domingo , 20 outubro 2019
Você está aqui: Capa | Arquivos de Tag: vacinação

Arquivos de Tag: vacinação

Utilidade pública – Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra Sarampo acontece neste sábado

A primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo deste ano terá seu Dia D neste sábado (19). Nesta data, todas as unidades básicas de saúde (UBS) de Itabira, incluindo a Policlínica, estarão abertas, das 8 às 17 horas, para vacinar crianças de 6 meses a 5 anos de idade incompletos. Para o procedimento, é necessário levar o cartão de vacinação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a priorização do grupo (crianças) para a primeira fase da campanha deve-se à elevada incidência da doença na faixa etária selecionada, nos surtos registrados em 2019, que tem ainda maior riscos de complicações. Já a segunda fase da campanha, que acontece a partir desta sexta-feira (18) e segue até o dia 30 deste mês – data da mobilização nacional (Dia D) desta etapa -, o público-alvo são jovens adultos com idades entre 20 e 29 anos. Este grupo foi determinado devido ao número expressivo de casos confirmados nesta faixa de idade.

O cenário epidemiológico brasileiro, segundo informações da SMS, apresenta baixa cobertura vacinal, reforçando a necessidade da campanha de vacinação que, tem como objetivo, imunizar seletivamente para reduzir ou eliminar os bolsões de não vacinados. Dessa maneira, interrompendo a circulação viral e controlando a doença no país.

A solenidade de abertura do Dia D será neste sábado (24), às 8h, na UBS Gabiroba – rua dos Músicos, s/n.

Dia D – Vacinação contra gripe atinge 43,71% da cobertura vacinal dos grupos de risco

A adesão da comunidade ao Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, no último sábado (4), elevou o número de imunizados no município. Dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) mostram que, até o momento, 13.032 doses foram aplicadas, o equivalente a 43,71% da cobertura vacinal dos grupos de risco.

Até a sexta-feira (3), o índice era de apenas 25%. A meta do Ministério da Saúde é imunizar, pelo menos, 90% da população elegível. No município, o objetivo é vacinar 29.812 pessoas. Nesta campanha contra a Influenza, além dos indivíduos com 60 anos ou mais de idade, estão sendo vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, presidiários e funcionários do sistema prisional.

A campanha continua até o dia 31 nas UBS que possuem sala de vacinação, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30. Para receber as doses da vacina, é necessário apresentar o Cartão de Vacinação. A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta alerta que o vírus Influenza não é como outros que causam gripe ao longo do ano. “Ele é mais grave e pode causar complicações como a pneumonia, por exemplo, e que podem levar a óbito. Por isso, a vacinação é imprescindível”, disse.

Dia D

No sábado (4), Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, todas as unidades de saúde do município que possuem sala de vacinação estavam abertas, das 8h às 17h. No mesmo dia, em uma ação de controle e combate ao câncer de boca, as equipes da Saúde Bucal também fizeram plantão para avaliar idosos e fumantes.

Para a diretora de Vigilância Epidemiológica da SMS, Natália Franco Barbosa de Andrade, o envolvimento das equipes da Atenção Primária foi um dos motivos do sucesso do Dia D. “Gostaria de enaltecer a parceria, envolvimento, criatividade e dedicação das equipes da Atenção Primária. As decorações dos postos de saúde e atividades paralelas para atrair o público, principalmente as crianças, partiu de algumas dessas equipes”, ressaltou.

Saúde – Dia D contra gripe acontece neste sábado

Neste sábado (4), acontece o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que começou no dia 10 de abril. Na data, todas as unidades de saúde do município que possuem sala de vacinação estarão abertas, das 8h às 17h. Ainda no sábado, em uma ação de controle e combate ao câncer de boca, as equipes da Saúde Bucal também estarão de plantão para avaliar idosos e fumantes.

Nesta campanha contra a Influenza, além dos indivíduos com 60 anos ou mais de idade, estão sendo vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, presidiários e funcionários do sistema prisional.

A meta do Ministério da Saúde é imunizar, pelo menos, 90% dos grupos na campanha. Em Itabira, de acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta, o objetivo é vacinar 29.818 pessoas que se encaixam nos grupos prioritários. “Até a presente data só imunizamos cerca de 8.062 pessoas (27,04% do público-alvo), apesar de a vacina estar disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e na Policlínica. Assim, é imprescindível que a população aproveite o Dia D para se vacinar”, acrescentou Thereza Andrade.

