domingo , 20 outubro 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: SUS

Arquivos de Tag: SUS

Novos procedimentos – HMCC oferece cirurgias pediátricas

A partir deste mês, a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), passa a oferecer uma série de procedimentos cirúrgicos pediátricos para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do município e região. Realizadas no Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) pelo conceituado cirurgião pediátrico Renato Rosa de Almeida, as cirurgias contemplam pacientes de herniorrafias, orquidopexia, postectomias, hipospádia, hidrocele, entre outras demandas.

No sábado (7), primeiro dia de realização dos procedimentos, foram realizadas cinco cirurgias e 30 consultas. De outubro em diante serão feitas, mensalmente, 10 cirurgias e 30 consultas.

Em forma de mutirão, as cirurgias são um plano de ação da SMS para satisfazer a demanda na rede pública. O atendimento no HMCC é feito exclusivamente por meio do SUS e o fluxo de atendimento inicia-se pela Unidade Básica de Saúde (UBS).

Sempre que necessário buscar auxílio, o usuário deve procurar primeiro a UBS de referência ao seu domicílio. Ao avaliar e cuidar de cada paciente, as equipes do Programa Saúde da Família (PSF) são responsáveis por direcioná-los para uma consulta com especialista ou exame de diagnóstico mais avançado no hospital, caso seja especializado. O paciente que necessitar de serviços hospitalares, no caso, cirurgias pediátricas eletivas, dará entrada no hospital a partir do encaminhamento do setor de Regulação da SMS, que realizará o agendamento para avaliação do caso.

Saúde em alta – Itabira é premiada no maior congresso de saúde pública do Brasil

Município foi uma das 88 cidades, entre 500 participantes, premiadas na 16ª Mostra Brasil, Aqui Tem SUS, em Brasília

Itabira recebeu mais uma boa notícia. Na semana passada, entre os dias 2 e 5, durante o 35º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, em Brasília, o Município recebeu medalha e certificado de premiação pela atuação em áreas estratégicas para o Sistema Único de Saúde (SUS). Itabira, que recebeu prêmio como experiência exitosa do Brasil, foi uma das 88 cidades agraciadas entre 500 participantes de todo o país. Este foi o maior congresso de saúde pública da atualidade.

Dentro do congresso, na 16ª Mostra Brasil, Aqui Tem SUS, os secretários municipais apresentaram as suas atuações. Segundo a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo, todas as experiências inscritas tiveram que vencer votações em seus estados antes de irem para o congresso. As melhores apresentações, além de submetidas a uma banca examinadora, também foram julgadas pelos congressistas.

Rosana Linhares apresentou o painel Redução da Mortalidade Infantil: Papel da Gestão Comprometida na Organização da Atenção Materno-Infantil no Município de Itabira. Para a secretária, uma das maiores felicidades foi poder representar o Município e estar entre as experiências de sucesso de Minas Gerais. Vale ressaltar que em 2018, a cidade registrou a menor taxa de mortalidade infantil da história: 6,2 óbitos para cada mil nascidos vivos. Este índice é equiparado aos alcançados por países desenvolvidos.

Já na minha apresentação, senti-me honrada quando, ao adentrar no local estabelecido, me deparei junto à banca examinadora que contava com a presença de importantes profissionais. Dentre eles, o doutor Aquilas Mendes, professor da Universidade de São Paulo (USP), uma sumidade em financiamento do SUS. Senti-me premiada já ali. Profissionais ilibados e comprometidos com o SUS como ele, nos emocionam”, disse.

Em seu agradecimento, a secretária de Saúde de Itabira lembrou o apoio irrestrito do prefeito Ronaldo Magalhães que “não mede esforços para que Itabira possa vencer as dificuldades nesse que é o momento mais difícil de gestão do SUS em toda sua história”. Rosana Linhares também ressaltou o trabalho de toda a equipe da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para que os resultados alcançados fossem possíveis.

