sábado , 21 setembro 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: vacina

Arquivos de Tag: vacina

Situação do sarampo em Itabira – “Cobertura vacinal contra sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde”, diz Superintendência de Vigilância em Saúde

Apesar de algumas regiões do país apresentarem casos confirmados, no município não existem. A única maneira de manter a população segura é por meio da vacina.

A cobertura vacinal contra o sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde, para a faixa etária determinada pelo Programa Nacional de Imunização. Mesmo assim mantemos a vigilância”, declarou na manhã desta terça-feira (10) a superintendente em Vigilância em Saúde da Prefeitura de Itabira, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. Até o momento, não há registro de nenhum caso confirmado da doença no município e existe um caso em investigação.

Uma criança de um ano e cinco meses de idade foi imunizada com a segunda dose da vacina no último dia 26 de agosto. No dia 31, iniciou com sintomas sugestivos da doença. No entanto, após a avaliação médica o caso foi classificado como reação vacinal, estando ainda sob investigação.

Assim que tomamos conhecimento deste caso, prontamente o Protocolo foi aplicado. As ações de bloqueio que competem ao município, como avaliação da situação vacinal de todos os contatos do caso suspeito e vacinação imediata dos casos necessários, em até 72 horas, foram realizados. Os exames laboratoriais estão sendo realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), mesmo o sarampo tendo sido preliminarmente descartado após avaliação médica”, explicou Thereza Andrade.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda a imunização de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose de Triviral aos 12 meses e outra aos 15 meses de idade. A partir de 12 meses a 29 anos de idade, o MS recomenda duas doses da vacina contendo o componente sarampo e de 30 a 49 anos de idade uma dose. Os profissionais de saúde devem ter comprovação de duas doses da vacinal com componente sarampo, independentemente da faixa etária.

Com o aumento do número de casos em algumas regiões do país, o MS tem intensificado a vacinação e recomendado que crianças entre seis e 11 meses de idade e 29 dias recebam uma dose de Triviral. Esta dose não será considerada válida para fins do Calendário Nacional de Vacinação, devendo ser administrada dose de rotina aos 12 meses e 15 meses.

Em Itabira, até o momento, já foram aplicadas 3.775 doses da tríplice viral – número considerado excelente pelas autoridades em saúde. Thereza Andrade ressalta que todas as unidades de saúde do município estão preparadas para agir em caso de suspeita da doença e orienta que aquele que apresentar febre, tosse persistente, irritação ocular, coriza, mal-estar intenso e manchas vermelhas (exantema) devem procurar uma unidade de saúde, pois, estes podem ser sintomas sugestivos de sarampo.

A Superintendente de Vigilância em Saúde destacou ainda que o Município possui disponível a vacina tríplice viral para a rotina de imunização. As salas de vacinação das unidades básicas de saúde (UBS) funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Quem tiver dúvidas sobre a vacinação contra o sarampo, procure orientações na UBS, preferencialmente, com o cartão de vacinação.

31 de agosto – Vacinação antirrábica na área urbana de Itabira acontece neste sábado

No sábado (31), a Prefeitura de Itabira realiza a campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos na área urbana do município. A iniciativa acontece por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), das 8h às 17h, em 38 locais – entre postos de saúde e associações de bairro. Na área rural, a ação já foi realizada.

De acordo com a Diretoria de Controle de Zoonoses, setor responsável pela campanha no município, o objetivo da imunização é manter o controle da raiva animal em Itabira. Devem ser vacinados cães e gatos com idades a partir de três meses e que estejam saudáveis. Para facilitar a imunização, cães de grande porte devem estar com focinheira e acompanhados por um adulto. Já os proprietários de gatos devem levá-los dentro de um saco de linhagem ou em caixa de transporte.

Cães e gatos devem ser vacinados anualmente. A raiva animal está erradicada em Itabira, mas para que a situação continue assim é necessário mantermos este controle. Gatos, por exemplo, são caçadores por natureza e caso entrem em contato mais próximo com um animal infectado, como um morcego, podem ser infectados e trazer o perigo para os humanos que convivem com eles. A vacina é a única defesa contra a doença”, ressalta a responsável pela Diretoria de Controle de Zoonoses, Kelley de Pinho Generoso.

