sábado , 21 setembro 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: doses

Arquivos de Tag: doses

Situação do sarampo em Itabira – “Cobertura vacinal contra sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde”, diz Superintendência de Vigilância em Saúde

Apesar de algumas regiões do país apresentarem casos confirmados, no município não existem. A única maneira de manter a população segura é por meio da vacina.

A cobertura vacinal contra o sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde, para a faixa etária determinada pelo Programa Nacional de Imunização. Mesmo assim mantemos a vigilância”, declarou na manhã desta terça-feira (10) a superintendente em Vigilância em Saúde da Prefeitura de Itabira, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. Até o momento, não há registro de nenhum caso confirmado da doença no município e existe um caso em investigação.

Uma criança de um ano e cinco meses de idade foi imunizada com a segunda dose da vacina no último dia 26 de agosto. No dia 31, iniciou com sintomas sugestivos da doença. No entanto, após a avaliação médica o caso foi classificado como reação vacinal, estando ainda sob investigação.

Assim que tomamos conhecimento deste caso, prontamente o Protocolo foi aplicado. As ações de bloqueio que competem ao município, como avaliação da situação vacinal de todos os contatos do caso suspeito e vacinação imediata dos casos necessários, em até 72 horas, foram realizados. Os exames laboratoriais estão sendo realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), mesmo o sarampo tendo sido preliminarmente descartado após avaliação médica”, explicou Thereza Andrade.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda a imunização de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose de Triviral aos 12 meses e outra aos 15 meses de idade. A partir de 12 meses a 29 anos de idade, o MS recomenda duas doses da vacina contendo o componente sarampo e de 30 a 49 anos de idade uma dose. Os profissionais de saúde devem ter comprovação de duas doses da vacinal com componente sarampo, independentemente da faixa etária.

Com o aumento do número de casos em algumas regiões do país, o MS tem intensificado a vacinação e recomendado que crianças entre seis e 11 meses de idade e 29 dias recebam uma dose de Triviral. Esta dose não será considerada válida para fins do Calendário Nacional de Vacinação, devendo ser administrada dose de rotina aos 12 meses e 15 meses.

Em Itabira, até o momento, já foram aplicadas 3.775 doses da tríplice viral – número considerado excelente pelas autoridades em saúde. Thereza Andrade ressalta que todas as unidades de saúde do município estão preparadas para agir em caso de suspeita da doença e orienta que aquele que apresentar febre, tosse persistente, irritação ocular, coriza, mal-estar intenso e manchas vermelhas (exantema) devem procurar uma unidade de saúde, pois, estes podem ser sintomas sugestivos de sarampo.

A Superintendente de Vigilância em Saúde destacou ainda que o Município possui disponível a vacina tríplice viral para a rotina de imunização. As salas de vacinação das unidades básicas de saúde (UBS) funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Quem tiver dúvidas sobre a vacinação contra o sarampo, procure orientações na UBS, preferencialmente, com o cartão de vacinação.

Surto em Itabira – Febre amarela deixa município em alerta: mais de mil pessoas procuram a Policlínica para imunização

No último sábado (24), Dia D de vacinação contra a febre amarela em Itabira, mais de mil pessoas procuraram a Policlínica Municipal para serem imunizadas contra o vírus. No entanto, foram vacinadas 543 pessoas. De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica do município, Natália Franco Barbosa de Andrade, o número significativo de atendimentos no Dia D demonstra a preocupação do itabirano com a doença.

Itabira está classificada na categoria 3, ou seja, estamos sofrendo com um surto de febre amarela. Por isso, pedimos para que todas as pessoas que ainda não foram vacinadas procurem uma unidade de saúde o mais depressa possível. No Dia D, muita gente foi até a Policlínica com dúvida se já tinha sido imunizada ou não. Assim, após verificação, constatamos que muitos já haviam sido vacinados e não precisariam tomar uma nova dose. Tivemos casos, inclusive, de pessoas que já haviam recebido duas doses da vacina”, disse.

Os dados atualizados da SMS advertem sobre a importância e necessidade de se imunizar toda a população. As informações levantadas dão conta de que houve um aumento significativo do número de notificações envolvendo a doença em Itabira. Ao todo, temos: 2 óbitos confirmados, 4 óbitos em investigação; 23 casos suspeitos em investigação, 5 descartados.

A campanha da Prefeitura de Itabira, que tem como meta vacinar todas as pessoas que ainda não receberam nenhuma dose da vacina, continua nesta semana. Para isso, a SMS montou uma escala de funcionamento especial para as unidades de saúde. Confira:

Data                         Unidade                             Horário

26/02    Policlínica e UBS Areão/ Amazonas        das 8h às 20h

27/02            Policlínica e UBS Pará                  das 8h às 20h

28/02         Policlínica e UBS Major Lage            das 8h às 20h

01/03    Policlínica e UBS João XXIII/ Machado   das 8h às 20h

02/03            Policlínica e UBS Centro                das 8h às 20h

No sábado (3), acontecerá um novo mutirão de vacinação. Desta vez, as seguintes unidades de saúde estarão abertas das 8h às 16h: Policlínica, UBS João XXIII/ Machado, UBS Água Fresca/ Juca Batista, UBS Ipoema, UBS Senhora do Carmo, UBS Vila Santa Rosa/ Centro, UBS Areão/ Amazonas, UBS Pará e UBS Eldorado.