Cada pessoa que se encaixa nos grupos a serem imunizados deve ser vacinada, exceto aquela que estiver com febre no dia da vacinação. Quem tem histórico de alergia a ovo deve receber a vacina em ambiente adequado (atendimento de urgência e emergência) para tratar manifestações alérgicas graves.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza segue até o dia 31 em Itabira. Para receber as doses da vacina, é necessário apresentar o Cartão de Vacinação.

Vacinação – Campanha contra Influenza começa nesta quarta-feira em todo o país

Começa nesta quarta-feira (10), e segue até o dia 31 de maio, a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A atividade envolve recursos financeiros das três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS): União, Estados e Municípios. Em Itabira, a ação é realizada por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Nesta campanha, além dos indivíduos com 60 anos ou mais de idade, serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a presidiários e os funcionários do sistema prisional. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), a meta é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.

Este ano a estratégia será realizada considerando momentos específicos para a mobilização da população. No período de 10 a 12 de abril, na região sul do país, serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérperas; entre os dias 15 e 19, em todo o país, serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérperas. A partir do dia 22, a vacinação contra a influenza ocorrerá com a mobilização de todos os grupos prioritários. Em todas as ocasiões haverá a atualização da Caderneta de Vacina, com a oferta das demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, para crianças e gestantes. Portanto, para receber as doses, que serão aplicadas nas unidades de saúde que possuem sala de vacinação, é necessário apresentar o Cartão de Vacina.

A mobilização nacional, também conhecida com o Dia D, será no dia 4 de maio. Nesta data, todas as unidades de saúde do município funcionarão das 8h às 17h. Cada pessoa que se encaixa nos grupos a serem imunizados deve ser vacinada, exceto aquela que estiver com febre no dia da vacinação. Quem tem histórico de alergia a ovo deve receber a vacina em ambiente adequado (atendimento de urgência e emergência) para tratar manifestações alérgicas grave.

Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também causar pandemias.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que a ocorrência de casos da influenza varia de leve a grave e pode até levar a óbito. Hospitalização e morte ocorrem principalmente entre os grupos de alto risco. Em todo mundo, calcula-se que estas epidemias anuais resultem em cerca de 3 a 5 milhões de casos de doença grave e de cerca de 290 mil a 650 mil mortes.

A doença pode ser causada pelos vírus influenza A, B e C. Os vírus A e B apresentam maior importância clínica: em média, as cepas A causam 75% das infecções, mas em algumas temporadas, ocorre predomínio das cepas B.

Transmissão

A transmissão da influenza ocorre principalmente por meio do contato com partículas eliminadas por pessoas infectadas ou mãos e objetos contaminados por secreções. A doença é muito elevada em ambiente domiciliar, creches, escolas e ambientes fechados ou semifechados.

Manifestações clínicas

O período de incubação do vírus influenza varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves.

A influenza é caracterizada por um início súbito de febre, tosse, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, mal-estar, dor de garganta e coriza. A tosse pode durar duas ou mais semanas. A maioria das pessoas recupera-se da febre e de outros sintomas dentro de uma semana, sem necessitar de cuidados médicos. Complicações ou mortes podem ocorrer especialmente em pessoas de alto risco. Ocorre também aumento nas taxas de hospitalização por pneumonia.

Embora a maioria das infecções por influenza tenha evolução autolimitada, a febre, em geral, é alta (38ºC a 40ºC), podendo desencadear convulsão febril em crianças. A febre, em geral, dura de três a cinco dias, mas a tosse e a fadiga podem se prolongar por duas semanas ou mais. Lactentes infectados pelos vírus influenza podem apresentar quadro semelhante à sepse. Infecções de mucosas, como otite e sinusite, e o agravamento de crises de asma e bronquite crônica são muito comuns.

Imunização – Prefeitura inicia campanha de prevenção contra febre amarela

Começou na segunda-feira (7) a campanha da Prefeitura de prevenção contra a febre amarela. A doença, que no ano passado infectou 11 pessoas no município – das quais cinco resultaram em morte -, pode ser prevenida por meio da imunização.