Estar à frente da SMS, liderando grupos muito comprometidos e do bem, nesse cenário atual e receber esse prêmio, em nome de todos os profissionais que cuidam da atenção materno-infantil, seja na Atenção Primária, por meio das equipes de saúde da família; na Secundária, pela Policlínica e CEAE; e da Terciária, por meio do Samu, Pronto-Socorro Municipal de Itabira e dos hospitais Nossa Senhora das Dores e Municipal Carlos Chagas, bem como, dos parceiros e do Conselho Municipal de Saúde, torna esse momento muito especial. Ganhamos todos. Ganha-se o melhor: a vida”.

A solenidade de entrega dos prêmios ocorreu na quinta-feira (4), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Na ocasião, o médico sanitarista e ex-secretário do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), José Ênio Servilha Duarte, foi homenageado como patrono da mostra deste ano.

Ainda durante o congresso, os secretários municipais reafirmaram a saúde como direito social e fundamental; defenderam a necessidade de qualificar o pacto federativo, rediscutir as competências dos entes e o fortalecimento da participação da comunidade no SUS, com garantia de acesso, integralidade, equidade e qualidade nas ações e serviços públicos de saúde, gestão democrática e participativa, e financiamento compatível com sua magnitude. O 35º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde foi realizado pelo Conasems.

Procedimentos gratuitos – Prefeitura realiza mais 157 cirurgias oftalmológicas

A Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realiza mais um mutirão de cirurgias oftalmológicas no Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC). As intervenções começaram nesta quinta-feira (4) e seguem até o sábado (6). Foram agendados 157 pacientes para os três dias de cirurgias.

Desta vez, os procedimentos são para tratamento de calázio (lesão da pálpebra constantemente confundida com terçol), retirada de pterígio (alteração conjuntiva límbica que cresce sobre a superfície da córnea em direção à pupila), trabeculectomia (cirurgia realizada no tratamento do glaucoma) e catarata (lesão ocular que torna o cristalino opaco e deixa a visão embaçada). Esta última possui relevância social, uma vez que devolve a autonomia ao enfermo com dificuldade para enxergar.

A maioria das intervenções são ambulatoriais e o paciente é liberado no mesmo dia. Normalmente o pós-operatório não é doloroso e o tempo de recuperação e repouso é curto. A equipe responsável pelo mutirão é formada por dois médicos, um técnico em enfermagem, um instrumentador, uma secretária, um apoio administrativo e um motorista.

De acordo com a SMS, o mutirão de cirurgias oftalmológicas é um plano de ação para reduzir a fila de espera na rede pública. A porta de entrada para os procedimentos é o Programa Saúde da Família (PSF). Após consulta, se constatada a necessidade de intervenção cirúrgica, o paciente é avaliado por um oftalmologista. A oportunidade foi oferecida a todos os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), já cadastrados, que aguardavam pelo tratamento adequado. Desde o ano passado, já foram realizadas 558 cirurgias por meio de mutirões.

Saúde – HMCC ganha quatro novos leitos de UTI

Quatro leitos existentes no Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD) foram realocados ao Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) para a otimização dos serviços da Rede de Urgência em Itabira

Na última quinta-feira (6), o prefeito Ronaldo Lage Magalhães visitou, com a Secretária de Saúde Rosana Linhares e sua equipe, as instalações do Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) para oficializar a implantação dos quatro novos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os leitos foram realocados do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD) para otimizar o atendimento aos pacientes do SUS.

Desde sua inauguração, o HMCC sempre operou com seis leitos de UTI. Com a transferência dos quatro leitos, o hospital passa agora a atuar com dez, que é o ideal por equipe. Em toda sua história, esta é a primeira vez que a unidade de saúde oferece mais que seis leitos de UTI para usuários do SUS. “Com a remoção desses leitos do HNSD, conseguimos otimizar nossa unidade de UTI no HMCC, que é ótima: uma das melhores do Estado, mesmo se comparada à de hospitais particulares. Dispúnhamos de um número de médicos suficiente para trabalhar com dez leitos e, no entanto, funcionávamos com seis” esclareceu a gestora do SUS em Itabira e Secretária Municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo.

