segunda-feira , 21 setembro 2020
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: nascentes

Arquivos de Tag: nascentes

Meio Ambiente – Prefeitura lança campanha para preservar nascentes da área urbana

Os proprietários de terrenos com nascentes na área urbana do município contam, a partir deste mês, com uma campanha para incentivar o plantio de mudas no entorno dos mananciais. A ação é uma iniciativa da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e tem como objetivo principal garantir a quantidade e a qualidade da água que abastece a cidade.

Os motivos desta campanha estão ligados ao aumento da disponibilidade hídrica, aumento na taxa de infiltração, melhoria na qualidade do ar e auxílio no controle de temperatura. Os benefícios refletirão em toda a população uma vez que ocorrerá o aumento da disponibilidade hídrica no município”, ressalta a responsável pela SMAA, Priscila Martins da Costa.

Os interessados em participar devem se cadastrar:

- pelo Portal do Meio Ambiente www.meioambiente.itabira.mg.gov.br

- pelo telefone (31) 3839-2715;

- ou na sede da SMMA (rua Gerson Guerra, 162, Santo Antônio – Parque do Intelecto).

Após a manifestação de interesse, será realizada uma avaliação técnica do local de plantio.

Preservar Para Não Secar – Prefeitura destina mais de R$ 650 mil para proprietários rurais que preservam nascentes

Mais uma vez, a Prefeitura de Itabira vai remunerar os proprietários rurais que participam e cumprem as metas do programa “Preservar para não Secar”. Em uma solenidade que aconteceu nesta sexta-feira (16), no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), o prefeito Damon Lázaro de Sena entregou aos participantes um cheque simbólico no valor de R$ 657.714,54.

A remuneração será depositada nas contas bancárias dos 93 proprietários que cumpriram as metas 2 (preservação e cercamento de nascentes) e 3 (inscrição das propriedades no Cadastro Ambiental Rural – CAR) do programa. O valor do benefício é fixado com base na Unidade Padrão Fiscal do Município (UPFM): cada hectare protegido recebe 140 UPFMs.

O “Preservar para não Secar” incentiva proprietários rurais a conservar áreas importantes para a manutenção das nascentes. O programa foi regulamentado pelo Decreto Municipal 1.802/2014, assinado por Damon Lázaro de Sena. O valor da gratificação – que é divido entre os participantes, considerando o tamanho da área cercada e protegida – provém do Fundo Especial de Gestão Ambiental (Fega) existente em Itabira.

Em 2014, foram remunerados 94 proprietários rurais e contempladas 101 propriedades. O investimento foi de R$ 569.110,87 e área preservada corresponde a 1.997,32 hectares. Já em 2015, foram repassados R$ 594.979,01 para 94 proprietários e 101 propriedades. Neste ano, as nascentes de 100 propriedades foram preservadas.

Durante a cerimônia, Damon Lázaro de Sena disse que quando assumiu a gestão municipal em 2013, não imaginava que a situação do abastecimento estivesse tão preocupante. Ele destacou os investimentos do Governo Municipal em busca de um melhor abastecimento e distribuição de água para toda a população. Segundo o prefeito, em 2016 o Município passou por um grave período de seca. A Estação de Tratamento de Água (ETA) Pureza, por exemplo, produziu em seu pior momento apenas 67 litros de água tratada por segundo (l/s).

Na verdade, precisamos produzir 485 l/s para que a população da área urbana possa ser bem abastecida. No entanto, a nossa capacidade atual de produção, contando com a ETA Rio de Peixe, é de 385 l/s. Sem esta ETA que foi implantada em nossa administração, produziríamos apenas 325 l/s”.

O prefeito também ressaltou a importância de implantar projetos para melhorar a qualidade de vida da população. Sobre o “Preservar para não Secar”, Damon de Sena foi enfático: “Este programa é essencial para nossa cidade. Temos que preservar a vitalidade de nossas nascentes para conquistar o volume de água que precisamos”.

Em tempo

O “Preservar para não Secar” é mais uma das ações do Governo Municipal para minimizar o problema do abastecimento a longo prazo. A Prefeitura também investe na captação de água com o funcionamento da Estação de Tratamento de Água (ETA) Rio de Peixe. A obra aconteceu após 30 anos sem a implantação de uma ETA de captação superficial em Itabira (a última foi a Gatos, em 1986).