Raiva animal

Cães, gatos e morcegos são os principais transmissores da raiva, que compromete o sistema nervoso do homem, quando contaminado. A zoonose é infecciosa viral incurável e afeta, especialmente, os animais mamíferos. Propaga-se principalmente em contato com a saliva, mordedura, lambida de feridas abertas, mucosas e arranhões de animais infectados. Esta doença tem um alto grau de letalidade: mesmo quando tratada, a chance de morte é de quase 100%.

A raiva é uma zoonose extremamente importante para a saúde pública, devido a sua letalidade de aproximadamente 100%. Além disso é uma doença possível de ser eliminada no ciclo urbano pela existência de medidas eficientes de prevenção, como a vacinação”, explica Kelley Generoso.

Saiba o que fazer se for atacada por um animal, mesmo se for vacinado contra a raiva:

- lavar imediatamente o ferimento com água e sabão;

- procurar com urgência o serviço de saúde;

- deixar o animal em observação durante 10 dias para que possa identificar qualquer sinal indicativo da raiva e procurar ajuda de um veterinário;

- continuar oferecendo água e alimentação ao animal e deixá-lo em local seguro e adequado para que não fuja ou ataque outras pessoas ou animais;

- caso o animal adoeça, morra, desapareça ou mude de comportamento, é necessário informar imediatamente ao Serviço de Zoonoses (3839-2643);

- não interromper (nunca) a vacina antirrábica humana sem ordens médicas.

Confira os bairros e locais de vacinação:

1) Abóboras – Associação dos Amigos do Bairro Abóboras (das 13h às 17h) – Rua Sapucaia, 81.

2) Água Fresca – Premem – Rua José Basílio Caetano, 1 – Cônego Guilhermino.

3) Água Fresca – UBS Água Fresca – Rua Marechal Jofre, s/n.

4) Amazonas – Associação de Amigos do Bairro Amazonas – Rua Sergipe, 519.

5) Areão – UBS Amazonas – Av. Brasil, 50.

6) Barreiro – UBS Barreiro – Rodovia MG 129, 177.

7) Bela Vista – UBS Bela Vista – Rua Cônego Guilhermino Pereira, s/n.

8) Bethânia – Combem – Av. Galileia, 520.

9) Boa Esperança – Associação dos Amigos do Bairro Boa Esperança – Rua João Paulo I, 262.

10) Campestre – Secretaria Municipal de Saúde – Rua Jacutinga, 14.

11) Centro – Centro Viva Vida – Av. João Pinheiro, 791.

12) Chapada – UBS Chapada – Rodovia MG 129, s/n.

13) Clóvis Alvim/ Bethânia – UBS Bethânia – Av. Fábio Pires, s/n.

14) Conceição – Associação de Bairro – Rua das Candeias, s/n.

15) Eldorado – UBS Eldorado – Rua das Margaridas, s/n.

16) Fênix – UBS Fênix / Machado – Rua Hidemburgo Gonçalves, 80.

17) Fênix – Associação dos Moradores do Bairro Fênix – Rua Olímpio Domingos Cardoso, 248.

18) Gabiroba – UBS Gabiroba de Baixo – Rua dos Professores, 327 A.

19) Gabiroba – UBS Gabiroba de Cima – Rua dos Músicos, 300.

20) Gabiroba – Ginásio Poliesportivo do Gabiroba (das 13h às 17h) – Av. dos Médicos, s/n.

21) Gabiroba – Igreja Rainha da Paz – Rua DW, 78.

22) Juca Rosa – Ponto de Apoio a Endemias (P.A. Dengue – das 13h às 17h) – Rua Acácia, 39.

23) Machado – Escola Estadual Antônio Linhares Guerra – Rua Afonso Pena, 494.