Além dos quatro novos leitos, o HMCC começou a oferecer o serviço de diálise para casos agudos da UTI. Segundo Rosana Linhares, antes da oferta deste serviço, alguns pacientes não poderiam ser transferidos para o HMCC devido à necessidade do procedimento. O Município, por meio do HMCC, adquiriu os aparelhos necessários para a prestação do serviço, bem como para fazer a osmose reversa (que trata a água para realização da diálise).

Nossa UTI já era preparada fisicamente, mas não dispunha de todos os equipamentos para tratamento dialítico de agudos. Agora, com a oferta da diálise, temos total possibilidade de assistir a pacientes diversos que precisam do tratamento intensivo. Muitas vezes, o procedimento é realizado por necessidade de estabilizar o paciente durante a internação na UTI”, disse Rosana Linhares.

Além da modernidade dos equipamentos, a UTI também é humanizada para os pacientes e profissionais que atuam nela. O espaço é amplo e possui claraboias que dão ao usuário a noção de quando é dia e noite, o que, segundo a diretora técnica do HMCC, Ana Rosa dos Santos, melhora muito o ritmo circadiano dos internados.

Sobre a ampliação dos leitos, Ana Rosa afirmou que a ação melhora a capacidade para atender mais pacientes. Com o acréscimo da tecnologia da diálise de agudos, o hospital consegue oferecer mais qualidade ao enfermo potencialmente grave. Com isso, existe a possibilidade do paciente sair mais rápido da UTI e de preservar sua função renal. “Isso equipara o nosso serviço de UTI hoje ao serviço das grandes UTIs do país. O Município não mediu esforços para manter uma UTI de ponta, com dez leitos totalmente voltados para os usuários do SUS. Agora o HMCC está melhor qualificado para a retaguarda ao serviço de urgência e continuidade ao tratamento do paciente originado do Pronto Socorro Municipal de Itabira”, concluiu Ana Rosa.

Durante a visita, Ronaldo Magalhães reafirmou seu compromisso com investimentos na área da saúde. O prefeito lembrou da dificuldade de promover mais avanços na área devido à falta de apoio dos governos estadual e federal. Ele ressaltou ainda que atualmente o Governo Municipal utiliza um terço de sua receita em saúde pública.

Desde o primeiro dia da nossa gestão, temos discutido as viabilidades para as melhorias em saúde. Assim, o município está, gradativamente, trabalhando, investindo e até mesmo ampliando os recursos nessa área. A nossa responsabilidade é muito grande. O Município é polo de região que engloba 29 cidades. A população desses municípios frequentemente utilizam nossa estrutura de saúde pública. Ao mesmo tempo, essas pessoas estão visitando nossa cidade e fortalecendo nossa economia. Por ser uma cidade mineradora, Itabira precisa se desenvolver em todos os seus aspectos e a esfera da saúde é um ponto importante. Até mesmo para que uma empresa tenha o interesse de se instalar aqui.” E concluiu: “Em Itabira, vejo uma ação positiva da FSFX no que diz respeito à qualidade, empenho, dedicação e isso ajuda nesse processo de avançar com a saúde no município. Fazemos esta visita hoje com muito gosto e sempre buscando ampliar as melhorias”.

Saúde pública de qualidade – Prefeitura realiza 3ª Plenária Municipal de Itabira

A Prefeitura de Itabira e o Conselho Municipal de Saúde realizaram, nesta quinta-feira (11), a 3ª Plenária Municipal de Saúde. Com o tema “Financiamento do SUS como garantia dos direitos à saúde”, o evento aconteceu no auditório da Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira (Funcesi). Durante todo o dia, os participantes avaliaram o sistema e propuseram novas diretrizes para a formulação de políticas públicas do Sistema Único de Saúde (SUS) em âmbito estadual e nacional.