Também estão em andamento outros importantes projetos: construção da ETA Gatos/ Sistema Pureza (a obra permitirá ampliar, modernizar e captar água da Barragem Santana para a ETA Gatos); construção da Unidade de Tratamento de Resíduos (UTR) da Pureza; elaboração do projeto executivo de captação, adução e tratamento de água do Rio Tanque; e implantação de uma nova ETA no distrito de Senhora do Carmo.

Além dos empreendimentos de captação de água, a Prefeitura também está implantando a segunda etapa da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Laboreaux. Com esta etapa concluída, a ETE poderá tratar 340 l/s de esgoto – a capacidade atual é de 100 l/s. Atualmente, 40% dos esgotos são tratados e a ampliação proporcionará o tratamento de 100% do esgoto gerado pela área urbana.

Produtores Rurais – Senar Minas abre inscrições para curso de recuperação e proteção de nascentes

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Minas Gerais (SENAR Minas) está com inscrições abertas para o curso de “Recuperação e Proteção de Nascentes”. O objetivo é capacitar produtores na gestão da água de forma sustentável, com foco na produção e qualidade do recurso. Os interessados podem se inscrever no Sindicato Rural, que fica na Praça Dr. Nelson Guimarães, 10, bairro Pará.

Em Itabira, a capacitação será ministrada em três oportunidades. As primeiras datas são 2,3 e 4 de março; a segunda em 21, 22 e 23 e a terceira em 28,29 e 30 de março. O curso passará conhecimentos teóricos sobre a legislação ambiental estadual e federal, topografia e as características do local onde a nascente se encontra, como construir um ponto de captação e como registrar os dados da nascente recuperada para catalogação.

Maiores informações pelo telefone: 3831-1380

Prefeitura repassa mais de R$ 600 mil a proprietários rurais

A Prefeitura de Itabira entregou um cheque simbólico no valor de R$ 601.807,54 aos proprietários rurais que cumpriram a primeira meta do programa “Preservar para não Secar”. A solenidade aconteceu na tarde de quinta-feira (17), no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA). Ao final do evento, eles também receberam o termo aditivo de participação no programa.

O programa incentiva proprietários rurais a conservarem áreas importantes para a manutenção das nascentes. Ele foi regulamentado conforme Decreto Municipal 1.802/2014, assinado pelo prefeito Damon Lázaro de Sena. O valor da gratificação provém do Fundo Especial de Gestão Ambiental (Fega) existente no município.

Na solenidade, o prefeito foi representado pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Nivaldo Ferreira dos Santos. Ele explicou que os recursos estão garantidos e que os pagamentos serão feitos dentro dos trâmites normais. A remuneração será depositada nas contas bancárias dos 93 proprietários rurais até o próximo mês.

“A criação do programa foi solicitada pelo prefeito Damon quando iniciamos nossas atividades na secretaria. A intenção é que a gente consiga ampliá-lo: neste ano, optamos por manter os que já estavam inscritos, por ter condições de garantir o recurso para remunerá-los. Correríamos o risco de ter um número maior de participantes e dificuldades para manter os compromissos firmados”, explicou.

Neste ano, foram contemplados os participantes que concluíram a instalação de fossas sépticas nas propriedades. Para 2016, eles deverão implantar e manter a cobertura vegetal das Áreas de Preservação Permanente (APP), por meio do cercamento de todas as nascentes e olhos d’água, além de se inscrever no Cadastro Ambiental Rural (CAR). As explicações foram dadas pela diretora de Recursos Hídricos e Qualidade do Ar, Simone Frade Magalhães.

Em 2014, foram remunerados 94 proprietários rurais e contempladas 101 propriedades. O investimento foi de aproximadamente R$ 560 mil e a área preservada corresponde a 1.997,32 hectares. O Termo de Adesão é válido por cinco anos e aqueles que não cumprem as cláusulas previstas têm o auxílio financeiro cancelado.

Prefeitura realiza palestra sobre fossas sépticas

Na próxima sexta-feira (17), os proprietários rurais inscritos no programa “Preservar para não Secar”, da Prefeitura de Itabira, poderão esclarecer dúvidas sobre fossas sépticas. Nesta data, técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) ministrarão uma palestra sobre o tema, às 10 horas, no auditório da SMMA.

