segunda-feira , 21 setembro 2020
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: imunização

Arquivos de Tag: imunização

Influenza – Secretaria Municipal de Saúde divulga cronograma da vacinação contra influenza em Itabira

Com o objetivo de cumprir a meta de vacinação e, ao mesmo tempo, evitar aglomeração nas unidades de saúde, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou o cronograma de imunização contra a influenza (gripe) em Itabira. As fases seguem a programação adotada pelo Ministério da Saúde (MS).

1ª fase

23 a 27/3 – profissionais de saúde (profissionais que estão atuando na Atenção Primária, hospitais, Pronto Socorro, Samu, Pronto Socorro Odontológico e atendentes das farmácias municipais) e idosos acima de 80 anos de idade;

30/3 a 15/4 – demais profissionais de saúde e idosos com idades entre 60 e 79 anos.

2ª fase

16/4 a 8/5 – doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança e salvamento.

3ª fase

9 a 22/5 – crianças de 6 meses a menores de 6 anos; pessoas com idades entre 55 e 59 anos; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); pessoas com deficiência; funcionários do sistema prisional; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; e população privada de liberdade.

Nesta primeira fase, a SMS solicita ao público-alvo (idosos acima de 80 anos de idade) que não saia de casa antes de ligar para a unidade de saúde na qual é atendido. Isso é necessário para que a equipe informe a condição e horário seguro para o usuário receber a vacina, em razão da pandemia do novo coronavírus.

A SMS ressalta que a vacinação contra a gripe diminui a situação endêmica dos vírus respiratórios no país. No entanto, a vacina não apresenta eficácia contra o coronavírus, mas auxilia os profissionais de saúde a descartar a influenza na triagem e a acelerar o diagnóstico.

Em tempo

Devido à ameaça de infecção pelo novo coronavírus, o MS antecipou a 22ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A ação é uma estratégia para diminuir a quantidade de pessoas com gripe no inverno e auxiliar os profissionais da área da saúde a descartarem a influenza na triagem de casos de coronavírus, além de minimizar o impacto sobre os serviços de saúde.

Se você tem sintomas do COVID-19, antes de procurar sua UBS, tire suas dúvidas pelo telefone 3839-2133.


Utilidade pública – Comunicado Campanha de Vacinação contra Influenza

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicita aos usuários do grupo prioritário de vacinação contra a influenza que evitem procurar a unidade de saúde para a imunização. A secretaria ressalta que todos os usuários dos grupos prioritários serão vacinados. Para isso, cada unidade de saúde com sala de vacina estabeleceu um fluxo de atendimento e está divulgando para a sua população. Em caso de dúvida entre em contato com seu PSF.

A medida se faz necessária para evitar a aglomeração e possível infecção por coronavírus. Ressalta-se que o grupo prioritário de vacinação da campanha contra a influenza é o mesmo grupo de risco da Covid-19. Inicialmente, com o quantitativo de vacina disponibilizado pelo Estado, Itabira vai imunizar estrategicamente parte da primeira fase dos grupos prioritários: os trabalhadores da saúde (profissionais atuantes diretamente na Atenção Primária, hospitais, Pronto Socorro e Samu) e idosos acima de 80 anos de idade.

Utilidade pública – Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra Sarampo acontece neste sábado

A primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo deste ano terá seu Dia D neste sábado (19). Nesta data, todas as unidades básicas de saúde (UBS) de Itabira, incluindo a Policlínica, estarão abertas, das 8 às 17 horas, para vacinar crianças de 6 meses a 5 anos de idade incompletos. Para o procedimento, é necessário levar o cartão de vacinação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a priorização do grupo (crianças) para a primeira fase da campanha deve-se à elevada incidência da doença na faixa etária selecionada, nos surtos registrados em 2019, que tem ainda maior riscos de complicações. Já a segunda fase da campanha, que acontece a partir desta sexta-feira (18) e segue até o dia 30 deste mês – data da mobilização nacional (Dia D) desta etapa -, o público-alvo são jovens adultos com idades entre 20 e 29 anos. Este grupo foi determinado devido ao número expressivo de casos confirmados nesta faixa de idade.