Na oportunidade, houve palestras e debates sobre o tema. Três eixos temáticos foram discutidos: direito à saúde, financiamento do SUS e participação social. Para chegar a essa etapa, em março foram realizadas uma série de pré-conferências nas quais a população pontuou todas as questões relacionadas ao SUS. Nesses encontros também foram eleitos os delegados que participaram e votaram as propostas dessa plenária.

O prefeito Ronaldo Magalhães participou da assembleia. Em seu discurso, ele ressaltou que oferecer saúde de qualidade e bem estruturada é um dos grandes desafios do gestor público. Segundo Ronaldo Magalhães, apesar da crise financeira em todo o país e das dívidas herdadas, além das retenções por parte do Governo do Estado, a administração municipal continua garantindo os serviços essenciais à população.

Investimos, somente no ano de 2018, R$ 146 milhões na área de saúde, o que corresponde a quase 40% de todo o orçamento do município. Fazendo uma rápida retrospectiva: inauguramos 10 novos leitos de UTI no Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD); fizemos mutirões de cirurgia de pele, de cataratas e contra outros males; renovamos a frota da Secretaria Municipal de Saúde (SMS); contratamos mais pessoal para trabalhar como agentes de combate a endemias, dando resposta imediata ao avanço da dengue, febre amarela, zica e chikungunya; e outras tantas ações pontuais nas unidades básicas de saúde, campanhas e forças-tarefa”, explicou.

O prefeito lembrou ainda o trabalho do Município para a redução da taxa de mortalidade infantil. Após uma queda histórica de 13,51 mortes a cada mil nascidos vivos em 2016, para 6,8 em 2017, foi registrado em 2018 uma nova queda: 6,2 mortes a cada mil nascidos vivos. Esse índice é equiparado a taxas de mortalidade infantil de países desenvolvidos, o que, para Ronaldo Magalhães, coloca Itabira na contramão da realidade da maioria dos municípios mineiros e brasileiros.

São dados concretos que comprovam a seriedade e a responsabilidade do trabalho desenvolvido por nossa administração. Os resultados demonstram que continuamos trilhando o caminho correto, enfrentando fortemente os problemas e os desafios que se apresentam. Essa plenária é um momento fundamental para todos nós. É daqui que sairão políticas públicas e prioridades de atuação nesse segmento essencial à comunidade”, concluiu o prefeito.

A secretária municipal de Saúde (SMS), Rosana Linhares Assis Figueiredo, apresentou dados sobre a saúde pública na cidade. As informações positivas demonstram que, mesmo com as dificuldades encontradas, como, por exemplo, atender com recursos escassos a usuários de 29 municípios que formam a microrregião de Itabira, a gestão da saúde pública segue de vento em popa. “Nossa missão é continuar com esse cenário promissor que estamos construindo”, afirmou.

Rosana Linhares falou sobre a aprovação da Emenda Constitucional (EC 95), que congela por 20 anos os gastos da União, desencadeando, assim, um enorme obstáculo de sustentabilidade financeira do sistema público de saúde. De acordo com a secretária, “mesmo frágil e em crise, o SUS ainda é a única opção de acesso à assistência à saúde para mais de 75% da população. O financiamento da saúde, que, conforme a legislação deveria ser feito pela União, estados e municípios, está recaindo apenas sobre os municípios”.

Após a apresentação de Rosana Linhares, a professora da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais, Berenice de Freitas Diniz, ministrou uma palestra sobre participação social. Em seguida, foi a vez do desembargador do Tribunal de Contas de Minas Gerais, Renato Luiz Dresch, explanar sobre o direito à saúde. Por fim, o advogado Tadahiro Tsubouchi apresentou o tema financiamento do SUS.