Na oportunidade, os participantes receberão informações sobre especificações técnicas e práticas na implantação, instalação e manutenção das fossas que objetivam destinar corretamente os efluentes (esgoto) domésticos. A escolha do tipo de fossa ideal a ser inserida, localização no terreno onde será instalada, forma de manuseio e funcionamento, além da correta manutenção, serão alguns dos assuntos tratados na palestra.

De acordo com a engenheira ambiental da SMMA, Daniele Cristina de Oliveira, a ação busca orientar os proprietários rurais que, ao assinarem o termo de adesão ao “Preservar para não Secar”, assumiram o compromisso de instalar e manter as fossas em suas propriedades. Esta é uma das exigências do programa: a partir de agosto deste ano, uma equipe da SMMA fiscalizará as propriedades cadastradas para verificação do cumprimento desta meta, assim como de todas as outras estabelecidas no projeto.

“A necessidade das fossas se justifica e é imprescindível para o saneamento rural, evitando, portanto, a contaminação dos cursos d’água com descarga de lançamento de esgoto doméstico. A importância da instalação de fossas para o município se faz despoluindo as bacias hidrográficas”, afirmou.

Para participar da palestra, não é necessário fazer inscrição. Mesmo direcionado aos proprietários rurais inscritos no “Preservar para não Secar”, o evento é aberto a toda a comunidade.

Em tempo
Implantado pelo prefeito Damon Lázaro de Sena em 2014, o “Preservar para não Secar” tem como objetivo conceder incentivo financeiro a proprietários rurais pela conservação, proteção e preservação de áreas com matas nativas e margens de rios, nascentes e mananciais em Itabira. O programa, regulamentado pelo Decreto 1.802/2014, permite que agricultores, familiares e produtores rurais inscritos possam receber um auxílio financeiro anual calculado em UPFM (Unidade Padrão Fiscal Municipal).

Em dezembro do ano passado, Damon Lázaro de Sena remunerou os primeiros inscritos no programa: 94 proprietários rurais foram contemplados. Nessa primeira etapa, o investimento do governo municipal foi de R$ 559.520,43. O valor foi dividido entre os participantes, considerando-se o tamanho da área cercada e protegida. Cada proprietário recebeu entre R$ 2.400,00 e R$ 12.000,00.

Prefeitura de Itabira remunera proprietários rurais que preservam nascentes

Na tarde dessa quinta-feira (18), a Prefeitura de Itabira por meio da secretaria municipal de Meio Ambiente (SMMA), entregou o repasse do benefício que remunera os primeiros proprietários rurais inscritos no Programa “Preservar para não secar”. Noventa e quatro proprietários foram contemplados. A solenidade aconteceu no auditório da SMMA.

Nesta primeira etapa, o investimento do governo é de R$ 559.520,43. Este valor será divido entre os participantes, considerando o tamanho da área cercada e protegida. A quantia varia entre R$ 2.400,00 e R$ 12.000,00. Os produtores rurais ainda receberam o certificado e o termo de adesão ao programa, além de uma revista de prestação de contas da Prefeitura e um cartão de Natal.

Estiveram presentes o prefeito Damon Lázaro de Sena, os secretários municipais Nivaldo Ferreira dos Santos (Meio ambiente), Valquíria Pascoal de Souza Duarte (Ação Social), Jader Túlio Cristiano Magalhães (Desenvolvimento Urbano), Gilberto Guerra Fontes (Auditoria interna e controladoria), Luciane Maria Ribeiro da Cruz Santos (Educação) e o vereador Geraldo Martins da Costa, representando a Câmara Municipal.

O programa “Preservar para não secar” é regulamentado por decreto e tem como objetivo conceder incentivo financeiro a proprietários rurais pela conservação proteção e preservação de áreas com matas nativas e nas margens de rios nascentes e mananciais em Itabira. Seu lançamento ocorreu em junho deste ano, durante a Semana de Meio Ambiente.