O cenário epidemiológico brasileiro, segundo informações da SMS, apresenta baixa cobertura vacinal, reforçando a necessidade da campanha de vacinação que, tem como objetivo, imunizar seletivamente para reduzir ou eliminar os bolsões de não vacinados. Dessa maneira, interrompendo a circulação viral e controlando a doença no país.

A solenidade de abertura do Dia D será neste sábado (24), às 8h, na UBS Gabiroba – rua dos Músicos, s/n.

Em todo o país – Combate ao sarampo começa nesta segunda-feira

Dividida em duas etapas – outubro e novembro – a campanha terá foco nas crianças de seis meses a menores de 5 anos e nos jovens entre 20 e 29 anos.

Começa nesta segunda-feira (7), a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, que será realizada em duas etapas, atendendo faixas etárias distintas. A meta é alcançar 95% de cobertura vacinal.

Na primeira fase, até o dia 25/10, o foco será a imunização das crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias), sendo 19/10, a mobilização nacional (Dia D). No segundo momento, de 18 a 30/11, a campanha atingirá jovens adultos entre 20 e 29 anos. Nessa etapa o Dia D será 30/11.

A campanha acontecerá nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) que possuem sala de vacinação, de segunda a sexta-feira, das 7 às 17 horas. Na mobilização nacional do dia 19/10, a Prefeitura estará com 21 UBS abertas mais a Policlínica, das 8 às 17 horas. Para o procedimento, é necessário levar o cartão de vacinas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a priorização do grupo (crianças) para a primeira fase da campanha deve-se a elevada incidência da doença na faixa etária selecionada, nos surtos registrados em 2019, que tem ainda maior risco de complicações. Já o segundo grupo (jovens adultos) foi determinado pelo número expressivo de casos confirmados na faixa etária.

O cenário epidemiológico brasileiro, segundo informações da SMS, apresenta baixa cobertura vacinal, reforçando a necessidade da campanha de vacinação que, tem como objetivo, imunizar seletivamente para reduzir ou eliminar os bolsões de não vacinados. Dessa maneira, interrompendo a circulação viral e controlando a doença no país.

Prioridade para vacinação

É importante ressaltar que a SMS mantém a imunização regular nas UBS que possuem sala de vacina. A tríplice viral, que protege contra o sarampo – além de caxumba e rubéola – faz parte da rotina do calendário nacional a partir do primeiro ano de vida.

No atual contexto, crianças de seis a 11 meses e 29 dias devem receber uma dose da vacina, considerada “dose zero”, que, por sua vez, não elimina a necessidade da imunização regular aos 12 e 15 meses, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as aplicações.

Para pessoas até 29 anos, o Ministério da Saúde (MS) determina a comprovação de duas doses da vacina tríplice viral e, de 30 a 49 anos, uma dose. Acima dos 50 anos, o MS não recomenda a vacinação, pois considera que essa faixa etária já teve contato com o vírus e adquiriu imunidade.

Contraindicações

Pacientes apresentando febre terão que adiar a vacinação e os imunocomprometidos deverão ser avaliados por médico para indicação ou não da vacina. Reação anafilática à dose anterior, contraindica doses subsequentes. Esta vacina não é indicada para gestantes.

O sarampo

É uma doença infecciosa grave, altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre, tosse, manchas avermelhadas, coriza e irritação nos olhos. A transmissão acontece de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Não existe tratamento específico para o sarampo. Por isso, a vacina é o meio mais eficaz de prevenção.

Pentavalente – Interdição da Anvisa afeta abastecimento de vacina em Itabira

A Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informa que as unidades de saúde não possuem a vacina pentavalente. Esse desabastecimento é devido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que interditou as doses do laboratório indiano Biologicals E. Limited, fabricante dos imunobiológicos.

O Ministério da Saúde (MS), responsável por repassar a vacina aos municípios, explica que o produto foi adquirido por meio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e que, após testes de qualidade feitos pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde e análise da Anvisa, foi reprovado. Assim, com base na Resolução nº 1.545, de junho deste ano, as vacinas interditadas não poderão ser utilizadas nem distribuídas.

Ainda de acordo com o MS, um processo foi aberto na Opas solicitando o recolhimento e a reposição do fornecimento. No entanto, não há, no mundo, disponibilidade imediata da vacina pentavalente. A previsão é de que o reabastecimento comece a partir de novembro.