Após as palestras, houve distribuição de grupos de trabalho para deliberação de propostas, e ainda, a eleição de delegados para a 9ª Conferência Estadual de Saúde. A etapa municipal é preparatória para a etapa estadual, em vista da 16ª Conferência Nacional de Saúde, com o tema “Democracia e Saúde: Saúde Como Direito e Consolidação dos Princípios e Financiamento do SUS” (entre os dias 4 e 7 de agosto, em Brasília). A participação nas etapas estaduais e nacional depende da escolha dos delegados nas etapas municipais e estaduais, respectivamente.

3ª Plenária Municipal – Prefeitura inicia pré-conferências de Saúde

As pré-conferências para discutir sobre a rede pública de saúde foram iniciadas na última segunda-feira (11). As reuniões são abertas à comunidade e acontecem, em sua maioria, nas sedes do Programa Saúde da Família (PSF). Os encontros preparam a pauta para a 3ª Plenária Municipal de Saúde, com data prevista para o dia 11 de abril, e são realizados pela Prefeitura de Itabira e Conselho Municipal de Saúde.

Nas reuniões, a população poderá pontuar todas as questões relacionadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Os levantamentos servirão para avaliar o sistema e propor novas diretrizes para a formulação de políticas públicas do SUS em âmbito estadual e nacional. Durante os encontros também serão eleitos os delegados para participar e votar as propostas na 3ª Plenária Municipal de Saúde, em abril.

A etapa municipal é preparatória para a etapa estadual (de 16 de abril a 15 de junho), em vista da 16ª Conferência Nacional de Saúde, com o tema “Democracia e Saúde: Saúde Como Direito e Consolidação dos Princípios e Financiamento do SUS” (entre os dias 4 e 7 de agosto, em Brasília). A participação nas etapas estaduais e nacional depende da escolha dos delegados nas etapas municipais e estaduais, respectivamente.

Mesmo frágil e em crise, o SUS é a única opção de acesso à assistência à saúde para mais de 75% da população. Infelizmente, a aprovação da Emenda Constitucional (EC 95), que congela por 20 anos os gastos da União, desencadeou um enorme obstáculo de sustentabilidade financeira do sistema público de saúde, que já se encontra subfinanciado há anos. Tudo isso agravou, ainda mais, a manutenção dos direitos sociais em todo país. Como garantir o direito à saúde de toda a população sem os devidos repasses financeiros do Estado e da União? O financiamento da saúde, que, conforme legislação deveria ser tripartite, está recaindo em cima do município. Este é o momento de refletir, discutir e colaborar para a construção de uma saúde melhor em Itabira, Minas Gerais e no Brasil. Por isso é tão importante a participação popular nas conferências e na Plenária Municipal de Saúde: são os usuários da saúde pública os principais beneficiados ou prejudicados por todas essas escolhas”, explicou a secretária municipal de Saúde em exercício, Lauana Matosinho Silva.

Saúde – Audiência pública para prestação de contas do 3º quadrimestre de 2018 acontece no dia 27

Objetivando a transparência no serviço público, a Prefeitura de Itabira vai promover na próxima quarta-feira (27) uma audiência pública para prestação de contas da área da Saúde. Na oportunidade, será apresentado as contas do 3º quadrimestre de 2018. A reunião será às 15 horas, no Plenário da Câmara Municipal. Toda a comunidade é convidada a participar.

A secretária municipal de Saúde e gestora do Sistema Único de Saúde (SUS) em Itabira, Rosana Linhares Assis Figueiredo, apresentará o Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior (RDQA). Os participantes poderão entender mais sobre como se dão as transferências de recursos do SUS provenientes de outras esferas, sobre os recursos próprios do Tesouro Municipal e sua aplicação nas ações e serviços de saúde. Será possível ainda conhecer a produção de procedimentos por níveis de atenção, sejam elas Atenção Primária, Secundária e Terciária, e as produções dos serviços de Vigilância, Assistência Farmacêutica e Ouvidoria Municipal do SUS.

A audiência pública da saúde cumpre a Lei Complementar Federal nº 141/12, que exige um processo de transparência dos gastos públicos da Saúde, de acordo com o que foi definido nos planos e conferências municipais. A participação popular é muito importante neste processo”, declarou a secretária.