De autoria do prefeito Damon Lázaro de Sena, o decreto permitirá a agricultores, familiares e produtores rurais, que estiverem inseridos no programa, receber um auxílio financeiro anual que será calculado em UPFMs (Unidades Padrão Fiscal Municipal). Os produtores e agricultores inseridos no projeto terão direito a receber o benefício por cinco anos consecutivos.

A engenheira Daniele Cristina de Oliveira explicou os benefícios e apresentou os resultados gerais e específicos divididos pela sub-bacias do rio Tanque, rio de Peixe e rio Santa Bárbara. Algumas propriedades inclusas possuem até 4 nascentes e muitas ainda precisavam ser protegidas. “Com a preservação destas áreas haverá melhoria das condições ambientais, da qualidade do ar e da água, conservação do solo, da fauna e da flora”, explica.

Por meio dos levantamentos foi realizado um trabalho em conjunto, auditoria em relação a área, localização e hidrografia. Desta forma, possibilitou a elaboração de um parecer técnico destas análises e atualização de base cartográfica rural por meio da especialização das propriedades. O programa apresenta um enorme custo-benefício, com valor médio de apenas R$ 24,25 para um hectare preservado.

O prefeito Damon Lázaro de Sena parabenizou os produtores e ressaltou a parceria que a Câmara municipal tem tido com o governo em prol da população. “Este programa é de extrema importância, pois estamos agindo para o futuro. Somos um governo que prioriza a construção do que é necessário para a região e para a cidade. Pensamos no bem de todos e espero que vocês continuem neste projeto e nos ajude a construir uma região melhor. Temos condições de produzir mais e preservar ao mesmo tempo. Que sejamos exemplos para outras cidades”.

Em tempo

O programa “Preservar para não secar” é mais uma das ações da Prefeitura de Itabira para minimizar o problema do abastecimento a longo prazo. O município também investe na captação de água com a construção da Estação de Tratamento de Água (ETA) Rio de Peixe. A obra foi iniciada em outubro deste ano e está em execução. O prazo para entrega é de 10 meses e o investimento total será de R$ 5 milhões. Em andamento também estão projetos de captação na Barragem Santana e no rio Tanque.

O engenheiro civil e ambiental do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), Dartison Piedade da Fonseca explicou sobre os projeto e seus benefícios para a população. Em relação a remuneração dos produtores ele disse que é motivo de comemoração. “Sabemos a luta que tem sido para fazer com que as pessoas na cidade se sensibilizem em cuidar e não desperdiçar água. Tornar interessante para o produtor rural ampliar os cuidados com o meio ambiente é fantástico”. O engenheiro disse também que em Itabira não falta recursos hídricos, mas formas de captar água, o que está sendo providenciado pelo Governo Municipal.

Saae solicita apoio da população para evitar desabastecimento no município

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Itabira (Saae) está preocupado com a seca que assola a região. Mesmo com a época das chuvas se aproximando, é possível que as precipitações não sejam suficientes para manter, de maneira satisfatória, o nível dos reservatórios.

De acordo com a autarquia, entre os meses de janeiro e março deste ano, as chuvas ficaram abaixo da média histórica em grande parte do sudeste brasileiro. Com isso, durante o período da seca – de maio a setembro -, estão sendo registrados níveis e vazões mínimas recordes nos principais rios da região. Além disso, é necessário considerar o crescimento econômico e populacional acima da média nos últimos anos no Brasil, o que contribui para o aumento do consumo de água e, consequentemente, registros de desabastecimento em várias cidades.

Em Itabira, também vivenciamos os fenômenos de estiagem e os crescimentos da economia e da população. Nos últimos anos, os investimentos em nossos sistemas de abastecimento não foram suficientes para suprir a atual demanda”, declarou o diretor-presidente do Saae, Jacir Primo.

Os dados registrados no monitoramento dos mananciais que abastecem o município indicaram níveis muito baixos em agosto. “Com as altas temperaturas, temos um elevado índice de evaporação e baixíssima reposição de água. Com isso, tememos que seja inevitável o racionamento em Itabira”, afirmou.