O MS ressalta que não há dados que justifiquem uma emergência epidemiológica das doenças cobertas pela pentavalente no país e, acrescenta que, neste momento, caso surtos inesperados aconteçam, os estoques nacionais são suficientes para a realização de bloqueios vacinais.

A pentavalente, aplicada aos dois, quatro e seis meses de vida, imuniza os bebês contra cinco tipos de doenças: difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo B. A SMS ressalta, portanto, que quando o estoque de vacinas for renovado – que será previamente comunicado à população –, os pais poderão imunizar seus filhos normalmente.

Situação do sarampo em Itabira – “Cobertura vacinal contra sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde”, diz Superintendência de Vigilância em Saúde

Apesar de algumas regiões do país apresentarem casos confirmados, no município não existem. A única maneira de manter a população segura é por meio da vacina.

A cobertura vacinal contra o sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde, para a faixa etária determinada pelo Programa Nacional de Imunização. Mesmo assim mantemos a vigilância”, declarou na manhã desta terça-feira (10) a superintendente em Vigilância em Saúde da Prefeitura de Itabira, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. Até o momento, não há registro de nenhum caso confirmado da doença no município e existe um caso em investigação.

Uma criança de um ano e cinco meses de idade foi imunizada com a segunda dose da vacina no último dia 26 de agosto. No dia 31, iniciou com sintomas sugestivos da doença. No entanto, após a avaliação médica o caso foi classificado como reação vacinal, estando ainda sob investigação.

Assim que tomamos conhecimento deste caso, prontamente o Protocolo foi aplicado. As ações de bloqueio que competem ao município, como avaliação da situação vacinal de todos os contatos do caso suspeito e vacinação imediata dos casos necessários, em até 72 horas, foram realizados. Os exames laboratoriais estão sendo realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), mesmo o sarampo tendo sido preliminarmente descartado após avaliação médica”, explicou Thereza Andrade.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda a imunização de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose de Triviral aos 12 meses e outra aos 15 meses de idade. A partir de 12 meses a 29 anos de idade, o MS recomenda duas doses da vacina contendo o componente sarampo e de 30 a 49 anos de idade uma dose. Os profissionais de saúde devem ter comprovação de duas doses da vacinal com componente sarampo, independentemente da faixa etária.

Com o aumento do número de casos em algumas regiões do país, o MS tem intensificado a vacinação e recomendado que crianças entre seis e 11 meses de idade e 29 dias recebam uma dose de Triviral. Esta dose não será considerada válida para fins do Calendário Nacional de Vacinação, devendo ser administrada dose de rotina aos 12 meses e 15 meses.

Em Itabira, até o momento, já foram aplicadas 3.775 doses da tríplice viral – número considerado excelente pelas autoridades em saúde. Thereza Andrade ressalta que todas as unidades de saúde do município estão preparadas para agir em caso de suspeita da doença e orienta que aquele que apresentar febre, tosse persistente, irritação ocular, coriza, mal-estar intenso e manchas vermelhas (exantema) devem procurar uma unidade de saúde, pois, estes podem ser sintomas sugestivos de sarampo.

A Superintendente de Vigilância em Saúde destacou ainda que o Município possui disponível a vacina tríplice viral para a rotina de imunização. As salas de vacinação das unidades básicas de saúde (UBS) funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Quem tiver dúvidas sobre a vacinação contra o sarampo, procure orientações na UBS, preferencialmente, com o cartão de vacinação.

31 de agosto – Vacinação antirrábica na área urbana de Itabira acontece neste sábado

No sábado (31), a Prefeitura de Itabira realiza a campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos na área urbana do município. A iniciativa acontece por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), das 8h às 17h, em 38 locais – entre postos de saúde e associações de bairro. Na área rural, a ação já foi realizada.

De acordo com a Diretoria de Controle de Zoonoses, setor responsável pela campanha no município, o objetivo da imunização é manter o controle da raiva animal em Itabira. Devem ser vacinados cães e gatos com idades a partir de três meses e que estejam saudáveis. Para facilitar a imunização, cães de grande porte devem estar com focinheira e acompanhados por um adulto. Já os proprietários de gatos devem levá-los dentro de um saco de linhagem ou em caixa de transporte.