24) Major Lage – UBS Major Lage – Rua Urânio, 19 A.

25) Monsenhor José Lopes – UBS Santa Ruth / Santa Marta – Rua Quatrocentos, 130.

26) Nossa Senhora das Oliveiras – Centro Comunitário do Bairro N. S. das Oliveiras – Rua Curvelo, 16.

27) Nossa Senhora das Oliveiras – Escola Municipal Virgílio Gazire – Rua Ouro Preto, 2.

28) Nova Vista – UBS Nova Vista – Rua Esperança, 70.

29) Pará – UBS Pará – Rua Ipoema, 205.

30) Vila Paciência – Projeto Meninar – Av. France de Paula Andrade, 310.

31) Pedreira – UBS Pedreira – Rua Pássaro Verde, 100.

32) Pedreira de Cima – CRAS Pedreira (das 8h às 12h) – Rua Pintassilgo, 264.

33) Pedreira de Cima – Venda do Ouro – Praça Venda do Ouro, s/n.

34) Praia – UBS Praia II – Av. Li Guerra, s/n.

35) Santa Tereza – Clube de Mães (das 8h às 12h) – Rua Maria Campos, 208.

36) Vila Amélia – Igreja Vila Amélia (das 13h às 17h) – Rua Júpiter, 20.

37) Vila Santa Rosa – Escola Municipal Professora Didi Andrade – Av. Tabelião Osório Sampaio, 515.

38) Vila São Joaquim – Associação Vila São Joaquim (das 8h às 12h).

Imunização – Prefeitura inicia campanha de prevenção contra febre amarela

Começou na segunda-feira (7) a campanha da Prefeitura de prevenção contra a febre amarela. A doença, que no ano passado infectou 11 pessoas no município – das quais cinco resultaram em morte -, pode ser prevenida por meio da imunização.

A campanha conta com a distribuição de material explicativo e o levantamento da cobertura vacinal da população. Todas as ações são coordenadas e realizadas por equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Nesta semana, os servidores percorreram a região dos bairros Santa Ruth e Santa Marta para realizar o levantamento, que contemplará todo o município. Na próxima semana, a proposta acontece no distrito de Ipoema e região do bairro Praia.

Nossas equipes estão indo de casa em casa para verificar os cartões de vacinação. Caso este não esteja em dia, o usuário poderá tomar a vacina neste momento. Por isso, é muito importante que a população esteja atenta, com o cartão de vacina em mãos, para facilitar o trabalho das equipes itinerantes”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

A única forma de evitar a febre amarela é por meio da vacinação. A vacina é recomendada para todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira. Apenas uma dose garante imunidade por toda a vida. As crianças devem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a ovo. Gestantes e idosos devem passar por uma avaliação médica.

Nos anos de 2017 e 2018, fizemos um levantamento e vacinação dos habitantes de Itabira. Mas constatamos, inclusive no estado de Minas Gerais, que ainda temos um público muito grande sem imunizar. Essa é uma situação preocupante. Portanto, precisamos passar para toda a população esse alerta: quem ainda não tomou a vacina deve procurar sua unidade de saúde o mais rápido possível porque existe o risco de se contrair a doença”, finalizou Thereza Andrade.

Imunização – Próximo sábado será Dia D da campanha de vacinação contra gripe

A Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza continua em Itabira em todas as unidades de saúde que possuem sala de vacinação. No próximo sábado (12), acontece a mobilização nacional, também conhecida como Dia D. Nesta data, os postos de saúde estarão abertos das 8h às 17h. Esta é uma das estratégias para diminuir o impacto da gripe na população e garantir a cobertura vacinal no município.

A campanha segue até o dia 1º de junho. Devem ser vacinados os seguintes grupos: pessoas com 60 anos de idade ou mais; crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores das escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade que estão cumprindo medidas socioeducativas; população carcerária; e funcionários do sistema prisional.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade, a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é de imunizar 90% das pessoas incluídas nos grupos prioritários. Ela acrescentou ainda que todos os anos há uma atualização da vacina contra a gripe. A ação é uma das recomendações feitas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para garantir maior eficácia do produto. “As vacinas garantem proteção por, aproximadamente, um ano. A pessoa fica protegida a partir da segunda semana após a administração da dose”, esclareceu Thereza Andrade.