Algumas medidas já são adotadas para evitar o racionamento: em alguns bairros, onde a demanda é maior que a oferta de água, os registros são desligados pelo Saae durante o dia e religados às 18 horas. Segundo Jacir Primo, é essencial adotar, imediatamente, medidas de redução de consumo. “Se neste momento não mudarmos o nosso comportamento diário com relação ao consumo irracional como, por exemplo, varrer passeios, calçadas, ruas e lavar muros e carros com mangueira, além dos banhos demorados, estamos certos de que faltará água. Não economizar neste momento trará sérias dificuldades de abastecimento para todo o município”.

Em tempo
A Prefeitura de Itabira e o Saae estão consolidando projetos de novas captações  de água aguardadas há tempo pela população. A curto prazo, será construída uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA) no Rio de Peixe – os equipamentos chegaram ao município no dia 26 de agosto e a previsão é que a obra seja concluída em meados do ano que vem – e ampliação da ETA Gatos, com captação de água da Barragem Santana – o projeto já está concluído e aguarda licitação para a obra. Com a conclusão, vai ser possível captar 100 litros de água por segundo na barragem. A médio e longo prazo, haverá a captação de água no Rio Tanque que, neste momento, está em fase de licitação dos projetos.

O Governo Municipal também está investindo na produção de água e na preservação de matas e nascentes com o programa Preservar para não Secar. “Implantamos a Lei do Ecocrédito e, neste ano, colocamos no orçamento R$ 500 mil para conscientizar e incentivar os produtores rurais a preservarem suas nascentes e matas, a fim de que tenhamos volume de água adequado para a população usufruir em um futuro próximo”, disse o prefeito Damon Lázaro de Sena.

Prefeitura de Itabira reinicia implantação do Projeto Mosaico

A Prefeitura de Itabira, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, o Instituto Estadual de Floresta (IEF/Promata), o Governo da França e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), está implantando o projeto “Construção da Identidade Territorial do Município de Itabira”, a partir de um mosaico entre as suas Unidades de Conservação – Projeto Mosaico. A apresentação ao prefeito Damon Lázaro de Sena e aos secretários foi feita na tarde de segunda-feira (21) no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, no Parque Natural Municipal do Intelecto. 

O Projeto Mosaico é a construção participativa do Plano de Desenvolvimento Territorial com Base Conservacionista (DTBC), que utiliza as microbacias hidrográficas do município como unidades de planejamento e em escala compatível com a gestão municipal, de forma a promover o efetivo desenvolvimento sustentável das populações que vivem no entorno das Unidades de Conservação (UCs). As UCs são áreas protegidas por legislação específica.

Com a implantação do projeto em sua totalidade, Itabira ultrapassará o mínimo de 10% de sua extensão territorial – 1.256 quilômetros quadrados – com áreas de proteção integral, atendendo, na instância municipal, aos compromissos da Convenção sobre Diversidade Biológica e às Metas do Milênio. Atualmente Itabira possui três UCs: Parque Natural Municipal do Intelecto (35,13 hectares), Parque Natural Municipal do Ribeirão São José (74,33 hectares) e Parque Natural Municipal do Rio Tanque (247,18 hectares). Um hectare corresponde a 10 mil metros quadrados. 

A apresentação do projeto, pela palestrante Maria Auxiliadora Silva Matoso, foi dividida em seis etapas – Conhecendo o território de Itabira (I); Conceito de Mosaico, legislação, objetivo e metas (II); Potencialidades e oportunidades (III); Desafios (IV); Resultados alcançados (V); Visão de futuro (VI). Antes, a superintendente de Geoprocessamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Gilza Ferreira Alvarenga, fez uma síntese do espaço geográfico e territorial de Itabira.    

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Nivaldo Ferreira dos Santos, a participação efetiva de todas as instituições envolvidas, assim como da população, é imprescindível para que o Projeto Mosaico alcance todos os objetivos.

É um projeto ousado e com propostas que visam trazer um desenvolvimento sustentável, com base na defesa do meio ambiente e na construção da identidade territorial e cultural do nosso município. O projeto torna possível a preservação de nossa flora e fauna e a melhoria da condição de vida, mas para ser desenvolvido é preciso a participação de todos”, resumiu o secretário.

Damon Lázaro de Sena destacou a necessidade de preservação das matas e proteção de nascentes. Ele falou também da importância da utilização consciente dos recursos hídricos do município e do equilíbrio entre crescimento e defesa do meio ambiente.