Cães e gatos devem ser vacinados anualmente. A raiva animal está erradicada em Itabira, mas para que a situação continue assim é necessário mantermos este controle. Gatos, por exemplo, são caçadores por natureza e caso entrem em contato mais próximo com um animal infectado, como um morcego, podem ser infectados e trazer o perigo para os humanos que convivem com eles. A vacina é a única defesa contra a doença”, ressalta a responsável pela Diretoria de Controle de Zoonoses, Kelley de Pinho Generoso.

Raiva animal

Cães, gatos e morcegos são os principais transmissores da raiva, que compromete o sistema nervoso do homem, quando contaminado. A zoonose é infecciosa viral incurável e afeta, especialmente, os animais mamíferos. Propaga-se principalmente em contato com a saliva, mordedura, lambida de feridas abertas, mucosas e arranhões de animais infectados. Esta doença tem um alto grau de letalidade: mesmo quando tratada, a chance de morte é de quase 100%.

A raiva é uma zoonose extremamente importante para a saúde pública, devido a sua letalidade de aproximadamente 100%. Além disso é uma doença possível de ser eliminada no ciclo urbano pela existência de medidas eficientes de prevenção, como a vacinação”, explica Kelley Generoso.

Saiba o que fazer se for atacada por um animal, mesmo se for vacinado contra a raiva:

- lavar imediatamente o ferimento com água e sabão;

- procurar com urgência o serviço de saúde;

- deixar o animal em observação durante 10 dias para que possa identificar qualquer sinal indicativo da raiva e procurar ajuda de um veterinário;

- continuar oferecendo água e alimentação ao animal e deixá-lo em local seguro e adequado para que não fuja ou ataque outras pessoas ou animais;

- caso o animal adoeça, morra, desapareça ou mude de comportamento, é necessário informar imediatamente ao Serviço de Zoonoses (3839-2643);

- não interromper (nunca) a vacina antirrábica humana sem ordens médicas.

Confira os bairros e locais de vacinação:

1) Abóboras – Associação dos Amigos do Bairro Abóboras (das 13h às 17h) – Rua Sapucaia, 81.

2) Água Fresca – Premem – Rua José Basílio Caetano, 1 – Cônego Guilhermino.

3) Água Fresca – UBS Água Fresca – Rua Marechal Jofre, s/n.

4) Amazonas – Associação de Amigos do Bairro Amazonas – Rua Sergipe, 519.

5) Areão – UBS Amazonas – Av. Brasil, 50.

6) Barreiro – UBS Barreiro – Rodovia MG 129, 177.

7) Bela Vista – UBS Bela Vista – Rua Cônego Guilhermino Pereira, s/n.

8) Bethânia – Combem – Av. Galileia, 520.

9) Boa Esperança – Associação dos Amigos do Bairro Boa Esperança – Rua João Paulo I, 262.

10) Campestre – Secretaria Municipal de Saúde – Rua Jacutinga, 14.

11) Centro – Centro Viva Vida – Av. João Pinheiro, 791.

12) Chapada – UBS Chapada – Rodovia MG 129, s/n.

13) Clóvis Alvim/ Bethânia – UBS Bethânia – Av. Fábio Pires, s/n.

14) Conceição – Associação de Bairro – Rua das Candeias, s/n.

15) Eldorado – UBS Eldorado – Rua das Margaridas, s/n.

16) Fênix – UBS Fênix / Machado – Rua Hidemburgo Gonçalves, 80.

17) Fênix – Associação dos Moradores do Bairro Fênix – Rua Olímpio Domingos Cardoso, 248.

18) Gabiroba – UBS Gabiroba de Baixo – Rua dos Professores, 327 A.

19) Gabiroba – UBS Gabiroba de Cima – Rua dos Músicos, 300.

20) Gabiroba – Ginásio Poliesportivo do Gabiroba (das 13h às 17h) – Av. dos Médicos, s/n.

21) Gabiroba – Igreja Rainha da Paz – Rua DW, 78.

22) Juca Rosa – Ponto de Apoio a Endemias (P.A. Dengue – das 13h às 17h) – Rua Acácia, 39.

23) Machado – Escola Estadual Antônio Linhares Guerra – Rua Afonso Pena, 494.

24) Major Lage – UBS Major Lage – Rua Urânio, 19 A.