Entenda – O vírus Influenza é transmitido por meio do contato com secreções das vias respiratórias que são eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O período de maior circulação do vírus da gripe ocorre, principalmente, de junho a agosto. O Ministério da Saúde orienta que a população adote algumas medidas para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evitar tocar o rosto, não compartilhar objetos de uso pessoal e manter os ambientes arejados.

Prevenção – Campanha de vacinação contra gripe começa na próxima segunda-feira

Na próxima segunda-feira (23), o Ministério da Saúde iniciará a Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza em todo o país. Em Itabira, ela é realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). As doses serão aplicadas até o dia 1º de junho em todas as unidades de saúde do município que possuem sala de vacinação. Esta é uma das estratégias para diminuir o impacto da gripe na população.

Não há nenhuma alteração em relação ao público que deve ser imunizado, em comparação ao ano passado. A escolha dos grupos prioritários a serem vacinados deve-se ao fato de serem indivíduos mais vulneráveis aos efeitos da doença.

Devem ser vacinados os seguintes grupos: pessoas com 60 anos de idade ou mais; crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores das escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; e funcionários do sistema prisional. Nossa expectativa é imunizar 90% das pessoas incluídas nos grupos prioritários”, disse a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade.

De acordo com informações fornecidas pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), todos os anos os subtipos dos vírus da gripe que serão incluídos na vacina mudam. Este ano, a vacina utilizada na campanha de vacinação será a trivalente. “As vacinas garantem proteção por, aproximadamente, um ano, e a pessoa fica protegida a partir da segunda semana após a administração”, ressaltou Thereza Andrade. Ela acrescentou ainda que a atualização da vacina contra a gripe faz parte das recomendações feitas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para garantir maior eficácia do produto.

Outras medidas preventivas

O vírus Influenza é transmitido por meio do contato com secreções das vias respiratórias que são eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O período de maior circulação do vírus da gripe ocorre, principalmente, de junho a agosto.

Por isso, o Ministério da Saúde orienta que a população em geral adote algumas medidas para evitar a doença, como lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evitar tocar o rosto, não compartilhar objetos de uso pessoal e manter os ambientes arejados.

Unidades de Saúde que possuem sala de vacinação:

UBS Água Fresca, UBS Amazonas/ Areão, UBS Barreiro, UBS Clóvis Alvim/ Bethânia, UBS Centro/ Vila Santa Rosa, UBS Campestre, UBS Chapada, UBS Eldorado, UBS Fênix, UBS Gabiroba de Cima, UBS Gabiroba de Baixo, UBS João XXIII/ Machado, UBS Major Lage, UBS Praia I, UBS Praia II/ Juca Rosa, UBS Pará, UBS Pedreira, UBS Santa Ruth/ Santa Marta, UBS Jardim das Oliveiras, Policlínica, Ipoema e Senhora do Carmo.

A vacinação pode ser feita de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h. O Dia D – data da mobilização nacional da campanha – será no sábado, 12 de maio, das 8h às 17h, em todas as unidades básicas de saúde.

Situação grave – Sobe para cinco o número de mortes por febre amarela em Itabira

Sobe para cinco o número de mortes por febre amarela em Itabira neste ano. O número foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. Segunda ela, nenhuma das vítimas havia sido vacinada. O sexto óbito com sintomas da doença ainda está sendo investigado pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte.

Há ainda um paciente internado com a doença e outras 13 internações com sintomas de febre amarela que ainda não tiveram o diagnóstico confirmado. No entanto, 22 casos já foram descartados. Apenas em 2018, 42 casos suspeitos foram notificados em Itabira.