Medicina chinesa – Usuários da saúde têm acesso gratuito à prática do Lian Gong

A fim de promover mais qualidade de vida e auxiliar na prevenção e no tratamento de doenças, a Prefeitura de Itabira oferece aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) a prática corporal fundamentada na medicina tradicional chinesa Lian Gong. A atividade foi desenvolvida especialmente para prevenir e tratar dores corporais.

A fisioterapeuta e instrutora do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (Nasf) do bairro Amazonas, Jacqueline Magalhães Cabral, trabalha com a atividade desde 2011. Ela lembra que a Ginástica Terapêutica Lian Gong em 18 Terapias foi elaborada pelo ortopedista chinês Zhuang Yuan Ming, que a chamou de “ginástica com prescrição médica”.

O tratamento passivo foi transformado em autoterapia, ou seja, o paciente é responsável por sua saúde. O Lian Gong foi desenvolvido para restabelecer os movimentos naturais do corpo, melhorando a resistência e a vitalidade do organismo. Os movimentos são lentos, contínuos, suaves e não têm impacto, com isso não há limite de idade, todos podem se movimentar tranquilamente e com segurança”, explicou.

Segundo Jacqueline Cabral a prática do Lian Gong possibilita ao paciente o conhecimento do corpo, auxilia no controle da hipertensão arterial e da diabetes, melhora o equilíbrio e a qualidade de vida. “Venho observando e ouvindo os relatos das pessoas que frequentam o grupo sobre os resultados benéficos desta atividade: mais concentração, paciência, tranquilidade, disposição e flexibilidade. Além, é claro, da socialização que a atividade em grupo proporciona”.

Na prática, os exercícios são divididos em três partes: cada uma contém 18 movimentos harmoniosos que atuam em áreas específicas do corpo. Para a instrutora do Nasf do bairro Pará, Alda Lúcia Menezes Duarte, o exercício constante do Lian Gong promove grandes benefícios para o indivíduo. A atividade previne e trata dores pelo corpo, como pescoço, ombros, região lombar, pernas e articulações. Ela busca amenizar as tensões musculares, alongar tendões e ligamentos, corrigir a postura física e estimular a percepção dos sentidos.

Há prevenção e tratamento de dores osteoneuromusculares, há melhora no humor, na qualidade do sono, estimula a circulação do sangue, restaura os movimentos fisiológicos, melhora a resistência, a vitalidade do organismo e o autocuidado”, explicou.

Ainda de acordo com Alda Duarte, durante a atividade, os movimentos são controlados pelo praticante dentro dos seus limites, sempre buscando o aprimoramento e a qualidade. “Acho muito interessante como o grupo se integra durante as práticas, ocorrendo vários relatos diários de melhoras individuais e ainda uma maior percepção da pessoa como agente de mudanças benéficas na sua vida”, disse a instrutora.

A oferta do Lian Gong em 18 Terapias faz parte da Política Nacional das Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), do Ministério da Saúde (MS). Em Itabira, os trabalhos são desenvolvidos por equipes dos Nasf, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

As Práticas Integrativas Complementares (PIC) são alguns dos tratamentos que utilizam recursos terapêuticos, sempre baseados em conhecimentos tradicionais, com o objetivo de tratar e prevenir diversas doenças, como depressão e hipertensão. Em março de 2018, o MS anunciou a inclusão de novas modalidades ao SUS. Nesta gestão, 100% das Estratégias de Saúde da Família (ESF) oferecem as práticas complementares. Pretendemos implantar uma nova modalidade ainda este ano”, declarou a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo.