25) Monsenhor José Lopes – UBS Santa Ruth / Santa Marta – Rua Quatrocentos, 130.

26) Nossa Senhora das Oliveiras – Centro Comunitário do Bairro N. S. das Oliveiras – Rua Curvelo, 16.

27) Nossa Senhora das Oliveiras – Escola Municipal Virgílio Gazire – Rua Ouro Preto, 2.

28) Nova Vista – UBS Nova Vista – Rua Esperança, 70.

29) Pará – UBS Pará – Rua Ipoema, 205.

30) Vila Paciência – Projeto Meninar – Av. France de Paula Andrade, 310.

31) Pedreira – UBS Pedreira – Rua Pássaro Verde, 100.

32) Pedreira de Cima – CRAS Pedreira (das 8h às 12h) – Rua Pintassilgo, 264.

33) Pedreira de Cima – Venda do Ouro – Praça Venda do Ouro, s/n.

34) Praia – UBS Praia II – Av. Li Guerra, s/n.

35) Santa Tereza – Clube de Mães (das 8h às 12h) – Rua Maria Campos, 208.

36) Vila Amélia – Igreja Vila Amélia (das 13h às 17h) – Rua Júpiter, 20.

37) Vila Santa Rosa – Escola Municipal Professora Didi Andrade – Av. Tabelião Osório Sampaio, 515.

38) Vila São Joaquim – Associação Vila São Joaquim (das 8h às 12h).

Saúde – Dia D contra gripe acontece neste sábado

Neste sábado (4), acontece o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que começou no dia 10 de abril. Na data, todas as unidades de saúde do município que possuem sala de vacinação estarão abertas, das 8h às 17h. Ainda no sábado, em uma ação de controle e combate ao câncer de boca, as equipes da Saúde Bucal também estarão de plantão para avaliar idosos e fumantes.

Nesta campanha contra a Influenza, além dos indivíduos com 60 anos ou mais de idade, estão sendo vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, presidiários e funcionários do sistema prisional.

A meta do Ministério da Saúde é imunizar, pelo menos, 90% dos grupos na campanha. Em Itabira, de acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, o objetivo é vacinar 29.818 pessoas que se encaixam nos grupos prioritários. “Até a presente data só imunizamos cerca de 8.062 pessoas (27,04% do público-alvo), apesar de a vacina estar disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e na Policlínica. Assim, é imprescindível que a população aproveite o Dia D para se vacinar”, acrescentou Thereza Andrade.

Cada pessoa que se encaixa nos grupos a serem imunizados deve ser vacinada, exceto aquela que estiver com febre no dia da vacinação. Quem tem histórico de alergia a ovo deve receber a vacina em ambiente adequado (atendimento de urgência e emergência) para tratar manifestações alérgicas graves.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza segue até o dia 31 em Itabira. Para receber as doses da vacina, é necessário apresentar o Cartão de Vacinação.

Vacinação – Campanha contra Influenza começa nesta quarta-feira em todo o país

Começa nesta quarta-feira (10), e segue até o dia 31 de maio, a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A atividade envolve recursos financeiros das três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS): União, Estados e Municípios. Em Itabira, a ação é realizada por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Nesta campanha, além dos indivíduos com 60 anos ou mais de idade, serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a presidiários e os funcionários do sistema prisional. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), a meta é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.

Este ano a estratégia será realizada considerando momentos específicos para a mobilização da população. No período de 10 a 12 de abril, na região sul do país, serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérperas; entre os dias 15 e 19, em todo o país, serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérperas. A partir do dia 22, a vacinação contra a influenza ocorrerá com a mobilização de todos os grupos prioritários. Em todas as ocasiões haverá a atualização da Caderneta de Vacina, com a oferta das demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, para crianças e gestantes. Portanto, para receber as doses, que serão aplicadas nas unidades de saúde que possuem sala de vacinação, é necessário apresentar o Cartão de Vacina.

A mobilização nacional, também conhecida com o Dia D, será no dia 4 de maio. Nesta data, todas as unidades de saúde do município funcionarão das 8h às 17h. Cada pessoa que se encaixa nos grupos a serem imunizados deve ser vacinada, exceto aquela que estiver com febre no dia da vacinação. Quem tem histórico de alergia a ovo deve receber a vacina em ambiente adequado (atendimento de urgência e emergência) para tratar manifestações alérgicas grave.

Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também causar pandemias.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que a ocorrência de casos da influenza varia de leve a grave e pode até levar a óbito. Hospitalização e morte ocorrem principalmente entre os grupos de alto risco. Em todo mundo, calcula-se que estas epidemias anuais resultem em cerca de 3 a 5 milhões de casos de doença grave e de cerca de 290 mil a 650 mil mortes.

A doença pode ser causada pelos vírus influenza A, B e C. Os vírus A e B apresentam maior importância clínica: em média, as cepas A causam 75% das infecções, mas em algumas temporadas, ocorre predomínio das cepas B.

Transmissão

A transmissão da influenza ocorre principalmente por meio do contato com partículas eliminadas por pessoas infectadas ou mãos e objetos contaminados por secreções. A doença é muito elevada em ambiente domiciliar, creches, escolas e ambientes fechados ou semifechados.

Manifestações clínicas

O período de incubação do vírus influenza varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves.

A influenza é caracterizada por um início súbito de febre, tosse, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, mal-estar, dor de garganta e coriza. A tosse pode durar duas ou mais semanas. A maioria das pessoas recupera-se da febre e de outros sintomas dentro de uma semana, sem necessitar de cuidados médicos. Complicações ou mortes podem ocorrer especialmente em pessoas de alto risco. Ocorre também aumento nas taxas de hospitalização por pneumonia.

Embora a maioria das infecções por influenza tenha evolução autolimitada, a febre, em geral, é alta (38ºC a 40ºC), podendo desencadear convulsão febril em crianças. A febre, em geral, dura de três a cinco dias, mas a tosse e a fadiga podem se prolongar por duas semanas ou mais. Lactentes infectados pelos vírus influenza podem apresentar quadro semelhante à sepse. Infecções de mucosas, como otite e sinusite, e o agravamento de crises de asma e bronquite crônica são muito comuns.

Campanha de vacinação – Itabira deverá imunizar 5.764 crianças contra a pólio e o sarampo

Começa no próximo dia 6 e segue até 31 de agosto a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo. Em Itabira, a imunização será feita em todas as unidades de saúde que possuem sala de vacina, das 8h às 16h. O Dia D, quando todas as unidades estarão abertas das 8h às 17h, ocorrerá em 18 de agosto. A meta é que sejam imunizadas 5.764 crianças.

A campanha terá como público-alvo crianças com idade a partir de 1 ano até menores de cinco, independente da situação vacinal. No caso da tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, somente serão imunizadas as pessoas que não completaram o esquema de vacinação.

Conhecida também como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença contagiosa causada por vírus. A vacinação e considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a única forma capaz de erradicação da doença.

O sarampo também é uma doença viral, infecciosa e transmissível. A propagação pode ocorrer de forma direta, por meio de tosse, espirro, falar ou respirar e pode ser evitada por meio da vacinação. A doença foi uma das principais causas de mortalidade infantil no país e pode deixar sequelas neurológicas. O vírus provoca manchas vermelhas no corpo, febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e pontos brancos na mucosa bucal.

Recentemente, o Ministério da Saúde divulgou que o Brasil diversos casos confirmados de sarampo e que o país enfrenta surto em dois estados: Roraima e Amazonas. Até meados de julho, já haviam sido confirmados 444 casos da doença no Amazonas e 216 em Roraima. Outros 2.689 estavam em investigação nos dois estados.

Para Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, superintendente de Vigilância em Saúde, é muito importante que pais e responsáveis fiquem atentos e vacinem suas crianças. “A volta do sarampo representa um retrocesso muito grande. A doença só voltou porque encontrou pessoas que não estavam vacinadas. É muito importante termos a consciência de que não existe doença do passado. Todas elas podem voltar a qualquer momento. Por isso, precisamos estar imunizados, tomar todas as vacinas, incentivar as pessoas a se protegerem, atualizar sempre o cartão de vacinas dos pequenos e manter longe de nós as doenças. E ainda reforço, parafraseando uma importante infectologista brasileira: vacinar-se não é questão de opinião, opção, nem um direito individual. É uma obrigação do cidadão e um dever de todos os pais”, finaliza Thereza Andrade.

Scroll To Top