A campanha conta com a distribuição de material explicativo e o levantamento da cobertura vacinal da população. Todas as ações são coordenadas e realizadas por equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Nesta semana, os servidores percorreram a região dos bairros Santa Ruth e Santa Marta para realizar o levantamento, que contemplará todo o município. Na próxima semana, a proposta acontece no distrito de Ipoema e região do bairro Praia.

Nossas equipes estão indo de casa em casa para verificar os cartões de vacinação. Caso este não esteja em dia, o usuário poderá tomar a vacina neste momento. Por isso, é muito importante que a população esteja atenta, com o cartão de vacina em mãos, para facilitar o trabalho das equipes itinerantes”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

A única forma de evitar a febre amarela é por meio da vacinação. A vacina é recomendada para todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira. Apenas uma dose garante imunidade por toda a vida. As crianças devem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a ovo. Gestantes e idosos devem passar por uma avaliação médica.

Nos anos de 2017 e 2018, fizemos um levantamento e vacinação dos habitantes de Itabira. Mas constatamos, inclusive no estado de Minas Gerais, que ainda temos um público muito grande sem imunizar. Essa é uma situação preocupante. Portanto, precisamos passar para toda a população esse alerta: quem ainda não tomou a vacina deve procurar sua unidade de saúde o mais rápido possível porque existe o risco de se contrair a doença”, finalizou Thereza Andrade.

Até 14 de setembro – Campanha de vacinação contra pólio e sarampo continua em Itabira

O público-alvo da campanha contra o sarampo e a poliomielite ganhou mais tempo para ir aos postos de vacinação em Itabira. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) decidiu manter a campanha até 14 de setembro, para garantir que todas as crianças do município, com até cinco anos incompletos, sejam vacinadas.

Conforme a projeção do Ministério da Saúde, com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município alcançou 100% da cobertura vacinal dos pequenos.

Coordenadora de Imunização da SMS, Cibele Rosa explica que, apesar da projeção, a campanha continua no município para que não fique ninguém para trás. A campanha teria acabado na última sexta-feira (31).

Atenção pais!

A pasta reforça o chamamento aos pais e responsáveis de crianças entre um e dois anos incompletos – isto é, com até 1 ano, 11 meses e 29 dias. Isso porque a faixa etária está no grupo daqueles com maior risco de complicações para a doença. “Damos ênfase a essa faixa, haja vista que é um grupo que muito sofre no caso de adoecimento do sarampo”, esclarece Cibele.

A SMS lembra que todas as crianças devem se vacinar, independentemente da situação vacinal. A vacinação ocorre em todas as unidades de PSF, além da Policlínica Municipal.

Mobilização – Dia D contra pólio e sarampo será neste sábado

A Secretaria Municipal de Saúde realiza, neste sábado (18), o Dia D de vacinação contra a poliomielite e o sarampo. A imunização será feita das 8 às 17 horas em todas as unidades de PSF, além da Policlínica. Às 8 horas, o prefeito Ronaldo Magalhães fará a abertura do evento na Unidade Básica de Saúde do Praia II, ao lado do prédio da Justiça do Trabalho.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo começou no dia 6 e se estenderá até 31 de agosto. A meta é que até o final da campanha sejam imunizadas 5.764 crianças.

A campanha tem como público-alvo crianças com idade a partir de um ano até menores de cinco, independentemente da situação vacinal. No caso da tríplice viral, que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, somente serão imunizadas as pessoas que não completaram o esquema de vacinação. É fundamental que os pais apresentem o cartão de vacina para que o histórico de vacinação da criança seja verificado. Caso esse documento tenha sido perdido, a criança deve ser levada para ser imunizada com a certidão de nascimento.

A diretora de Vigilância Epidemiológica Natália Franco Barbosa de Andrade ressalta que o sarampo pode acometer pessoas de qualquer faixa etária. Por isso, é muito importante a imunização. “Os surtos que temos visto no Norte do Brasil têm acometido principalmente crianças menores de cinco anos, que é o público em que a doença pode ser mais grave, pois compromete o sistema imunológico. Além das complicações, como infecções respiratórias (pneumonia), o sarampo também pode provocar otites, doenças diarreicas, neurológicas e levar à morte”, alerta.

Natália Andrade também destaca que, além do sarampo, a vacina tríplice viral também protege contra a caxumba e a rubéola. “É importante dizer que o Brasil já registrou casos de sarampo em seis estados. Para manter a doença afastada, é fundamental manter alta e homogênea a cobertura vacinal, para evitar a reintrodução do vírus”, destacou.

