou, houve atraso na entrega das doses e, por isso, os municípios deverão priorizar a imunização das crianças até cinco anos. A intenção é de que a distribuição seja normalizada em setembro. “Por este motivo, contra o sarampo, as unidades de saúde estão imunizando apenas as crianças, mas a expectativa é que a partir de setembro a situação seja regularizada e voltaremos a fazer as doses de rotina em pessoas com mais de cinco anos”, explica Natália Andrade.

Saúde bucal

A equipe de saúde bucal também estará presente no Dia D de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo. Desde segunda-feira, as unidades de saúde fazem atividades para alertar sobre a importância da higiene bucal e avaliações odontológicas. No sábado, em algumas unidades haverá atividades lúdicas para as crianças e a equipe técnica prestará informações sobre a importância da dentição e da alimentação saudável.

Campanha de vacinação – Itabira deverá imunizar 5.764 crianças contra a pólio e o sarampo

Começa no próximo dia 6 e segue até 31 de agosto a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo. Em Itabira, a imunização será feita em todas as unidades de saúde que possuem sala de vacina, das 8h às 16h. O Dia D, quando todas as unidades estarão abertas das 8h às 17h, ocorrerá em 18 de agosto. A meta é que sejam imunizadas 5.764 crianças.

A campanha terá como público-alvo crianças com idade a partir de 1 ano até menores de cinco, independente da situação vacinal. No caso da tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, somente serão imunizadas as pessoas que não completaram o esquema de vacinação.

Conhecida também como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença contagiosa causada por vírus. A vacinação e considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a única forma capaz de erradicação da doença.

O sarampo também é uma doença viral, infecciosa e transmissível. A propagação pode ocorrer de forma direta, por meio de tosse, espirro, falar ou respirar e pode ser evitada por meio da vacinação. A doença foi uma das principais causas de mortalidade infantil no país e pode deixar sequelas neurológicas. O vírus provoca manchas vermelhas no corpo, febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e pontos brancos na mucosa bucal.

Recentemente, o Ministério da Saúde divulgou que o Brasil diversos casos confirmados de sarampo e que o país enfrenta surto em dois estados: Roraima e Amazonas. Até meados de julho, já haviam sido confirmados 444 casos da doença no Amazonas e 216 em Roraima. Outros 2.689 estavam em investigação nos dois estados.

Para Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, superintendente de Vigilância em Saúde, é muito importante que pais e responsáveis fiquem atentos e vacinem suas crianças. “A volta do sarampo representa um retrocesso muito grande. A doença só voltou porque encontrou pessoas que não estavam vacinadas. É muito importante termos a consciência de que não existe doença do passado. Todas elas podem voltar a qualquer momento. Por isso, precisamos estar imunizados, tomar todas as vacinas, incentivar as pessoas a se protegerem, atualizar sempre o cartão de vacinas dos pequenos e manter longe de nós as doenças. E ainda reforço, parafraseando uma importante infectologista brasileira: vacinar-se não é questão de opinião, opção, nem um direito individual. É uma obrigação do cidadão e um dever de todos os pais”, finaliza Thereza Andrade.

Poliomielite – 83,17% das crianças foram vacinadas em 2017

Diferente do que tem ocorrido com grande parte dos municípios brasileiros, Itabira vacinou 83,17% das crianças menores de um ano contra a poliomielite em 2017. Os dados estão registrados no Sistema de Informação da Secretaria Municipal de Saúde Vivver.

Conforme o registrado, em 2017, receberam a terceira dose da vacina poliomielite 1.191 crianças. Considerando que este dado ainda está subnotificado por não englobar as crianças da rede privada que não têm cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS) ou crianças que foram vacinadas fora de Itabira, o percentual atingido pode aumentar. Apesar disso, a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) busca os 100% de imunização.

Tendo em vista a preocupação atual de retorno da doença no Brasil, a SMS já está preparando uma intensa campanha para reforçar a importância da imunização contra a Poliomielite e o Sarampo. Este ano, a campanha nacional ocorrerá entre os dias 6 e 24 de agosto.

Conflito de dados

Mesmo com o bom resultado apurado em Itabira, no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI), do Governo Federal, a cobertura vacinal está abaixo do real. O problema ocorreu em decorrência de conflito na exportação dos dados do sistema próprio da Secretaria Municipal de Saúde para o SIPNI.

Este conflito foi detectado no início da atual administração, em 2017. Para solucionar o problema, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Minas Gerais e a Secretaria Municipal decidiram zerar a base de dados do Governo Federal, o que ocorreu em 21 de junho de 2018. Depois de efetivado, iniciou-se o complexo processo de correção da sistemática para futura retransmissão dos dados.

Por causa dos conflitos, ocorridos principalmente no momento da exportação dos dados, informações do lançamento de vacinas estão desatualizadas na base de dados do Governo Federal desde o ano de 2015. O problema está sendo resolvido e a SES-MG tem ciência e acompanha a situação.

Em tempo

Em abril deste ano, a Prefeitura anunciou redução histórica do índice de mortalidade infantil em Itabira. No ano passado, a taxa caiu 48,34% em comparação com os dados de 2016, ou seja, diminuiu de 13,51 mortes a cada mil nascidos vivos em 2016, para 6,98 em 2017.

Na campanha de vacinação contra a Influenza – vírus da gripe – deste ano, a Prefeitura atingiu 95,11% do público-alvo, assim como na campanha de imunização contra a febre amarela, em que o percentual de pessoas vacinadas registrou 91,7%.

Imunização infantil – Campanha de vacinação contra a pólio começa neste sábado

Começa no próximo sábado (15) e vai até o dia 31 de agosto a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, para crianças com idade a partir de seis meses a menores de cinco anos. Além da vacina contra a poliomielite, os pais poderão atualizar a caderneta de vacinação dos filhos, uma vez que a campanha também inclui a multivacinação, com outras doses previstas no calendário vacinal básico para crianças de até cinco anos.

Em Itabira, a campanha do Ministério da Saúde (MS) acontece por meio da Prefeitura de Itabira/ Secretaria Municipal de Saúde (SMS). No sábado, dia de divulgação e mobilização nacional (Dia D), as unidades do Programa Saúde da Família (PSF) e Policlínica Municipal funcionarão das 8h às 17h. Nos outros dias, a campanha continua, em horário habitual, nas unidades que possuem sala de vacinação. A apresentação da caderneta de vacina é imprescindível.

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença provocada por vírus que afeta o sistema nervoso e pode levar à paralisia irreversível dos membros. De acordo com o MS, o Brasil está livre da doença desde 1990; por isso, a vacinação é essencial para manter o vírus fora do país. A meta mínima exigida pelo MS para os municípios é imunizar 95% do público-alvo com vacina oral contra poliomielite (VOP), independente da criança ter sido vacinada em outra situação.

Com relação à campanha de multivacinação, as crianças que forem imunizadas contra a pólio também poderão receber outras vacinas para atualizar suas cadernetas de vacinação, entre elas a tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Nestes casos, os agentes da saúde deverão avaliar a situação vacinal de cada criança. O objetivo da ação é diminuir o risco de transmissão de enfermidades e as taxas de abandono do esquema vacinal.

CAMPANHA VACINACAO

Scroll To Top