Este é um projeto de extrema importância, que vai proporcionar a Itabira um crescimento equilibrado, sem afetar o ambiente em que vivemos. O nosso meio ambiente está sendo degradado, mas, por outro lado, há a necessidade de crescimento e desenvolvimento do agronegócio, que atualmente corresponde a apenas meio por cento do nosso PIB (Produto Interno Bruto). Queremos que Itabira continue tendo o compromisso de manter esse equilíbrio”, disse o prefeito.

O Projeto Mosaico vai garantir que sejam usados os métodos adequados para que cuidemos do meio ambiente com a possibilidade de agregar benefícios para Itabira e também para os municípios vizinhos”, acrescentou.

Prefeito participa de lançamento do Programa Produtor de Água

O Ribeirão Candidópolis, principal manancial que abastece Itabira, contará com um programa que tem o objetivo de garantir, a longo prazo, a quantidade e a qualidade das águas que abastecem a cidade e municípios vizinhos. O Programa Produtor de Água foi lançado na tarde dessa segunda-feira (07), no auditório da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA). Promovido pelos comitês das bacias hidrográficas (CBHs) dos rios Piracicaba, Santo Antônio e Doce, o evento contou com o apoio da Prefeitura de Itabira e do Instituto BioAtlântica – Agência de Água da Bacia do Rio Doce (IBio AGB Doce).

5 - Publico presente

Participaram do lançamento o prefeito Damon Lázaro de Sena, o presidente do CBH Piracicaba Iusifith Chafith Felipe, o presidente do CBH Santo Antônio Felipe Benício Pedro, o diretor-geral do IBio AGB Doce Carlos Augusto Brasileiro de Alencar, o coordenador do Programa Produtor de Água do Ribeirão Candidópolis Sílvio Bueno Pereira, além de estudantes, professores, servidores públicos municipais e representantes de outros CBHs.

O objetivo do programa é remunerar produtores de água por ações relacionadas ao uso e conservação do solo e das condições ambientais da propriedade. “Vamos investir, principalmente, na interlocução com o produtor rural. É um projeto que tem muito respaldo. Não é um programa barato, mas vamos buscar parcerias com prefeituras permanentemente. Não é só repassar recursos, e sim construir junto com os produtores um programa que de fato funcione”, afirmou Iusifith Felipe.

1 - Discurso Iusifith Felipe

Damon Lázaro de Sena disse que Itabira é uma bacia de nascentes e ressaltou a necessidade de preservá-las para que seja garantido o abastecimento de Itabira e região. “Para se ter água, é necessário plantar árvores para permitir que ela seja absorvida pelo solo. É preciso investir em ações para recuperá-la em qualidade e quantidade. Se o gestor não se preocupar, vai faltar água para todo mundo. É necessário se conscientizar hoje da importância desse processo”, pontuou.

2 - Discurso Damon de Sena

Nesse primeiro encontro, o gerente de Uso Sustentável da Água e do Solo da Agência Nacional das Águas (ANA), Devanir Garcia dos Santos, explicou o funcionamento do programa de melhoria da qualidade e da quantidade de água em mananciais, por meio de incentivo financeiro aos produtores. Ele disse que a adesão ao programa é voluntária e o pagamento é efetuado por serviços ambientais relacionados à pratica e manejos conservacionistas e à melhoria da cobertura vegetal. “Isso vai contribuir para o abatimento efetivo da erosão e da sedimentação, aumentando a infiltração da água no solo”, disse.

4 - Palestra com Devanir dos Santos

Ele destacou que é necessário a criação de parcerias e o envolvimento de toda a sociedade para que esse trabalho apresente os resultados esperados. O público teve a oportunidade de esclarecer dúvidas acerca do programa. Posteriormente, houve a palestra “Diagnóstico Socioambiental e Cálculo de Valoração Econômica do Serviço Ambiental – Bacia Hidrográfica do Ribeirão Candidópolis” com o professor da Universidade Federal de Viçosa, Fernando Falco Pruski.

Para esta terça-feira (08), está marcada a oficina “Elaboração do Plano de Comunicação para o Programa Produtor de Água do Ribeirão Candidópolis”. O encontro acontecerá entre 9h e 12h no auditório da SMMA.

Scroll To Top