Conhecida também como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença contagiosa causada por vírus. A vacinação é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a única forma capaz de erradicação da doença. “Não existe argumento justificável para que os pais ou responsáveis deixem de imunizar suas crianças. É a vacinação que pode garantir que essas doenças transmissíveis continuem distantes”, pontua Natália Andrade.

Prioridade

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais determinou que os municípios suspendam, durante o mês de agosto, a aplicação de rotina da vacina tríplice viral. Conforme justificou, houve atraso na entrega das doses e, por isso, os municípios deverão priorizar a imunização das crianças até cinco anos. A intenção é de que a distribuição seja normalizada em setembro. “Por este motivo, contra o sarampo, as unidades de saúde estão imunizando apenas as crianças, mas a expectativa é que a partir de setembro a situação seja regularizada e voltaremos a fazer as doses de rotina em pessoas com mais de cinco anos”, explica Natália Andrade.

Saúde bucal

A equipe de saúde bucal também estará presente no Dia D de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo. Desde segunda-feira, as unidades de saúde fazem atividades para alertar sobre a importância da higiene bucal e avaliações odontológicas. No sábado, em algumas unidades haverá atividades lúdicas para as crianças e a equipe técnica prestará informações sobre a importância da dentição e da alimentação saudável.

Prevenção – Campanha de vacinação contra gripe começa na próxima segunda-feira

Na próxima segunda-feira (23), o Ministério da Saúde iniciará a Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza em todo o país. Em Itabira, ela é realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). As doses serão aplicadas até o dia 1º de junho em todas as unidades de saúde do município que possuem sala de vacinação. Esta é uma das estratégias para diminuir o impacto da gripe na população.

Não há nenhuma alteração em relação ao público que deve ser imunizado, em comparação ao ano passado. A escolha dos grupos prioritários a serem vacinados deve-se ao fato de serem indivíduos mais vulneráveis aos efeitos da doença.

Devem ser vacinados os seguintes grupos: pessoas com 60 anos de idade ou mais; crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores das escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; e funcionários do sistema prisional. Nossa expectativa é imunizar 90% das pessoas incluídas nos grupos prioritários”, disse a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade.

De acordo com informações fornecidas pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), todos os anos os subtipos dos vírus da gripe que serão incluídos na vacina mudam. Este ano, a vacina utilizada na campanha de vacinação será a trivalente. “As vacinas garantem proteção por, aproximadamente, um ano, e a pessoa fica protegida a partir da segunda semana após a administração”, ressaltou Thereza Andrade. Ela acrescentou ainda que a atualização da vacina contra a gripe faz parte das recomendações feitas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para garantir maior eficácia do produto.

Outras medidas preventivas

O vírus Influenza é transmitido por meio do contato com secreções das vias respiratórias que são eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O período de maior circulação do vírus da gripe ocorre, principalmente, de junho a agosto.

Por isso, o Ministério da Saúde orienta que a população em geral adote algumas medidas para evitar a doença, como lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evitar tocar o rosto, não compartilhar objetos de uso pessoal e manter os ambientes arejados.

Unidades de Saúde que possuem sala de vacinação:

UBS Água Fresca, UBS Amazonas/ Areão, UBS Barreiro, UBS Clóvis Alvim/ Bethânia, UBS Centro/ Vila Santa Rosa, UBS Campestre, UBS Chapada, UBS Eldorado, UBS Fênix, UBS Gabiroba de Cima, UBS Gabiroba de Baixo, UBS João XXIII/ Machado, UBS Major Lage, UBS Praia I, UBS Praia II/ Juca Rosa, UBS Pará, UBS Pedreira, UBS Santa Ruth/ Santa Marta, UBS Jardim das Oliveiras, Policlínica, Ipoema e Senhora do Carmo.

A vacinação pode ser feita de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h. O Dia D – data da mobilização nacional da campanha – será no sábado, 12 de maio, das 8h às 17h, em todas as unidades básicas de saúde.

Prevenção Campanha contra febre amarela continua em Itabira

Horário estendido de UBS e Dia D estão na programação da Secretaria de Saúde

A campanha de vacinação contra a febre amarela continua em Itabira. Para isso, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) conta com ações como horário estendido de UBS e vacinação e Dia D de vacinação.