A SMS alerta para a importância da vacinação neste momento. De acordo com Thereza Andrade, a meta do Governo Municipal é imunizar 100% da população que não possui contraindicação para a vacina. Para isso, a SMS intensificou a campanha de vacinação nos últimos dias. Uma nota oficial da Sociedade Mineira de Infectologia (SMI), divulgada na última sexta-feira (2), esclarece que a vacina é eficaz e oferece uma proteção em torno de 98%. “Apesar de ocorrerem raros casos de doença em indivíduos imunizados, formas graves entre as pessoas vacinadas sã bastante incomuns”, diz o boletim.

A vacina é hoje a forma mais eficaz e segura para conter o avanço da doença no município. É importante que todas as pessoas que ainda não foram vacinadas contra a febre amarela procurem uma unidade de saúde e se imunizem. Quanto maior a cobertura vacinal, menor o risco das pessoas adoecerem e do vírus se disseminar”, declarou Thereza Andrade.

Entenda

A febre amarela é transmitida pela picada dos mosquitos transmissores infectados a pessoas não vacinadas. A transmissão de pessoa para pessoa não existe. Assim como os primatas não transmitem o vírus para os seres humanos. A única forma de evitar a febre amarela é a vacinação contra a doença. A vacina é gratuita e está disponível nas unidades de saúde do município. Ela é recomendada a todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira, que está classificada na categoria 3, ou seja, passa por um surto de febre amarela.

As crianças podem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, a vacina é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo. Gestantes e idosos devem passar por avaliação médica. Em Itabira, a avaliação também poderá ser feita pelo enfermeiro da UBS a qual o usuário pertence.

Utilidade Pública – Unidades de Saúde de Itabira possuem vacina contra febre amarela

A Prefeitura de Itabira, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informa que a febre amarela está avançando no município. A situação é grave. “A única maneira de conter a doença é se imunizando. Portanto, todas as pessoas que ainda não foram vacinadas, devem procurar uma unidade de saúde”, alerta a superintendente de Vigilância Sanitária em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

Além da Policlínica Municipal, as seguintes UBS também possuem a vacina contra a febre amarela: Barreiro, Clóvis Alvim, Gabiroba de Cima e de Baixo, João XXIII e Machado, Centro e Vila Santa Rosa, Pedreira I e II, Eldorado, Praia I, Pará, Chapada, Santa Ruth, Amazonas, Major Lage, Senhora do Carmo e Ipoema.

Situação grave – Aumenta número de casos suspeitos de Febre Amarela em Itabira

De acordo com Secretaria Municipal de Saúde, a vacinação é a forma mais eficaz e segura para conter o avanço da doença

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alerta a população de Itabira para a necessidade da imunização contra o vírus da febre amarela. De acordo com os dados levantados pela secretaria, houve um aumento significativo do número de notificações. Ao todo, são 23 notificações; 1 óbito confirmado; 4 óbitos em investigação; e 19 casos suspeitos aguardando o resultado. A situação é assustadora.

A vacina é hoje a forma mais eficaz e segura para conter o avanço da doença no município. É importante que todas as pessoas que ainda não foram vacinadas contra a febre amarela procurem uma unidade de saúde e se imunizem”, adverte a superintendente de Vigilância em Saúde Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

Para a SMS, a situação em Itabira só não está mais grave porque em 2017 – quando foram registrados vários casos de febre amarela no país, inclusive com epidemias em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo – O Governo Municipal iniciou uma intensa campanha de prevenção e vacinação em massa. Na época, foram encontrados em diferentes áreas da cidade sete primatas mortos, o que deixou a SMS em alerta, uma vez que a presença de macacos mortos ou doentes é um indício de que o vírus pode estar circulando no local.

Diante disso, a vigilância foi intensificada. A SMS mobilizou empresas, instituições de ensino e sociedade civil, além de orientar a população. “Fizemos a vacinação em toda a região rural, de grupos específicos como presídio e hospitais e chegamos a estender o horário de funcionamento das unidades de saúde para viabilizar e facilitar o acesso daqueles que trabalham o dia inteiro e que não tinham tempo para ir à unidade em horário comercial. Infelizmente, mesmo com todos os esforços, ainda existem pessoas que não se vacinaram”, lembra Thereza Andrade.