Onde praticar:

Confira os locais e horários da prática do Lian Gong em Itabira:

1) UBS Campestre, Bela Vista, Eldorado e Nova Vista – terças e quintas-feiras, das 7h30 às 9h, na praça Cidade Toledo, Campestre (em frente ao asilo Lar de Ozanam);

2) UBS Areão e Amazonas – terças e quintas-feiras, das 7h15 às 8h15, na Associação da Vila São Joaquim;

3) UBS Centro, Pará, Penha, Santo Antônio e Vila Paciência – segundas e quartas-feiras, das 7h30 às 8h30, no estacionamento da Câmara Municipal;

4) UBS Praia II/ Juca Rosa – segundas e quartas-feiras, das 7h30 às 9h, na avenida Cristina Gazire, s/n, Praia (ao lado da Justiça do Trabalho).

Toda a população pode participar. Não há limite de vagas por turmas e não é necessário fazer inscrição.

Mais acesso à população – Secretaria de Saúde lança Ouvidoria Itinerante nesta terça-feira

Com o objetivo de facilitar a participação popular nas questões da saúde no município, a Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), lança nesta terça-feira (4) a Ouvidoria Itinerante. A primeira edição do projeto, que segue até abril de 2019, será no Centro de Atenção Especializada (Ceae).

Segundo a ouvidora Municipal de Saúde, Carla Alvarenga Pessoa, a Ouvidoria Itinerante percorrerá as unidades da rede municipal para escutar os usuários e trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS). Toda semana, uma equipe da Ouvidoria Municipal de Saúde se descolocará a uma determinada unidade para atender à população. O cidadão poderá se manifestar: apresentar sugestões, reclamações, elogios ou reivindicações sobre o serviço de saúde oferecido pelo SUS.

Dessa forma, além de divulgar o trabalho prestado pela Ouvidoria, conseguiremos aproximar o serviço da população, proporcionando ao usuário a oportunidade de se manifestar e ser ouvido em sua unidade de saúde, fortalecendo assim o controle social”, declarou Carla Pessoa.

Ao final do trabalho, será produzido um relatório gerencial para auxiliar na tomada de decisões da SMS. “Desejamos melhorar continuamente nossos serviços, a partir da visão dos usuários e dos trabalhadores. Por isso, a participação de todos é muito importante”, finalizou a ouvidora de Saúde.

Mutirão para procedimentos gratuitos – Em dois dias, Prefeitura de Itabira realiza 33 cirurgias de pterígio

Mais 33 cirurgias foram realizadas no último fim de semana, por meio da Prefeitura de Itabira/ Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Desta vez, os procedimentos foram para a retirada de pterígio – uma alteração da conjuntiva límbica que cresce sobre a superfície da córnea em direção à pupila. As intervenções aconteceram no sábado (3) e domingo (4), no Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC).

O mutirão de cirurgias é um plano de ação para reduzir a fila de espera na rede pública. Ao todo, 60 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) aguardavam pelo procedimento. “Alguns pacientes estavam na fila de espera desde 2011. Também tínhamos muitos pacientes aguardando a cirurgia desde os anos de 2015 e 2016. A oportunidade foi oferecida a todos os 60 pacientes que estavam na fila. No entanto, oito deles não quiseram participar, seja por já ter feito a cirurgia ou tratamento adequado”, explicou a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo. Além disso, dos 42 que fariam a cirurgia, sete não puderam ser operados por diversas razões. Outros dois pacientes não compareceram.

Segundo especialistas, a cirurgia – que consiste na remoção do pterígio – somente deve ocorrer quando os tratamentos convencionais falham; há comprometimento da acuidade visual (capacidade para identificar o contorno e a forma dos objetos) do paciente; ou quando há incômodo com a aparência estética. Normalmente, o pterígio não é uma doença grave. Entretanto, pode provocar sintomas e sinais muito desagradáveis.

Trata-se de uma doença que geralmente afeta as pessoas que passam muito tempo ao ar livre, expostas ao vento e ao sol, podendo afetar um ou ambos os olhos. O pós-operatório não é doloroso e o tempo de recuperação e repouso é curto. É frequente os pacientes retomarem as atividades normais em poucos dias após o procedimento”, disse Rosana Linhares.

pterigio-660x330

Scroll To Top