Nesta quarta-feira (14), as unidades básicas de saúde (UBS) dos bairros Campestre e Fênix estarão abertas até às 20 horas. No sábado (17), será o Dia D da vacinação na Policlínica e nas UBS Pedreira I e II, Santa Ruth e Santa Marta, que funcionarão das 8h às 16h.

De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica do Município, a meta do Ministério da Saúde é vacinar 100% da população que pode ser vacinada. “Em Itabira o percentual de vacinados subiu de 86% para 91,69%”, comemorou.

A única forma de evitar a febre amarela é a vacinação contra a doença. A vacina é recomendada para todas as pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença, como é o caso de Itabira. Apenas uma dose garante imunidade por toda a vida. As crianças podem ser vacinadas a partir dos 9 meses de idade. No entanto, é contraindicada a imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo. Gestantes e idosos devem passar por avaliação médica.

Febre Amarela: Secretaria de Saúde intensifica vacinação casa a casa

Desde a semana passada, profissionais de saúde estão indo de casa em casa para apurar a situação vacinação da população e imunizar contra a febre amarela aqueles que ainda não foram imunizados.

A ação começou com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS), que fazem o levantamento nominal dos não vacinados e orientam para que procurem uma unidade de saúde. De acordo com a superintendente de Ações em Saúde, Heloísa Helena Martins, este trabalho já está surtindo efeito. O número de pessoas para se vacinarem aumentou em todas as unidades de saúde.

Levando em conta os endereços constados nas notificações da doença, profissionais dos PSFs também estão fazendo uma verdadeira varredura no município para bloqueio da doença. De casa em casa, esta equipe está imunizando os moradores. As primeiras ações de intensificação ocorreram no Barreiro – incluindo o entorno –, Santa Marta, Santa Ruth, Gabiroba, Centro e Vila Santa Rosa.

Escolhemos o Barreiro para começar porque já registramos três mortes naquela região: uma no próprio Barreiro, uma no Morro do Chapéu e outra na localidade de Cachoeiras. O Santa Marta é porque, além de termos um caso em investigação, é uma região com mata”, explicou Heloísa Martins. Durante esta semana o trabalho continua de casa em casa.

Também, para impedir o avanço da doença, duas ações são deflagradas quando é registrado um caso suspeito: a inspeção a Secretaria de Saúde, em parceria com a Polícia Militar Ambiental, está fazendo a inspeção das matas no entorno do bairro onde reside a pessoa com suspeita de febre amarela. Também no entorno da casa da pessoa com suspeita, a Secretaria de Saúde está aplicando UBV.

Vacinação – Para aumentar o bloqueio contra a febre amarela, durante o mês de fevereiro a Secretaria Municipal de Saúde montou esquema especial. Na semana que antecedeu o Carnaval, a Policlínica estendeu seu horário de funcionamento até as 20h para vacinar. No dia 24, sábado, a Policlínica também funcionou das 8h às 16h exclusivamente para vacinar contra a febre amarela. Foram imunizadas mais de 500 pessoas. Entre os dias 26 de fevereiro e 2 de março, oito unidades de saúde funcionaram em esquema especial – até às 20h – para vacinação. No dia 3 de março, nove unidades de saúde – inclusive os PSFs de Senhora do Carmo e Ipoema – fizeram plantão para imunização contra a febre amarela.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta alerta mais uma vez: “a vacinação é a forma mais eficaz e segura para evitar a doença. Conclamo, mais uma vez a todos aqueles que ainda não se vacinaram, a procurar uma unidade de saúde e se imunizar. Todos os óbitos registrados em Itabira foram de pessoas sem histórico vacinal”, informa.

A doença – Em Itabira, no período de 27 de janeiro a 21 de fevereiro, seis pessoas morreram vítimas da febre amarela – cinco homens com idades entre 38 e 54 anos e uma mulher de 50 anos – confirmadas por febre amarela. Uma pessoa foi diagnosticada com a doença e continua internada. Outras 14 pessoas que tiveram sintomas da doença aguardam resultado do exame.

As mortes ocorreram nos bairros Major Lage de Baixo, Barreiro, Campestre, Gabiroba de Cima e nas localidades rurais de Morro do Chapéu e Cachoeiras.

Scroll To Top