Todos os usuários devem levar o cartão de vacina. As pessoas acima de 60 anos de idade precisam apresentar uma avaliação médica com autorização para se vacinar. A avaliação também poderá ser feita pelo enfermeiro da UBS a qual o usuário pertence.

Itabira antecipa e vacinação contra gripe começa nessa quinta-feira

A campanha da vacina trivalente – que protege contra três tipos de vírus da gripe, incluindo o H1N1 – será antecipada em Itabira. As unidades de saúde começarão a imunização na quinta-feira (28/04). A previsão anterior era começar a vacinação, em todo país, no dia 30 de abril.

As doses serão oferecidas, gratuitamente, nas 21 unidades de saúde do município que possuem sala de vacinação. Deverão ser vacinadas pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis meses a cinco anos, profissionais de saúde, gestantes e mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias, portadores de doenças crônicas e presidiários.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta que, no dia da vacinação, sejam levados o cartão de vacina, um documento de identificação e o Cartão Nacional de Saúde. Para gestantes, não haverá exigência de comprovação da situação gestacional. Já as mulheres no período de até 45 dias após o parto deverão apresentar comprovante, como certidão de nascimento, cartão da gestante, documento do hospital onde ocorreu o parto. Portadores de doenças crônicas deverão apresentar a prescrição médica, especificando o motivo da indicação da vacina. A previsão é que a campanha, que vai até o dia 20 de maio, imunize cerca de 26 mil pessoas.

De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica Lumênia Souza Duarte, a antecipação da imunização é uma recomendação do Governo Federal. “Houve um adiantamento da temporada de gripe no país e vários casos já foram registrados, principalmente em São Paulo. O normal seria que o pico da doença ocorresse no mês de julho, quando a temperatura está mais baixa. Como já recebemos 40% das doses do Governo do Estado nesta semana, hoje estamos distribuindo para as unidades de saúde e na quinta-feira começaremos a vacinação. No sábado vamos promover o Dia D”, explica.

Lumênia alerta que mesmo quem se vacinou no ano passado tem que se imunizar novamente. “A quantidade de anticorpos diminui ao longo dos meses, reduzindo o grau de proteção e os vírus sofrem mutação no período de um ano. Por isso, é imprescindível que todos se imunizem novamente”, explica.

Sintomas

A gripe – tanto a H1N1 quanto a H3N2 ou a Influenza B – tem como sintomas febre alta e súbita, tosse, dor de garganta, dor no corpo, dor nas articulações e dor de cabeça. No caso da H1N1, um sintoma que chama a atenção é a falta de ar e o cansaço excessivo. É importante distinguir a gripe do resfriado comum, que é muito mais leve, com sintomas menos graves como coriza, mal estar, dor de cabeça e febre baixa.

O tratamento envolve boa hidratação, repouso e uso do antiviral específico, prescrito pelo médico. Um deles é o Oseltamivir – mais conhecido pela marca Tamiflu -, distribuído pela rede pública para hospitais e unidades básicas de saúde. Trata-se de um antiviral específico contra o vírus Influenza, indicado para pessoas com maior risco de desenvolver complicações. É importante que o paciente consiga tomar a medicação nas primeiras 48 horas do início dos sintomas, para que a eficácia seja maior. O tratamento também pode envolver o uso de analgésicos para aliviar os sintomas.

Em uma suspeita de Síndrome Respiratória Aguda Grave, a Vigilância Epidemiológica deve ser acionada para coleta de material e envio para confirmação da Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Meninas de 9 a 11 anos devem receber vacina contra HPV

Para prevenir o câncer de colo do útero, doença que provoca mais de 5 mil mortes por ano no Brasil, acontece em todo o país a vacinação contra o Papiloma Vírus Humano (HPV). Neste ano, a campanha realizada pelo Ministério da Saúde (MS) é direcionada a meninas entre 9 e 11 anos: entretanto, as adolescentes de 12 e 13 anos que ainda não foram vacinadas também devem procurar os postos de saúde.

De acordo com o MS, a transmissão do HPV acontece por contato direto com a pele ou a mucosa infectada. A principal forma de contágio é pelo contato sexual, mas também pode ser transmitido de mãe para filho durante o parto. Estudos comprovam que a vacina é mais eficiente se for aplicada em mulheres que ainda não foram expostas ao vírus.

A vacina contra o HPV será aplicada em três doses: a primeira neste mês; a segunda, em setembro deste ano; e a terceira, em 2020. Ressalta-se que a imunização não substitui o rastreamento de câncer por meio do exame preventivo (Papanicolau) na vida adulta. Como a vacina não protege contra outras doenças sexualmente transmissíveis, é necessário o uso de preservativos quando a vida sexual for iniciada.

Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Itabira recebeu 2.610 doses da vacina. A imunização acontece nas unidades de saúde do município, das 8h às 17h. É necessário apresentar o cartão de vacinação. Outras informações sobre a campanha podem ser obtidas pelo telefone (31) 3839-2600.

Novo grupo incluído
Neste ano, a vacinação também será ampliada a mulheres de 14 a 26 anos portadoras do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), que causa a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids). O intervalo de imunização é diferenciado: a segunda dose é administrada dois meses após a primeira; a terceira dose, seis meses após a primeira.

Scroll To Top