Após a intensificação da campanha, cerca de 86% da população em Itabira já está imunizada. No entanto, o Governo Municipal pretende atingir uma cobertura de 100%. “Sabemos que é muito difícil alcançar esse índice, mas é o que pretendemos. É a única forma de resguardarmos a cidade e quem vive aqui. É imprescindível que todos se vacinem, principalmente os homens, que é o grupo mais resistente à imunização”, declarou.

Alerta de saúde pública

O que é: a febre amarela é uma doença infecciosa aguda, de curta duração (no máximo 10 dias), com gravidade variável (pode levar à morte), causada pelo vírus da febre amarela.

Quais sintomas: febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina).

Como se transmite: a febre amarela é transmitida pela picada dos mosquitos transmissores infectados a pessoas não vacinadas. A transmissão de pessoa para pessoa não existe. Assim como os primatas não transmitem o vírus para os seres humanos.

Como prevenir: a única forma de evitar a febre amarela silvestre é a vacinação contra a doença. A vacina é gratuita e está disponível nas unidades de saúde e é recomendada para todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira. Apenas uma dose garante imunidade por toda a vida. As crianças podem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo. Gestantes e idosos devem passar por avaliação médica.

Cobertura vacinal – ERRATA

Por solicitação da médica infectologista Andréa Cabral, a Subsecretaria de Comunicação Social divulga a seguinte nota de esclarecimento:

Venho por meio desta oficializar que não foi afirmado por mim que houve uma falha na cobertura vacinal nas cidades em que aconteceram casos em humanos. E sim que uma falha na cobertura vacinal pode ter acontecido nessas cidades.

Também não foi falado por mim que não existe reação adversa com a segunda dose da vacina. O que foi falado por mim é que na literatura médica não existe relato de evento adverso grave com a segunda dose.

É imprescindível que seja publicada a errata.

Obrigada!

Andréa Cabral”

Estoque de vacina contra a gripe acaba no Dia D

Em apenas três dias de vacinação, Itabira vacinou contra a gripe 15.130 pessoas que fazem parte do grupo de risco e zerou seu estoque recebido da Secretaria Estadual de Saúde. A meta da Secretaria Municipal de Saúde é vacinar 26 mil até o dia 20 de maio, data em que a campanha será encerrada.

De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica Lumênia Souza Duarte, não há mais doses em nenhuma unidade de saúde. “Já acionamos a Gerência Regional de Saúde solicitando mais doses, porém, fomos informados de que o Estado ainda não tem previsão de quando os municípios serão reabastecidos”, explica Lumênia Duarte.

A diretora conta que todos os anos o Governo do Estado libera as vacinas gradativamente. Este ano está prevista a liberação de mais três lotes para Itabira. “A população-alvo já é pré-definida pelo Ministério da Saúde, assim como o número de pessoas que devem ser imunizadas. Este ano o processo ocorreu como em todos os anteriores, porém, nesta campanha ocorreu um fato atípico: a população, que sempre protelou a ida à unidade de saúde para se imunizar, preferiu tomar a vacina no início. O esquema de distribuição não suportou”, explica Lumênia Duarte. Ela lembra que no ano passado o Governo Federal teve que estender o período da campanha para garantir que os municípios cumprissem a meta de cobertura.

O adiantamento da temporada de gripe, os vários casos já registrados no país, principalmente em São Paulo, levou a população às unidades de saúde e antecipar a vacinação. Ao menos nove estados registram falta da vacina. Vários municípios que anteciparam a campanha de vacinação preferiram não realizar o Dia D de Vacinação, ocorrido sábado, porque não possuíam doses suficientes para atender o público-alvo.

Pedimos que a população se tranquilize, pois mais doses chegarão no município ainda durante o período da campanha, que se encerra no dia 20 de maio”, conclui Lumênia Duarte.

Scroll To Top